domingo, 10 de julho de 2016

O Médico e a Princesa - 8 - Atuações

Um cavaleiro e uma princesa, que se amam, são separados por uma poderosa magia.
Séculos depois, serão eles, em suas novas vidas, capazes de quebrar o feitiço e assim se reencontrar mesmo que isso represente o retorno de antigos inimigos?
Acompanhe e descubra o que acontece nessa história feita no “The Sims 4”.

Dica: para uma melhor visualização (zoom na página), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).




O Médico e a Princesa
Parte 8 - Atuações



Resumo do capítulo passado: Jordan e Haesel se encontram na Biblioteca Antiga de Windenburg. Lá, ficam sabendo que o manuscrito original do Diário de Luca Baroni foi roubado. Dali, os dois seguem para o Jardim das Ruínas Antigas e J. descobre que o Poço dos Desejos Sussurrante não encontra-se mais lá; pressionado pela princesa, ele conta tudo que aconteceu para ela, que decide ajudá-lo a encontrar o livro. Depois o médico vai para a casa de seus pais... E quando ele está para contar aos dois que não continuará com a namorada apesar da gravidez dela, a própria Babs chega à casa dos “sogros” para uma visitinha.


Os quatro jantaram juntos e J. resolveu ficar na dele e só contar aos pais sobre o término depois que esse se consumasse, o que tornou o jantar um momento bem esquisito para ele. Não porque inicialmente a conversa toda girou em torno do bebê que chegaria, mas porque depois chegou no “vocês já têm planos de morar juntos?” e coisas do tipo; e essas perguntas foram respondidas exclusivamente e animadamente pela namorada dele, que parecia confiante de que logo eles trocariam alianças.


Assim, ficaram um pouco mais com Jared, Constance e as crianças (que embora animadas com a notícia da chegada de um priminho, não largaram o novo brinquedo: a Estação de Batalha das Criaturas do Vácuo).


E mais tarde, quando foram embora, Jordan foi deixar Babs na casa dela e, claro, entrou para que conversassem.


- Você saiu da festa bêbado, mal falou comigo... – Ela disse, se largando no sofá.
Ele preferiu sentar na cadeira próxima, o que (claro) chamou ainda mais a atenção dela: - Babs, a gente precisa conversar...
Então ela sentou direito, mais próxima dele, respirou fundo e começou sua atuação: - Ok, mas se for uma coisa muuuuito ruim, você pode me contar depois, amor? É que fui à médica hoje pegar os resultados de uns exames que fiz dois meses atrás... E ela me disse que essa gravidez é de alto risco por conta de um fator teratógeno, que é um fator potencialmente causador de uma malformação congênita, sobretudo se a exposição ocorreu ao longo dos primeiros meses de gestação, o que é meu caso...


- Que fator? – Ele perguntou, preocupado.
- Consumo excessivo de bebidas alcoólicas... – Ela respondeu baixinho.
E Babs não estava mentindo em relação a isso; estava apenas “utilizando a informação a seu favor”.


Só que ele se sentiu imediatamente culpado, principalmente porque quando eles saíam juntos, ele era o maior incentivador para que bebessem. “Mas que droga! Se algo acontecer com meu filho, vai ser por minha culpa!”, Jordan pensou, arrasado.


- Mas, olha, se o que você quer me falar for urgente e tiver relação com nós dois, você pode me contar, ok? Tem a ver com a gente, J.?... – Ela perguntou da maneira mais “inocente” possível. Conhecia o namorado muito bem e sabia que, com aquela notícia, ele jamais terminaria com ela durante a gravidez. Depois, bem, depois não importava. Mesmo porque depois, ela é quem iria findar aquele relacionamento, após ver a cara de decepção de Jordan ao saber que o bebê não era dele, mas de Ollie Purdue.


- Não, não tem a ver com a gente. – Ele mentiu, suuuuuuuper preocupado.
- Oh, eu estou me sentindo tão culpada por ter bebido tanto durante esse tempo! – Ela fingiu um chorinho colocando a mão no rosto. – Juro que nem percebi que carregava nosso filho!


- Escuta, vem cá... Não chora... – Ele levantou e a puxou devagar, abraçando-a. – Vai ficar tudo bem, ok?... Você não tem culpa de nada...


- Eu estou me sentindo tão mal!... – Ela disse chorando nos braços dele. – E se acontecer algo com nosso bebê?...
- Não vai acontecer nada, Babs. Eu sou médico e vou cuidar de vocês dois, ok?... – Ele tentava tranquilizá-la.
- Ok... – Ela sussurrou, e então ficou um bom tempo assim, aproveitando o abraço do namorado, até enxugar as falsas lágrimas e pedir para ele: - Dorme comigo hoje?...


E ele bem queria dizer não, mas pensava que se assim o fizesse, ela poderia ficar desconfiada que o assunto que ele tinha para conversar com ela era realmente sobre os dois; e J. não queria deixá-la preocupada e colocar a segurança de seu filho em risco: - Durmo sim...
- Então vamos subir?... – Ela perguntou segurando a mão dele.
- Vamos sim. – Ele respondeu forçando um sorriso.




Enquanto isso, em uma das áreas de acesso restrito de um local sigiloso...


- Dr. Whitten, eu fiquei sabendo há pouco que o sujeito que contratou acabou batendo na minha irmã! Isso é inaceitável! – Nooa Windsor entrou apressado na sala, mas sua voz mantinha o tom educado, aristocrático; sua irritação era comedida.


E o príncipe entrou olhando a coleção de “espécimes” que Whitten possuía: um “Guardião da Galáxia Gnômica”, um “Regnomador” e um “Gnomo Finamente Fantasmagórico”. E ainda havia duas cápsulas vazias que Nooa imaginava já estarem reservadas para novas criaturas. Aquele senhor realmente não perdia tempo! E Whitten trabalhava há muitos anos como um dos conselheiros e principais cientistas do Imperador do Quarto Reino - pai de Nooa e de Haesel.


- Sabe que eu não lido com os “pés-de-chinelo”. – O velho homem respondeu, tão educado quanto o príncipe. - Mas também não gostei do incidente e o culpado por isso já foi penalizado. Agora o que importa é que estou com o Diário nas mãos e que sua irmã está bem. – O senhor o olhou com tranquilidade. – Sente-se.


- E então? Agora me conta tudo. – Nooa sentou-se; estava um pouco impaciente, mas tentava não demonstrar.


- Príncipe Nooa, como expliquei ao seu pai, isso é uma questão de segurança nacional. As informações neste diário confirmam que sua irmã é mesmo a reencarnação de Hannah Windsor. Nasceu na mesma data, no mesmo horário, “coincidentemente” ambas vieram ao mundo quando o cometa Destinatio atravessou nosso céu. Mas disso nós já sabíamos. Acontece que se Haesel ler isso, terá a certeza de quem é... E isso pode fazê-la ir atrás do Baroni.
- E por que um livro importante desses se encontrava na biblioteca de Windenburg? Se era para ser segredo, por que não estava seguro aqui? – Nooa questionou.
- Porque ele estava servindo de isca durante todos esses anos para a reencarnação de Luca Baroni ou para a reencarnação de Hannah Windsor. Se, em uma nova vida, um deles se lembrasse de seu passado, iria atrás do diário. E assim nós poderíamos intervir, como estamos fazendo agora. E acabou que, através dessa isca, pegamos foi outro “peixe”. E já temos certeza de que Jordan Baroni é quem procuramos. Você estava certo quando me ligou.
- E como pode ter tanta certeza? – Nooa não parecia confortável.


- Antes d'eu lhe explicar isso, me diga: por que você não parece muito feliz? – Whitten o olhou com seriedade.
- Vou te dar cinco bons motivos para minha insatisfação. – Nooa levantou a mão. – Menti para minha namorada fazendo-a acreditar que essa história toda é uma bobagem; minha irmã foi agredida porque concordei com seu plano; estou escondendo a verdade das duas; entreguei o irmão da Marcella para você; e o pior: apesar disso tudo ser muito desonrador, terei que continuar com todo esse plano.
- Mas é tudo por um bem maior. Vossa Alteza precisa se lembrar de que estamos impedindo que antigas criaturas despertem.


- Mas a que preço, Dr. Whitten? – Nooa perguntou, enquanto o homem colocava o livro sobre a mesinha próxima. – Por que não deixamos isso quieto? Se a magia dos Antigos funcionou até agora e Luca e Hannah não se encontraram, por que precisamos nos preocupar?


- Quando o Diário de Luca Baroni desapareceu da biblioteca, uma de nossas agentes mais preciosas descobriu que o responsável por isso era o fantasma de Titus Crowder, o antigo Marechal dos Cavaleiros de Windenburg. Ele fez esse material chegar às mãos de sua irmã. Se a magia for quebrada, o verdadeiro inimigo de Luca Baroni retornará. E o inimigo dele é nosso inimigo. Então não podemos permitir que Luca e Hannah se reencontrem, que o feitiço seja rompido.
- E por que essa agente tão especial não descobre logo quem é a reencarnação de Luca e nos poupa trabalho?
- Porque antes de morrer, Luca foi protegido por uma magia que impede sua localização até hoje.
- E quanto a Hannah? – Nooa perguntou.
- Sabemos que Haesel é a reencarnação de Hannah desde que ela nasceu. Ela é que não precisa saber disso.


Nooa suspirou: - Acontece que Jordan já está interessado nessa história. E embora você afirme ter certeza, eu não estou seguro se ele é mesmo a reencarnação de Luca! Então, precisamos descobrir se ele é mesmo o tal General-de-Exército há muito morto, se ele se lembra de Haesel como Hannah, de alguma forma, ou se foi instruído por alguém a buscar mais sobre essa lenda. Não acredito que um médico como ele entre numa aventura dessas por conta de ter lido um livro sobre a história. Mesmo porque todos conhecem esse “conto”, desde crianças; e aposto que inclusive ele.
- Ele é quem procuramos. Abra aquela porta verde e siga para o acesso a sua esquerda.
Nooa levantou e seguiu na frente, observando tudo: o construtor de invenções,...


Uma máquina de clonagem (no chão), uma nave, um jardim e um portal alienígenas... Nooa achava tudo aquilo muito interessante. Mas não se atrevia a mexer naquelas coisas. A maior parte daquele material fazia parte de sigilosas operações de Estado. E raras eram as pessoas permitidas dentro daquela área, chamada de “Área 15”. Mas como futuro Imperador, ele fazia parte do seleto grupo que precisava estar por dentro de tudo.



Entraram em uma sala onde, dentro de uma piscina, havia um poço.
- O que significa isso, Dr. Whitten?
- Esse é o Poço dos Desejos Sussurrante. Um poço que realmente realiza desejos. – Whitten explicou: - Nossos equipamentos captaram uma grande e forte alteração no campo magnético de uma área localizada atrás das antigas ruínas, em um jardim.
- Quando isso? – Nooa perguntou.
- Ontem, domingo, pela manhã.
- Prossiga. – Nooa pediu.


- Depois disso, mandei um grupo de agentes ir ao local para averiguar do que se tratava. E eles acharam o poço. Fizeram um rápido teste e confirmaram uma grande quantidade de magia oriunda do mesmo. – Whitten disse, puxando dois banquinhos que estavam no fundo daquela sala para que os dois sentassem.
- Achei que a magia não existisse em nosso mundo...
- Ela está retornando aos poucos. – O cientista explicou, sucinto.
- Então isso realiza desejos. Qualquer um poderia desejar ser o Imperador e isso aconteceria? É isso? – Nooa perguntou, preocupado com a segurança de seu pai.
- Não. O Imperador e sua família possuem muitas proteções contra esse tipo de tentativa de usurpação.


- Então me explique, Dr. Whitten. Como isso prova que é o Jordan quem procuramos? Afinal, é essa minha dúvida que nos traz aqui.


- Pegamos o poço ontem à noite, domingo. Vossa Alteza me ligou dizendo que poderia ser ele hoje pela manhã. Só comparamos as impressões digitais encontradas no poço com as dele. Então nosso Serviço Secreto pôde confirmar: ele teve contato com o poço.
- Acha que podendo fazer qualquer outro pedido, ele teria feito um envolvendo Luca e Hannah? E se o fato dele ser famoso e rico agora é porque desejou essas duas coisas?
- Nossa base é protegida contra alterações de realidade. Se ele fosse um pé rapado antes, saberíamos. Ele não é. Seu dinheiro vem de sua família, que já foi nobre e é riquíssima. E sua fama vem de seu trabalho competente. Então ele não pediu nada que envolvesse essas duas coisas.
- Acha que ele pode ter sido influenciado por alguém a desejar reencontrar “Hannah”?... – Nooa perguntou, sério.
- Sim. Talvez por isso ele esteja interessado na lenda, de acordo com o que você me disse que Marcella lhe contou.
- Mas supondo que alguém o instigou, quem poderia ter feito isso?


- É nesse ponto que entra o nosso renomado ladino Titus! Acredito que ele tenha influenciado Jordan, assim como tentou fazer com que Haesel lesse o manuscrito de Luca. – Whitten sorriu.
- E como vocês souberam que o livro estava com Haesel?
- Essa informação é confidencial. Agora me acompanhe.
Então os dois saíram da sala onde estava o poço.
- Só uma pergunta... Por que o poço está dentro da piscina? E por que aquela piscina naquele aposento? – Nooa estava curioso.
- Aquela sala foi feita para receber qualquer sereia das ilhas paradisíacas do Terceiro Império. No entanto, as negociações até agora foram infrutíferas. Assim, acredito que teremos que esperar que elas apareçam em nossos mares. Enquanto isso, a piscina está servindo de “âncora” para que o poço não desapareça. Enquanto estiver lá dentro, ele não funciona. E como não é tarefa fácil tirar um poço tão pesado dali, tenho a certeza de que ninguém vai usá-lo para desejar bobagens.
- Ok...


Então entraram em um corredor que dava para duas celas. Mas eram celas bem “confortáveis” (se é que se pode dizer isso de uma prisão). Havia até computadores (não ligados à internet, claro, mas com jogos) e televisão disponíveis.
Em uma delas, um jovem rapaz trabalhava em uma mesa de carpintaria; ele nem olhou para os dois.



Já na outra, que não possuía porta aparente,...


- Eis o antigo Marechal dos cavaleiros de Windenburg! Mas que agora não passa de um ladrãozinho de livros após a morte: Titus Crowder! – O Dr. Whitten mostrou seu mais novo prisioneiro ao príncipe, que olhava surpreso aquela cena!


- Como? Como o prendeu? E como podemos vê-lo? E como ele não sai dessa sala? E por que ele está com essa cor vermelha? – Nooa estava curioso e um pouco assustado com aquilo. Mas ao mesmo tempo, para ele não parecia certo confinar o fantasma de um antigo grande militar das forças de Windenburg.


- Como eu disse antes, temos uma agente muito importante que possui certas... habilidades. Ela conseguiu invocá-lo e agora ele está preso dentro desta sala especial. Por isso podemos vê-lo. E as cores de um fantasma falam sobre seu humor... O que aprendemos é que um fantasma na cor verde está feliz; na cor rosa, está paquerador; na cor amarela, ele está envergonhado; se estiver azul, está triste; e vermelho, como está agora, é porque está zangado.
- E ele pode nos ouvir? Podemos falar com ele?...
- Claro que sim. Mas não creio que Titus queira colaborar. Já tentamos de tudo, mas ele não que conversar conosco...


- Ok, Dr. Whitten,... Eu gostaria de falar com o Marechal Titus, por favor, em particular. – Nooa disse, sério.
- Mas é claro, Vossa Alteza,... – O cientista fez uma leve reverência para Nooa e então saiu.


Então Nooa se aproximou mais do vidro e tentou se comunicar com Titus por pensamento, já que não queria as câmeras ali gravando o que ele dissesse: “Olá, Marechal! Eu sou o príncipe Nooa Windsor... E eu sei que você é capaz de ler minha mente se eu permitir um campo de comunicação com você como estou fazendo agora, e se estivermos a pelo menos três metros de distância um do outro, de acordo com uma amiga vidente. E eu gostaria de entender o que está acontecendo. Quem são esses inimigos de Luca Baroni que ‘não podem retornar’? De que tipo de criaturas nós estamos falando? Qual o nível de poder delas? São vampiros ou são lobisomens? O quão perigoso para o Quarto Império seria deixar que Luca e Hannah finalmente se reencontrassem?”.
Mas Nooa não obteve uma resposta. Titus parecia ignorá-lo.


Por favor, Marechal. Eu estou do seu lado. Eu quero que eles se reencontrem. Ela é minha irmã e eu não a quero infeliz...”, Nooa tentou novamente.
Se está falando a verdade, me liberte.”. O príncipe ouviu a voz de Titus em sua mente, extremamente clara.
Eu não posso libertá-lo. Apenas meu pai pode dar essa ordem e ele não deseja ‘que velhos inimigos retornem’, assim, ele não deseja que Luca e Hannah se reencontrem nessa vida. Mas diga-me: quem são esses inimigos?”, ele insistiu.


Mas o fantasma deu as costas para Nooa e mergulhou dentro da televisão que estava em sua cela, fazendo-a flutuar, como que possuindo o objeto.




E Nooa entendeu que não conseguiria informação alguma de Titus. Então ele se retirou dali. Foi atrás do cientista.


- Você estava certo, Dr. Whitten. Ele não vai cooperar. Esperei ele falar qualquer coisa primeiro, mas apenas me encarou com raiva. E agora? Qual será o próximo passo? Como impediremos um reencontro de Luca e Hannah e o retorno das vis criaturas?


- Agora a decisão será exclusivamente de seu pai. E eu tenho certeza de que ele nos oferecerá o mais acertado veredito para proteger todo o Quarto Império dos perigos que podem retornar caso os dois fiquem juntos novamente. E Vossa Alteza deve entender que precisamos de uma solução terminante, príncipe Nooa!
- Que seria...? – Nooa o olhou inquisidor.
- Bem, se “Luca Baroni” não existir nesta vida, não precisaremos nos preocupar com o perigoso reencontro dos dois...


Nooa ficou em silêncio por alguns segundos, apesar de sua mente estar trabalhando a mil! “Eles pretendem dar um ‘sumiço’ definitivo em Jordan Baroni... E eu preciso fazer com que esse plano falhe.”, ele pensou. Mas então olhou bem tranquilo para o cientista e disse: - Esse é o plano mais sensato. Deixe-me a par de todas as decisões, Dr. Whitten. E caso eu saiba de mais alguma coisa, eu o informarei com prazer. Só não esqueça que quero Marcella e Haesel protegidas. Nada mais de contratar gente que possa machucar qualquer uma das duas, estamos entendidos?


- Mas é claro, Vossa Alteza. E quaisquer novas informações importantes, passe-me imediatamente, por favor. Pelo bem do nosso Império.
- Pode deixar, Dr. Whitten. Boa noite e bom trabalho. – Então Nooa saiu cantarolando a musiquinha abaixo:





[continua]



Olá, amigo Simmer! Obrigada por acompanhar a história!
 Tenha um lindo dia! :)




Onde baixar os Sims e lotes usados nessa história:

SIMS:
Constance Baroni: Amelie NoCC, by manonchat;
Dario e Alessa: As crianças foram geradas no meu jogo (com aquela ferramenta de “genética” do CAS); você encontrará todos os Baronis na minha conta isarpgista;
Babs L’Amour: by SimGuruZephyr;
Nooa Windsor: Tom Bliss (“Hot Boy”), by Lordkiribati. Como não consegui o link direto para você baixá-lo – e nem consegui o da Haesel Windsor (que é a Julia NoCC, by manonchat) – upei os dois na minha conta isarpgista;
Titus Crowder: by altemural.


LOCAIS:
Residência de Jared & Constance: Spanish Mansion, by HattySims (a original; a versão utilizada por mim pode ser baixada em minha conta isarpgista). No entanto, alerto que há cômodos nesse lote que ficam estranhamente escuros durante o dia, mesmo com as luzes acesas... Não consegui resolver isso ainda (infelizmente já veio assim quando baixei);
Casa da Babs: Streamlet Retreat, by pronterus (o original; o modificado por mim – utilizado nessa história - pode ser baixado na minha conta de usuária no jogo: isarpgista);
Área 15: “Big Scientist Lab V1”; não consegui o link para o cômodo, que upei em minha conta isarpgista (ao procurar na Galeria, em seu jogo, em “Avançado”, marque “incluir conteúdo personalizado”; e não, não sei que conteúdo personalizado foi esse que apareceu aí... O.o ).


Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!



10 comentários:

  1. Vamos por parte de novo, né? hahaha

    Eu odeio essa Babs. Só chegou para estragar tudo e ainda mais estragar o momento em que ele dava o fim no relacionamento. Que filha de uma mãe, hein? É capaz de ela conseguir o prender tão forte do que "macumba". =/

    Então o irmão dela está por trás disso tudo? Mas ao menos ele não quer o mal pra ela, né? E é pelo o bem de todos. Pois, se eles ficarem juntos, algo ruim vem a acontecer, certo?

    Como assim? Prenderam o Marechal? :O Mas ele não é do mal, é? Ele queria juntar eles porque ele queria que as almas deles se reencontrassem, certo? Caraca, meu!!

    E agora? O Dr. Whitten quer "exterminar" o Baroni. :( Nooa tem que sabotar esse plano, claro!

    Beijos e abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huhuhuahuhauhua... A Babs realmente está se saindo uma serumaninha bem malvadinha, né? xD E é exatamente isso! Parece que ambos não podem se reencontrar (o que quer que isso signifique realmente! Rs...). :D E sim, o Marechal agora é prisioneiro do Dr. Whitten... Será que alguém poderá ajudá-lo? No próximo capítulo veremos o que Nooa fará com as informações que conseguiu! Beijos e abraços e obrigada pelo seu comentário, David! :D

      Excluir
  2. Hahahaha ele saindo cantando a marcha imperial! Achei tão engraçado a Babs ter uma foto gigante dela mesma na sala

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Nooa é ótimo! Rs... E a foto só é menor do que o ego da Babs! Huhauhauhuahuhauhau... Obrigada pelos comentários, Simone! Beijocas!:D

      Excluir
  3. Casa bonitona a da Babs. Ela se ama tanto que tem o próprio quadro dela.
    Nossa quantos mistérios, tem toda uma equipe por trás. Amei esse laboratório, muito lindo.
    Gente até marcha imperial, esse cientista não é confiável. Pelo menos o príncipe está do nosso lado. Só quero entender, que seres malvados seriam esses que estariam libertos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Babs é uma atriz super famosa... Talvez isso tenha deixado o ego dela um pouquiiiiiiiiiiinho agigantado. xD E esse cientista parece ser bem bizarro mesmo, né? Mas os próximos capítulos lhe contarão mais sobre esses inimigos antigos! Obrigada pelo comment, Jéssica! Beijocas! :D

      Excluir
  4. que tenso ele prendeu um fantasma, esse cientiacho que o princípe tá se envolvendo com gente errada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que esse cientista não deseja ver Luca e Hannah juntos, está bem claro! Todos parecem ter medo dos tais "inimigos antigos" retornarem! E Nooa estará envolvido com o lado errado? :D Beijocas! :D

      Excluir
  5. Achei que o Nooa era vilão, mas felizmente ele é do bem <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. xD Prefiro sempre deixar que o leitor descubra por si só! Rs... Obrigada pelo comment, Leo!!! :D

      Excluir