sábado, 11 de novembro de 2017

Axl Logan - 20 - Decisões


Essa é a história de um Sim chamado Axl Logan.
Acompanhe aqui suas aventuras (e desventuras)!

Dica: para uma melhor visualização (zoom), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).






ATENÇÃO, AMIGO (A) SIMMER! DÁ UMA LIDA AQUI:

Após ler o capítulo abaixo, deixe seu comentário, aqui mesmo no blog (no final da página) ou no post, no Facebook, em “Histórias da Sally Winter no The Sims”! Seu comentário é importante e me incentiva bastante! Um grande abraço! J


Axl Logan
Livro I
Adormecido

Capítulo 20 – Decisões


Resumo do capítulo passado: após uma madrugada e manhã de diversão no bar Lhama Gritadora, Dave e Batera são avisados de que Isabella Refaeli está na clínica Baroni e, então, seguem para lá; após contar como encontrou e prendeu o deputado Victor Feng, Elenor (agora Detetive da Área Internacional do Quarto Império) se resolve com Liam; Axl acorda, à tarde, no trailer do produtor Richard Geffen; o vocalista então recebe uma ligação de Susan e fica sabendo que sua namorada está no hospital.


Newcrest.
Na Igreja do Grande Prisma.




A famosa Elle DeVampiro, vocalista da banda Dark Battle, chegou atrasada ao velório. Àquela hora, muitos já tinham ido embora.
— Ei, você é o David, não é? O baixista que gravou para o meu álbum lá na casa dos Vatore, certo?
— Isso. Mas meu nome é Dave. — Ele a corrigiu, de boa.
— Posso me sentar aqui perto de você? Não quero ir lá para frente agora... — Ela apenas queria ser mais discreta quanto a sua chegada ao local. Eles estavam na área externa do templo; área essa dedicada ao que os Sims chamavam de “Cerimônia de Despedida”.
— Pode se sentar sim. — Ele disse, triste.




Então Elle ficou algum tempo em silêncio, observando tudo, calada, enquanto sentia o vento frio, ouvia o canto dos pássaros e as palavras do velho sacerdote:
— Lembremo-nos das palavras de Agostinho de Hipona: “A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho. Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu continuarei sendo. Deem-me o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador. Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas? Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho… Você que aí ficou, siga em frente. A vida continua, linda e bela como sempre foi.”.



— Belas palavras... — A cantora disse.
— É... — Dave suspirou, tristonho, enquanto o Conselheiro (como eram chamados os sacerdotes, os líderes da religião do Grande Prisma) continuava seu discurso, que visava confortar aqueles corações pesarosos.
Então, após alguns minutos de silêncio entre os dois, ela o chamou, baixinho: — David,...
— Dave... — Ele a corrigiu novamente, baixinho, de boa.
— Dave, desculpa a pergunta inoportuna em um momento como este, mas o que aquela planta está fazendo ali ao lado do Axl?... — Sua curiosidade fora maior do que sua noção de conveniência.



— É a Anastasia, a Tasinha. Quer dizer, era. Axl me disse que é uma planta macho*.
— Não sabia que ele entendia disso.
— Antes entendesse!... Axl disse que a planta lhe contou que seu nome é “Sr. Maurício Carvalho”, mas que podemos chamá-la de Mamau.


* Nota: sobre as plantas, clique aqui.



— Oi?!! — Elle engasgou ao prender a gargalhada que daria. Conseguiu se controlar, tossindo um pouco, sob o olhar sério de Dave. Então, ficou mais séria, agora analisando a loucura do que ouviu; e perguntou, um pouco incrédula: — Ele está falando com uma planta?! É isso mesmo?! — Ela tentava não demonstrar o quão impressionada estava; “Gente, mas agora que o guri endoidou de vez!”.
— O Axl não está legal, Elle. Desde ontem, ele tá meio surtado.
— Me conta tudo, vai. — Ela pediu.
E como Dave precisava mesmo desabafar, ele começou a falar, não se importando muito com o fato da cantora não ser tão próxima dele.




No dia anterior, em Willow Creek.
Na Clínica Baroni.



Já era noite quando Axl chegou à clínica. O helicóptero dos Refaeli, pousado no recém-construído heliporto (que foi acrescido durante a última reforma, assim como foram modificados o estacionamento e a área VIP), indicava que Marit ainda estava no local. Mas ela não atendia as ligações do rapaz.
O vocalista então entrou no prédio e foi recebido pelo primo (Dave), por Makena, Gizella, Batera e por Samara. Então, logo eles trataram de tentar acalmá-lo, após informá-lo que Isabella estava em coma e que seu estado não era dos melhores. Mas o que realmente deixou Axl inquieto foi saber que Marit tinha dado ordens de que ninguém poderia subir à área onde a garota estava internada ou sequer receber mais informações sobre o estado dela.



Foi quando o vocalista, movido de iniciativa nunca antes vista, tentou subir de qualquer jeito ao andar onde a namorada estava, sendo barrado pelos seguranças da clínica e causando uma grande cena na área da recepção. A coisa toda complicou ainda mais quando o chefe da segurança dos Refaeli, o Sr. Roger Slater, acompanhado de mais guarda-costas da bilionária família, desceu pessoalmente para resolver a situação:
— Eu tenho ordens para impedir quem quer que seja de entrar na área onde a garota encontra-se! Então, nem eu nem meus homens deixaremos qualquer um aqui subir!!!
— Você sabe que eu sou namorado dela!
— Era. — Roger disse.
— O que você quis dizer com isso?!! — Axl se exasperou ainda mais e tentou novamente passar pelos homens para ir atrás de sua amada.
— Você não vai subir, rapaz!!! — Roger o empurrou.



— Você tá louco, maluco? Encosta nele de novo que você vai se ver comigo!!! — Gi ameaçou, revoltada diante da cena.
Então Makena e Batera trataram de tentar acalmá-la (mesmo os dois também estando muito irritados). No entanto, ao focar a atenção na tecladista, eles não puderam intervir a tempo quando Dave foi para cima de Roger e o empurrou com força, tentando intimidá-lo:



— ENCOSTA NO MEU PRIMO DE NOVO, VAI!!!



— Se vocês não saírem daqui agora, por bem, nós vamos chutá-los daqui! — Roger disse, impassível.
— Tenta. — Dave respondeu, na raiva.



— Pessoal, esperem! Muita calma nessa hora, ok? — Makena interveio. — Estamos em uma clínica. Há muitos pacientes aqui. E também há muitas pessoas com a cabeça quente e preocupadas também. Alguns tentando fazer seu trabalho, outros tentando apenas saber a evolução do quadro de alguém querido. Então, vamos todos respirar fundo e nos acalmar, ok?
— A Sr.ª Marit Refaeli deixou bem claro que não quer que ninguém suba ou que receba mais informações sobre sua filha. E estamos aqui para cumprir essa ordem. — Roger disse, sério.
— Dave, vamos todos embora. — Makena pediu. — A mãe de Isabella tem o direito de ficar a sós com a filha neste momento difícil... Precisamos ter noção e paciência. Não vai adiantar ficarmos aqui agora.




— Axl?... — Dave olhou para o primo, deixando claro que o vocalista é quem deveria responder à proposta de Makena.
— Ok,... Tudo bem... Nós vamos embora... Mas, antes,... — Axl então pegou os DVDs que tinha trazido e os entregou para Roger: — Pode entregar isso à Sr.ª Marit e pedir que ela faça com que Bella os ouça? Esse aqui tem uma música inédita para nossa banda... Eu tenho certeza de que ela vai amar essa nova canção. — Ele disse, esperançoso.
— Claro. Pego sim. — Ele pegou as caixinhas, abrindo-as uma por uma e tirando os discos de dentro; ele dava as caixas para um de seus homens segurar e deixava os DVDs nas mãos de outro. — Sabe como é... Preciso verificar se não há algum recado indesejado dentro dessas capinhas.
— Tudo bem... — Axl disse, meio constrangido.



No entanto, quando Roger terminou de “averiguá-los”, do nada, pegou os DVDs das mãos do sujeito que os segurava e começou a quebrá-los, jogando-os, em seguida, no chão, pisando neles, enquanto dizia:
— Tenho certeza de que essas porcarias não serão úteis nem para serem tocadas no funeral da garota!



Todos ficaram tão chocados com aquela cena, com a atitude daquele homem, que, por alguns segundos, nenhum deles teve uma única reação que não fosse a de completo espanto!



— O que foi? Vai chorar? — Roger perguntou, irônico. E, ao ver a cara de Axl, ele soube que, quando contasse a Nickollas sobre aquela cena, esse certamente lhe daria um bônus vultoso em Simoleons.




E, ao mesmo tempo, todos os outros protestaram:
— Gente! Ninguém vai fazer nada, uai?!! — Samara indignou-se.
— Não sei vocês, mas vou quebrar esse cara agora. — O Batera falou, já indo na direção do cara, junto com Gizella, que dizia:
— Se um de vocês me segurar agora, vai tomar tapa, hein!
— Nenhum de vocês vai fazer coisa alguma! — Makena interferiu novamente, ficando, por alguns instantes, na frente dos dois.




— Mesmo porque quem vai resolver isso sou eu! — Dave disse.
No entanto, quando ele fez menção de ir na direção de Roger, foi barrado pelo vocalista:
— NINGUÉM VAI FAZER NADA!!! — Ele explodiu. — Mesmo porque, agora, quem vai resolver meu próprio problema sou eu! — Axl disse, olhando feio para Roger e deixando todos seus amigos impressionados com aquele seu comportamento completamente inusual.
— Acha que pode me derrubar? — O chefe dos guarda-costas gargalhou. Então ele olhou para seus subordinados e disse: — Ninguém se meta nesta luta, entenderam?
— Sim, Senhor! — Os sujeitos responderam.
— Pode vir, moleque! — Roger sorriu com desdém, despreocupado.





E Axl realmente foi para cima, sob os olhares ainda espantados dos amigos, que nunca, nunca, NUNCA o tinham visto se envolver, voluntariamente, em um confronto físico como aquele!
— Gente, não tô crendo no que tô vendo! — Gi murmurou.
— Quando eu contar isso para o Joe, ele vai dizer que eu bebi. — Makena disse. Seu normal seria tentar impedir a situação, mas a perplexidade da situação a dominou.
— Aff, gente! Alguém entra ali e ajuda o Axl! — Samara pediu, preocupada com ele.
— É uma luta honrosa, oh! — Batera reclamou com ela. — Se alguém aqui se meter, será perdida a respeitabilidade do primeiro momento de atitude do nosso vocal, moça!
— O cara é chefe de segurança. Ele vai quebrar o Axl, véi. — Dave disse, preocupado.
— Faz parte. Quem entra pra bater tem que estar preparado pra apanhar também. — Gi respondeu, sem tirar os olhos da briga.



Briga essa que não demorou muito a ser findada, visto que a experiência em pelejas, de Roger, era muita!



— Espero que tenha aprendido a lição, garoto! Agora trate de se meter com quem é da sua laia e se mande daqui com essa sua gentalhinha repugnante! — Roger disse de forma que apenas Axl ouviu.
— Apanhou, mas mandou bem, Axl!!! — O Batera comemorou, apesar das circunstâncias.
— Vamos pegar meu primo e cair fora, pessoal. — Dave disse, sério.



E, assim, saíram de lá, com Axl triste, arrasado e humilhado.




De volta ao momento atual.



— E foi isso que aconteceu. Saímos da clínica e fomos todos pra casa. Todos nós muito abalados, mas ele... Ele está bem pior...
— Que horror! Tadinho! — Elle exclamou. — Mas você não devia tê-lo trazido para cá. Esse garoto precisa dos cuidados de um psicólogo! Talvez até de um psiquiatra!



— Ele está um pouco perdido entre o mundo na cabeça dele e o nosso... — Dave explicou. — Ainda assim, ele fez questão de vir.
— Ele não devia ter vindo...



— Axl me disse o quanto Cabello era importante para Batata... Então ele me falou que, mesmo com a situação de Bella, ele precisava estar presente.



— E como ela está? — Elle perguntou, preocupada mais por Axl, já que não tinha conhecido a namorada dele.



— Então,... O baterista da nossa banda, que você não conheceu,...
— Josh Batera? Conheço sim, querido. Foi até ele que indicou vocês para os Vatore. Quem não conhece o Batera? Ele é gato demais para passar despercebido, chuchu. — Ela então sorriu discretamente, lembrando-se de alguns momentos quentes que passou com ele tempos atrás, quando ainda não era famosa.
— Pois! — Dave continuou. — O Batera tem um amigo que é primo de um enfermeiro que trabalha na clínica. Daí, através desse cara, ele descobriu que Bella está em estado de coma profundo e que a mãe dela a carregou para o Terceiro Império nessa madrugada. Pelo visto, ela quer a filha bem longe do Axl... E sobre o estado de saúde dela, é só isso que sei te dizer... O Batera é que sabe explicar direitinho o que houve com ela... Só sei que teve a ver com um quase afogamento...



— Nossa!... Sinto muito por isso... — Elle disse, realmente triste por ouvir tudo que ele contou.



— Mas ela vai ficar bem... Logo ela acorda. Pelo menos é o que esperamos. — Dave disse, preocupado com a amiga. E então mudou o assunto: — E sobre o rapaz chamado Cabello? O que houve?



Batata estava inconsolável. Não se conformava que seu amigo tivesse partido.



— Cabello foi assassinado. Vou resumir a ópera para você: ambos eram criminosos, mas Batatinha resolveu mudar de vida; está trabalhando até como meu segurança particular, na minha banda; já Cabello, esse preferiu continuar aprontando por aí... Parece que aceitou uma encomenda de assassinato a ser executado no Segundo Império; e isso por debaixo dos panos, sem a tal “Irmandade”, aquele grupo de criminosos, saber... Mas daí eles descobriram que ele estava “operando” pelas costas deles. Resultado? Aqui estamos.
— Caramba, que triste!...
— Só fico com pena de Batata, que tinha esperanças que o amigo mudasse de vida. Mas de Cabello? Colheu o que plantou. Mesmo porque, se ele executou mesmo alguém no Segundo Império, imagina como a família dessa pessoa não deve estar sofrendo agora!... — Elle disse, mais séria.
— Como é que meu primo foi conhecer esses dois, hein?
— Relaxa. Axl não está metido com nada errado. A história é longa e não convém que seja contada agora. Então, fica de boa, tá? Esse garoto é um amor. Se não fosse por ele, eu não teria voltado a cantar tão cedo.
— Beleza...



— E sobre Cabello, é isso. Mas toda escolha tem uma consequência, né? Fazer o quê?... — Ela o olhou.
— É... — Dave suspirou, pensando na própria vida agora, enquanto via o Conselheiro se aproximar de Axl e de Batata.



— Tom, Axl,... — O velho homem disse. — Sei que este é um momento difícil, mas se precisarem de ajuda, podem contar comigo e com todos que trabalham aqui no nosso templo.
— Obrigado, Sr. Milo Parson. — Axl respondeu, meio no automático.
— Podem me chamar apenas de Milo. Sem formalidades, por favor. — Ele sorriu.



— Também agradeço pelas palavras para e sobre Cabello, Milo. — Batata disse, abraçando o homem, emocionado.
E o sacerdote sorriu: — Que agora, no plano superior, seu amigo esteja em paz, Tom. E lembre-se de que, apesar das aparências, o Grande Prisma e seus anjos estão sempre no leme. A questão é que nós, Sims, envolvidos por nossas emoções, temos dificuldades para entender isso. Mas confie: tudo é para nosso melhor.
Já Axl apenas escutava, calado. Ele não parava de pensar em Isabella e na confusão do dia anterior.



Então Milo despediu-se rapidamente dos dois e seguiu na direção do Grande Salão da igreja, onde as reuniões eram feitas todas as noites.
Tom já sabia que, em breve, o pessoal autorizado pegaria o caixão para levá-lo ao crematório do local. Ele pretendia jogar as cinzas de seu amigo em um lugar específico do mar de Island Paradise, no Terceiro Império, para onde iria com Elle e onde Cabello sempre dizia que um dia moraria.



Quando Milo se afastou, após acenar, com um sorriso simpático no rosto, para Dave e Elle, esses dois finalmente se levantaram.



Ela primeiro abraçou Batata, fortemente; os dois estavam namorando sério, apesar dela não admitir isso publicamente, já que queria manter sua vida particular longe das câmeras o máximo possível.



Em seguida, Elle se aproximou de Axl e o abraçou também.



— Você não precisava ter vindo, Axl... — Ela disse.
— Precisava. — Sua voz estava baixa; ele, meio apático.




— Obrigado, amigo. — Batata disse, indo até o vocalista e abraçando-o. — E fica tranquilo que logo Bella acordará e ficará tudo bem.
— Valeu, brother. — Axl respondeu.
— David, toma conta desse garoto, hein! — Elle disse, séria, só para o baixista ouvir.
— Dave. — Ele apenas a corrigiu, mais uma vez.




Assim, após despedidas, logo a cantora e seu namorado saíram em direção ao interior do templo, onde Batata ainda queria fazer mais algumas orações pelo amigo que tinha perdido.
Enquanto isso, lá fora, Dave chamava o primo:
— Vem cá, Axl.



Então os dois se sentaram na fonte próxima, onde ficaram alguns segundos em silêncio.



— Escuta, Axl,... Você pensou sobre o que te falei?...
— Você me falou tantas coisas...
— Sobre a gente voltar para Brindleton Bay, passar um tempo com a vó, dar um tempo da banda...
— O Mamau me disse que a Bella não iria gostar da gente parar de tocar, já que minha amada ama música. E eu vou escrever algumas canções sobre ela... Logo ela vai acordar e ouvi-las... — Ele suspirou, lembrando-se dos DVDs destruídos.
— Vai ser apenas um intervalo, ok?... E, assim que você estiver bem, a Nordic retorna...



— Você acha que eu não estou bem?... — Axl olhou o primo.
— Acho... Acho que faz tempo que você não está legal... Desde que a gente te encontrou, na verdade. E, se voltarmos para a casa da vó, podemos alugar nossos quartos na nossa casa em San Myshuno e usar a grana para você retornar ao teu tratamento com o psicólogo. Acho que você precisa, man.
— Eu só preciso da minha namorada, Dave.
— Que você sabe que foi levada, pela Marit, para outra nação.
— Eu sei... — Ele segurou as lágrimas. — Minha sogrita deve estar com tanta raiva de mim... E eu a entendo... Ela está certa... Eu sou um péssimo namorado, Dave!...
— Não fala bobagem, ok?... Além do mais, está tudo muito recente, primo. Precisamos deixar as coisas esfriarem... Então você precisa ser paciente. E, enquanto espera pela Bella, você precisa se cuidar. Ela vai precisar de você bem. Ou você não quer ser um cara melhor para cuidar de todas as pessoas que ama?...



Axl respirou fundo e então disse:
— Me deixa mais alguns minutinhos sozinho aqui para eu conversar com o Mamau e ver o que eu decido?...
— Deixo sim. Mas pensa direitinho, ok? Vou ficar te esperando no carro. — Samara tinha deixado seu veículo com Dave para que os dois fossem lá.
— Beleza. Obrigado.



Dave então se levantou e deu um forte abraço no primo.



Em seguida, saiu.



Então Axl pegou sua planta de estimação e deixou-a ali pertinho dele. Em seguida, pegou uma moeda e a jogou na fonte.
— Eu desejo que minha Bella acorde, sentindo-se bem, e que ela volte logo pra mim.
-- Três pedidos em um não valem, Axl. -- A voz grossa da planta se fez ouvir perfeitamente em sua mente; era bem parecida com a voz do falecido pai do vocalista.
— E se eu jogar mais duas moedas?... Daí ficam três...
-- Mas daí você estaria roubando, garoto!



— É que eu só queria que ela voltasse...
-- Acha que jogar moedas numa fonte vai trazê-la de volta? Por favor, né! Me poupe, se poupe, nos poupe.
— Eu... — Ele ficou tão sem graça que não soube o que dizer.
-- Além disso, você deveria parar de falar sobre mim para as pessoas, antes que elas pensem que você está louco. Vão te trancar num manicômio e jogar a chave fora, garoto.
— Mas se eu te escuto, você é real, não é, Mamau?...
-- Pode ser que sim. Pode ser que não. Lembra que isso aconteceu uma vez? Com o Duque, o teu cachorro; aquele pulguento não parava de falar contigo, não era?
— Não fala assim do Dudu. Ele conversou comigo quando eu não tinha mais ninguém...
-- Exatamente como estou fazendo agora, não?... Talvez o Duque e eu sejamos a voz da tua consciência projetada em seres nos quais você confia. Por isso nós somos um pouquinho mais inteligentes, enquanto você é meio “porta”. Mas quem sou eu para afirmar isso, não é? Sou só uma planta! E, sendo assim, acho que você precisa seguir o conselho do teu primo e procurar ajuda mesmo. ♫ Tá doido, tá doido, tá doido, tá doido! ♫ -- Ela cantarolou.



— Então você acha que eu sou doido, Mamau?...
-- Quem vai confirmar isso é o especialista. Eu apenas estou apostando minhas fichas nessa opção.
— Beleza. Mas sua teoria deve ser furada, pois eu não sou sozinho agora, como eu era quando estava nas ruas... Eu não teria porque te “criar” agora... Eu tenho o Dave, a vó, a Gi, o Batera, a Makena, o Big Joe,... A minha Bella... Eu não teria porque te criar! — Ele repetiu, meio aflito.



-- Tá, tá, tá! — Mamau falou, com impaciência. -- Mas não finge que nós dois não sabemos o que você esconde nessa alma, ok?...



— Eu não sei do que você tá falando... — Ele olhou para baixo, triste.
-- Você não se lembrar não quer dizer que não está aí dentro dessa cabecinha momentaneamente oca. Agora me coloca em cima daquele túmulo e joga uma moeda naquele poço ali, vai. Sei que acredita nessas crendices de poço dos desejos e blá-blá-blá. Então vai lá e deseje para si mesmo muita tranquilidade, porque para lidar com o que está enterrado nesse coração aí, você vai precisar.



Então ele fez como “Mamau” (ou como sua “voz interior”) lhe pediu.



O que acontecera com Isabella (e ele culpava a si mesmo por isso), tinha resultado em um violento impacto no vocalista, deixando-o bem assustado com tudo que estava sentindo. Dores do passado retornavam; e ele seria obrigado a lidar com elas.




Três dias depois.
No Festival de Música de Newcrest.




— Boa noite, pessoal! Nós somos a Nordic Lhama e vamos agitar o final desta primeira noite deste incrível festival! Prontos?!! Vamos lá!!!


[Música de cena: Guns N' Roses - You Could Be Mine]



Eles então começaram a tocar, animando os Sims que estavam ali; muitos deles acampados no local e que tinham curtido as várias bandas, dos mais variados estilos, que se apresentaram ao longo de todo aquele dia, que era o primeiro dos cinco do evento! E a Nordic tinha sido contratada para fechar aquela noite.



Mais cedo, no mesmo local, antes deles tocarem, algumas situações tinham se desenrolado. Uma delas foi Axl ter apresentado Richard Geffen à banda; mas, depois, acabou que apenas o vocalista, Dave e Big Joe (que estava ali para prestigiar o show dos amigos, sem a esposa Makena, pois ela tinha ido visitar os pais) ficaram conversando com o pretendente a produtor/empresário.




Um pouco mais cedo,...



— Me deem licença, mas preciso curtir esse som! — Big sorriu, depois de um tempinho de conversa leve, deixando os três ali.
— Mas então, Dave! — Richard iniciou o assunto que o tinha levado até lá. — Sei que esse é um momento complicado para Axl, por conta do que houve com a namorada dele, mas achei muito profissional vocês terem mantido o contrato de hoje. Sei que fazer essa apresentação não será fácil para o Axl e...
— Somos todos amigos da Isabella. Não será fácil para todos nós... — Dave disse, mais sério agora. — E, por mim, nós não tocaríamos aqui hoje, mas...
— Mas eu pedi que tocássemos. — Axl disse. — Bella ama música e sei que ela iria querer nos ver aqui. Além disso, pedi para Big gravar tudo para eu mostrar para ela depois...



— E você já mostrou aquela música que gravamos para sua banda, Axl? — Richard perguntou.
Então o vocalista suspirou, triste... Richard tinha lhe ligado no dia seguinte a sua ida ao hospital, pois queria saber se estava tudo bem, como estavam as coisas. Axl lhe contou sobre o estado de sua amada, mas nem se lembrou de contar o que tinha acontecido com o DVD...
— Richie,... — Axl tirou um pouco os cabelos da frente do rosto, antes de falar: — Eu me passei de te contar, man... O chefe de segurança da minha sogrita quebrou todos, inclusive aquela que tinha a música que gravamos...



— Você tá de brincadeira! — Richard não queria acreditar.
— Sinto muito. Foi tudo tão rápido que fiquei sem reação e... — Axl se explicou, sem jeito e sentindo-se culpado.



— Não foi tua culpa, primo! — Dave disse, já o defendendo. — O tal do chefe de segurança da Marit é que é um otário!... Mas você tem a música no HD do teu pc, não é, Richard? — Dave perguntou.



— O HD queimou e eu o joguei fora no mesmo dia... — Richard disse. — Agora já era...



— Já era nada! Eu me lembro de cada segundo daquela canção! — Axl sorriu. — Inclusive acrescentei aquele riff que você criou muito tempo atrás, na fazenda da vó, Dave!
— A memória musical do Axl é realmente impressionante! Então, pode acreditar que não perdemos o som, Richard. — O baixista ficou feliz ao ouvir aquilo.



— Então isso quer dizer que vocês gravarão comigo? Posso ser o empresário e produtor da banda? Ainda não sou nada no meio da música, mas sei como agir para logo me tornar um. E eu vejo um brilhante futuro com vocês. — Richard disse, confiante.
— Então,... — Dave olhou para o outro lado. Aquele era um momento sonhado por todos da banda, mas, em sua visão, era o momento certo na hora errada.



— Richard,... — Dave o olhou. — A nossa banda resolveu dar um tempo e não sabemos quando retornaremos... Eu e Axl estamos de mudança para Brindleton Bay amanhã cedo. Vamos passar algum tempo lá. Essa noite é praticamente nossa despedida aqui.
— Entendo... — Ele suspirou, conformado. — Mas posso pelo menos lhes pedir que, caso retornem, me procurem? E quero o contato de vocês.



— Olha, a gente te procura sim. — Dave trocou contatos com ele e, depois, se levantou. — Foi um prazer te conhecer, man. E obrigado pela força que deu a meu primo.
— Imagina! De nada. E sucesso na apresentação daqui a pouco. Assistirei!



— Falou! — Dave sorriu, saindo dali. O baixista pretendia finalmente conversar com Gizella, antes do show.



Ela dançava com Hadi ao redor da fogueira.
— Gostei de trabalhar com vocês hoje. O trabalho mais curto do mundo, mas tudo bem. — Ele riu.
— Pensa positivo: pelo menos você teve um dia de roadie conosco!
— Nada a ver vocês darem esse tempo. — Ele reclamou. — Bella não ia gostar disso.
— Entendo sua frustração, baby, mas a saúde mental de Axl em primeiro lugar. E com isso, Bella certamente concordaria. Além do mais, não é algo definitivo. Voltaremos quando ele estiver bem e com certeza você será nosso roadie querido do coração. Beleza ou quer mais? — Ela riu.



Então Dave se aproximou, com um sorriso meio sem graça no rosto:
— Será que podemos sentar e conversar um pouco, Gi?... Só eu e você?...
— Assunto da banda? — Ela perguntou, direta.



— Se for sobre a banda, como roadie oficial, quero participar da conversa, tá? — Hadi disse, todo sério, mas na zoeira.
— Não é sobre a banda... É pessoal, entre mim e ela, man. — Dave disse, de boa. Ele não estava no clima para brincadeiras naquele momento.



— Pessoal? Não tenho nada assim para conversar contigo, Dave.
— Por favor, Gi,... — O baixista insistiu.
Então ela olhou para cima, por alguns segundos, como quem pensava no que iria responder, então disse: — Ciiiiinco minutinhos. Tá vendo aqui meus dedinhos, Dave? Um, dois, três, quatro, cinco! Cinco minutinhos. Use-os com sabedoria. — Falou, em tom de ameaça.
— Ok, ok! Vamos lá!... — Dave disse, ainda mais sem jeito.



Então os dois pediram bebidas e se sentaram em uma mesa próxima; e, após alguns segundos de um silêncio constrangedor, ele começou:
— Me desculpa por eu ter sido um babaca com você?
— Hmmm... Se aprofunde. — Ela disse, agora bem mais na dela.



— Eu e você estávamos ficando direto, dei todos os sinais de que queria algo mais sério contigo... E, na verdade, eu queria, ok?... Mas então,...
— Mas então...?
— Então a Samara chegou, mexeu comigo, porque temos uma história antiga,... E daí eu fui um babaca com você.
— Ok. E...?



— Como assim “e”? — Ele perguntou, meio sem entender. — Tô te pedindo desculpas, Gi. Estou admitindo que errei. Eu só gostaria que a gente ficasse de boa...



— Dave, você sabe quanto tempo já se passou desde que a Samara chegou e você me tratou como um nada na frente dela? Daqui a poucos dias, vai fazer dois meses. Então, sinceramente? Não estou entendendo esse teu pedido de desculpas agora.



Então ele abaixou um pouco a cabeça, meio envergonhado, e disse:
— Porque você se afastou demais de mim depois daquilo e, claro que eu entendo o porquê, mas... Eu senti sua falta, Gi...
— Conta outra, Dave! “Sentiu minha falta”? — Ela riu, nervosa. — É muita cara de pau sua vir me dizer isso! E quase dois meses depois daquela palhaçada! Então, cresce, garoto! O Axl, apesar de todos os pesares, e até o Batera, apesar de toda a galinhagem, são muito mais homens que você! Porque pelo menos eles respeitam as gurias que estão com eles! Mas você?!... — Então ela respirou fundo para não dizer mais coisas. Estava a ponto de explodir.
— Gi, sério,... Diz que me desculpa...
— Olha, eu até entendo você ter tido um lance com aquela garota e o retorno dela ter mexido contigo, afinal, ninguém manda no coração. Mas você devia ter conversado comigo logo. Não esperado tanto tempo. Podia ter tido consideração pelo menos pela amizade que tínhamos. Mas nem isso você teve. Se comportou como um moleque babaca!



— Eu sei, eu sei! E é por isso que estou arrependido! Eu não queria ter agido dessa forma com você! Por favor, me desculpa, vai!
— Vou te oferecer a minha sinceridade, beleza? É a única coisa que posso te dar, porque ainda estou muito magoada contigo para te desculpar. Então, aí vai: por enquanto, quero distância de você, Dave. E esse intervalo da banda veio no momento mais adequado possível.
— Eu fico feliz que você não tenha saído da banda por minha causa...
— E por que eu sairia por sua causa, Dave? Acorda! Você não é o centro do meu mundo. A Nordic também é algo meu. E, por isso, estou mantendo o profissionalismo contigo. — “No lugar de quebrar meu teclado na tua cabeça!”, ela pensou. — E agora? Resolvidos? Tudo às claras? Mais alguma coisa a dizer?



O baixista ficou alguns segundos em silêncio. Então disse:
— Eu tenho mais uma coisa a dizer sim... Gi,... Ontem eu pedi a Samara em namoro. Eu preciso viver com ela, agora, o que eu e ela não vivemos no passado. E, olha, eu acho você linda... Você mexe comigo, Gi. Mas eu sabia que tinha que fazer uma escolha e, como Sami estava vivendo com a gente esses dias, a gente se aproximou mais e... — Ele respirou fundo. — E agora estamos juntos.
— Porque estão vivendo juntos, se aproximaram mais. Ok. Conheço essa história, Dave. Muito bem, por sinal. — Gi disse, “de boa”.




Poucos minutos antes desse ponto da conversa entre Dave e Gizella, Samara acordou na área reservada para as bandas. Ela tinha passado o dia arrumando as malas para retornar a Brindleton Bay e estava cansada, então, tinha dado uma breve cochilada ali, aproveitando o tapete e as almofadas. Depois, fez um lanche rápido, já que a produção do evento tinha deixado alguns comes e bebes para os músicos e seus convidados, e, em seguida, ela saiu à procura do baixista.



E não foi com surpresa que ela os avistou conversando. Dave já tinha lhe dito que iria procurar a tecladista para resolver o clima estranho que existia entre os dois. Mas não que Sami não tivesse sentido ciúmes; a questão é que ela sabia se controlar bem, quando queria, e preferiu não criar conflitos no início daquele relacionamento amoroso. Ainda assim, decidiu que se aproximaria, que Dave e Gizella não precisavam ficar conversando tanto.




Samara chegou a tempo apenas de ouvir a seguinte parte do diálogo:
— ... Conheço essa história, Dave. Muito bem, por sinal. — Gi disse, “de boa”.
— Licença,... — Sami os interrompeu. — Espero não estar atrapalhando...
Dave tinha visto a namorada se aproximando, mas, àquela altura da conversa, ele sabia que o assunto ali já estava encerrado. Ficou quieto.




— Atrapalhando? — Gi disse. — Tá não, querida. E já vi que vocês combinam muito: se dão importância demais. Sejam felizes, viu. Aproveita e fica com o resto da bebida também. — Ela se levantou.



— Gostei da sua blusa. — Samara disse, baixinho, só para Gizella ouvir, com uma voz amigável, quando a tecladista passou por ela. Sua intenção era perturbar.
— Cuidado com a vida, Samara. Tudo que vai, volta: tanto o bem quanto o mal. — Gi então saiu de perto dos dois.



— Você tá com uma carinha péssima, Dado... A conversa não foi muito boa, né?... — Samara perguntou, fingindo preocupação com a amizade dele e de Gizella.
— É... Mas eu a entendo... Não posso culpá-la por isso... — Ele falou, triste.



— Vem cá... Não fica assim não... — Ela o abraçou. “Mesmo porque essazinha é passado agora, meu bem! Você é meu.”, ela pensou, com um sorriso de vitória no rosto.
— Obrigado por toda a força que você tem nos dado, Sami... Principalmente depois do que houve com Bella...
— Não precisa agradecer, ok?... Estarei sempre aqui pra você...
E os dois se beijaram.





— Agora olha a hora! — Ela disse. — Temos trinta minutinhos antes de vocês começarem a tocar. — Havia sempre um intervalo de uma hora entre uma banda e outra. — O que acha da gente dar uma sacada num arbusto que tem atrás do palco, hein?... — Samara sorriu.
— Sabe que achei uma ótima ideia? — Ele disse, um pouco mais animado.



E logo os dois correram, juntos, em direção ao local planejado.



Enquanto isso, Gizella se acalmava soprando bolhas com essência de “Poção de Maracujá”. Não demorou muito a ser notada por Hadi.



— Ei, Gi, tá tudo bem? Que cara é essa, garota? — Ele perguntou.
— Tá tudo beleza. — Ela disse, sem conseguir esconder a cara de tristeza.
— Quer que eu sente aí contigo? Quer conversar?



— Nops. Quero soprar minhas bolhas sozinha, Hadi. Por que você não dá uma última olhadinha nos nossos equipamentos e instrumentos? Vê se tá tudo direitinho, se precisamos de algo,... Você é o roadie, não é? — Ela falou de boa, apesar da cara.
— Beleza, beleza. Já entendi. Deixa eu ir nessa... Mas espero que fique bem. Qualquer coisa, me chama aí.



E logo Hadi estava no palco, dando uma checada em tudo, enquanto, atrás do palco, Dave e Samara se divertiam.



Poucos minutos depois, o celular de Gi vibrou. Era uma mensagem de um rapaz com o qual ela estava conversando online havia alguns dias; eles tinham se conhecido em um jogo multiplayer que ela amava: o “League of Sims”. E, sobre os dois, nenhum deles sabia o nome um do outro e praticamente só falavam do jogo. Chamavam-se por seus nicknames: ela, Trixie; ele, Midas.
Boa noite, Trixie. Se estiver online, me diz um oi!”, ele escreveu.
E ela hesitou por alguns segundos, mas acabou respondendo:
Boa noite, Midas.”.
A fim de jogar? Eu tenho meia hora livre agora.”.
Agora não dá... Mas bem que eu queria.”.
Nem pode conversar um pouquinho? Já viu o novo equipamento que eles disponibilizaram para venda na loja? Uma armadura nova muuuito legal!”.
Desculpa, Midas, mas não estou muito a fim de falar de jogo agora. Melhor você procurar outra pessoa para conversar sobre isso...”.
Hmmm... Tá tudo bem, Trixie? Não me faria mal algum falar sobre outros assuntos... Quer tentar? Só me dizer como foi seu dia. Vai. :)”.



Meu dia foi até legal, mas minha noite está um lixo agora. Um carinha que eu gostava, e que eu considerava meu amigo, foi um babaca comigo. A gente estava ficando, um amor antigo dele reapareceu e eu sobrei. Essa parte até entendo, mas ele podia ter conversado comigo antes, não depois de quase dois meses após ele ter me tratado esquisito na frente dessa guria, que agora é a namorada dele. Pronto. Falei.”. Gi não era muito de se abrir fácil, mas como os dois não se conheciam, ela se sentiu mais à vontade para “explodir” escrevendo sobre o que a incomodava.
Uau! Uma resposta sincera! Obrigado pela confiança.”.
Não agradeça. Eu realmente teria escrito isso para qualquer pessoa que me perguntasse como foi essa droga de dia.”.
Kkkkkkkk... Você é ótima, Trixie. Mas não fica triste, vai... Se essa porta se fechou, outra melhor vai aparecer na sua vida. O que é teu tá guardado. Não são essas coisas que dizem?”.



Tá me dizendo o que te dizem ou o que você realmente pensa?”.
Eu penso que todos nós já fomos babacas com alguém em algum ponto de nossas vidas. Ou sem querer, ou por inexperiência; alguns, por falta de caráter mesmo. Então, releva. Esquece o babaca, vai. :)”.
Ok, moço. Tá bom. Agora vai nessa procurar uma galera para você jogar, vai. Não quero atrapalhar sua noite. Mesmo porque, daqui a pouco, preciso ir também.”.
Horário para dormir? Quantos anos você tem? O.o”.
19. E você?”.
21. Mas então,... Quer ficar conversando aqui comigo até seu horário de ir dormir? xD :P :)”.
Bobo! Rs... É que daqui a pouco eu preciso trabalhar.”.
 “Eu estou trabalhando também! :)”.



Você trabalha com o quê, Midas?”.
Qual o seu trabalho, Trixie?”.
E Gi sorriu ao ver que os dois tinham perguntando a mesma coisa ao mesmo tempo, embora esse tipo de pergunta fosse esperado nesse ponto da conversa.
Melhor eu não falar sobre o que faço. Mas relaxa: não é nada ilegal, imoral ou bizarro. Pelo contrário! É muito legal e divertido. :)”. Ela decidiu não falar nem sobre a banda nem sobre seu trabalho como Guia de Turismo. Vai que o maluco resolvesse aparecer ali!
Ok. Bem, eu procuro oportunidades para ganhar alguns Simoleons...”.



— Tadinho! Deve estar desempregado. Espero que arranje um emprego logo. — Ela disse, baixinho. Então escreveu: “Bem, espero que ache todas as oportunidades que procura, Midas.”.
Obrigado, Trixie.
Ela então olhou o horário: “Olha, tenho que ir agora. Preciso trabalhar.”.
Podemos conversar mais depois?... Gostei de você.”.
Hmmm... Apesar dessa ser nossa primeira conversa que não é sobre jogo, também posso dizer o mesmo. Não sei como, mas você fez eu me sentir melhor.”.
Acho que é porque você meio que ‘jogou’ tudo que estava sentindo em cima de mim! Rs... E isso não foi uma reclamação, tá? xD :D :)”.



Não vou pedir desculpas por isso. :P”.
Então, por eu ter sido seu ouvido-amigo hoje, ou melhor, seu olho-amigo, já que li tudinho que escreveu e com muita atenção, promete que vai conversar comigo de novo em breve, vai.”.
Vou pensar. xD”.
Ah, diz que sim, Trixie, vai! :)”.
Ok. Me ganhou com o sorriso. ;)”.
:D Então, bom trabalho aí e fica bem. A gente conversa mais em breve. :)”.
Combinado, Midas. Bom trabalho para você também! Se cuida. Fui. :)”.



Então ela se levantou e seguiu em direção ao palco, sentindo-se mais tranquila.



— Que transformação repentina foi essa, hein? Já tá com outra cara! — Hadi deu uma zoada. — Ou essa essência de “Poção de Maracujá” faz efeito rápido ou você ligou para a Linha Direta Antitristeza. — Ele riu.
— Exatamente! E eles são ótimos! Agora, deixa de enrolar e vamos nos preparar que daqui a pouco a Nordic toca! — Ela disse, mais leve.



Ao mesmo tempo, em San Myshuno, no intervalo de uma importante reunião de negócios, Terry Russell, sentado no sofá e lendo alguns pontos importantes sobre o tópico que breve seria retomado pelos poderosos Sims presentes no local, percebeu o sorriso na cara de seu grande amigo Liam Walton.
— Vou jogar um verde: parece que a fila andou, não é meiiixmo? — Terry zoou, falando baixinho, de forma que apenas o outro empresário ouvisse.



— Oi? — Liam sorriu, sem graça, se fazendo de desentendido.
— Esquece! — Terry riu. Ficou feliz de ver o amigo parecendo mais feliz, já que, após Elenor ter terminado com Liam poucos dias atrás, esse ficou bem para baixo. Mas, após alguma insistência de Terry, ele tinha decido parar de se lamentar e retornar ao trabalho; e era isso o que estava fazendo naquela noite.



Assim, naquela pequena pausa, ele aproveitou para se distrair um pouco. Liam andava jogando “League of Sims”. Mas sua turma de amigos não poderia descobrir sobre isso, incluindo Terry, caso contrário, ele “correria o risco” de ser tachado de “nerd” e de ser excluído do grupo por Nickollas Refaeli. O próprio Liam bradou, por muito tempo, que não curtia o mundo nerd, o mundo geek, até o dia em que foi à GeekCon com Isabella, onde participou de uma maratona de hacking*. Depois daquele evento, ele se apaixonou por computadores e jogos. Mas aquele era seu segredo.

* Nota: veja o Liam na GeekCon no capítulo 2 desta história.



Então, quando procurou alguém online para jogar naquela noite, usando seu nickname (“Midas”), ele acabou conversando com “Trixie”; e aquele rápido papo o deixou com uma sensação boa.
Trixie me pareceu ser uma garota bem legal. Será que é gostosa? Se nossas conversas forem pra frente e surgir um interesse mútuo, me aproximarei dela da maneira correta, para não assustá-la, como aconteceu com El... Mas espero que ela seja bem gata e patricinha, tipo a Bella! Mulheres como Elenor são difíceis demais! Quero mais não!...”, ele pensou.



De volta a Newcrest, já bem próximo do momento de subir ao palco, Batera estava ficando, novamente, com Milana. Havia um tempão que estavam os dois naquele cantinho. Conversavam, se abraçavam, até dançavam um pouco as músicas tocadas pelo DJ, e, claro, trocavam muitos beijos.



— Nossa! Hoje você está sendo um príncipe comigo, Babá...
— Babá?!! — Ele tomou um susto ao ouvir aquilo. E riu. Muito.
— Para de rir, tonto! Babá é meu apelido carinhoso para você, já que você é o meu Batera, meu Baterinha, meu Babá... — Ela disse, alisando o rosto dele com carinho.



— Mil, não faz eu me arrepender da gente junto aqui, vai! — Ele disse, de boa.
— Mas todo casal tem apelidinho! Você me chama de “Mil”. Eu te chamo de “Babá”.
— Tá bom. Tô indo nessa. Depois a gente se vê. Fui! — Ele zoou, fazendo menção de sair, mas ela o puxou de volta, rindo.



— Ok, ok! Josh, Joshinho, meu lanchinho! Meu, meu, meu! Parei, parei, parei! — Ela riu, agarrando-o. — Mas admite, vai! Se não fosse divertido estar comigo, você não estaria aqui agora nestes braços.



— Mil...
— “Mil, não quero nada sério. Mil, tô sendo sincero. Mil, isso. Mil, aquilo. Mil, Mil, Mil!”. — Ela riu, imitando-o. — Eu acho é que você já ama o meu nome. Logo vai estar me chamando de amor. Vai vendo. — Ela deu uma piscadela para ele.
— Tá certo. Agora, vai. Muda de assunto, vai. — Ele pediu, de boa.



— Baterinha, por que a Lady Soprano não está aqui ainda?...
— Então,... — Ele ficou sério, com o semblante mais pesado. — A Lady Soprano é muito amiga da namorada do Axl, que está hospitalizada, daí ela tá lá com a guria, que é muito, muito, muito minha amiga também... — Os integrantes da banda tinham combinado de contar essa versão da história a quem quer que lhes perguntasse sobre o assunto, já que sabiam que Bella queria se manter no anonimato como a vocalista lírica deles.



— Não preciso ter ciúmes, né? — Ela fechou a cara.
— Não fala besteira, Mil! A guria é como uma irmã pra mim!



— E o que é que ela teve, essa “guria que é uma irmã pra você”?
— ... Ela... Essa guria que é uma irmã pra mim, que é a namorada do meu brother Axl,... — O coração dele apertou. — Essa guria teve uma parada cardiorrespiratória, e como sofreu uma asfixia traumática, por causa do quase afogamento, isso reduziu a interrupção do fluxo nas vias respiratórias, gerou falta de oxigenação cerebral e isso a conduziu a um estado de coma profundo...
— E quais as chances dela?...
— Bem,... As vítimas de quase afogamento chegam ao serviço de emergência com alteração no nível de consciência em graus variáveis, podendo estar desde conscientes até em estado de coma profundo, que é o caso dela... Essa variação depende de diversos fatores, como: tempo de submersão; temperatura da água; aspiração de água em maior ou menor quantidade; se houve manobras de reanimação no local do acidente e o tempo para sua realização; tempo de transporte ao hospital; e presença de lesões traumáticas associadas. Daí, pacientes que chegam responsivos ao centro médico, esses têm o melhor prognóstico: 100% sobrevivem sem sequelas, segundo alguns autores que estudei. Já aqueles que chegam comatosos, esses têm uma média de sobrevida, sem sequelas, estimada em 44%; de sobrevida com lesão neurológica, em 24%; e de óbito, em 33% dos casos. A hipotermia profunda, no momento da submersão, parece proteger a função neurológica e é o fator mais significativamente associado a melhores prognósticos*.
— Uau!... — Ela ficou impressionada com toda aquela explicação dele. — Como você sabe de tudo isso?...
— Estudei. — Ele respondeu, ainda com a expressão bem triste.
— Entendi... — Ela disse, com cara de quem ainda estava absorvendo o fato dele ter lhe dado todas aquelas informações como se fosse um profissional da área.
Ele, quieto.

* Nota: informações retiradas desta fonte aqui.



E, percebendo seu silêncio, Milana sentiu um pouco de remorso por tê-lo deixado assim:
— Ai, Batera... Desculpa... Sua amiga vai ficar bem, ok? Vamos mudar de assunto que você não pode ficar com essa carinha. Não gosto de te ver triste.
— Beleza... Mas, de qualquer jeito, o pessoal nem vai ver minha cara hoje. Vou me apresentar com a máscara do Vader.
— Se você fosse feio, ia querer se exibir por aí.
— E desde quando feio não pode se exibir, hein! — Ele riu.



— Tá certo, tá certo! — Ela caiu na risada também. — Então me deixa fazer agora uma pergunta de fã?
— Tipo as que você fez ao Axl, ao Dave e à Gi? “Qual sua sopa preferida? Qual a sua cor preferida? Biscoito ou bolacha?”? — Ele riu.
— Não, tonto! Já sei quase tudo sobre você... Mas tem uma coisa que anda martelando a minha cabeça e eu preciso saber o motivo.
— Agora fiquei curioso. Vai lá! Pergunta.




— As pessoas comentam que Frank Carlson, o tecladista da Dark West, da banda da Renatinha, é um desafeto teu, por causa de uma garota... Eu quero saber quem é ela. — Seu tom de voz era tranquilo, mas ela estava bem enciumada.



— Não! Esse assunto é pessoal e eu não vou contar nada sobre isso! — Ele disse, já irritado.



— Não vai contar porque gosta dela ainda, né?!!



— Eu não vou contar porque esse assunto é particular e ninguém precisa ficar sabendo, ok?!!



— É assim que você me trata depois de todos os momentos que tivemos? É assim?... — Ela disse, fazendo chantagem emocional e cara de choro.
— Milana, eu... — Ele respirou fundo.
— Você não confia em mim! — A voz dela já chorosa.



— Cara, não faz isso comigo!... — Ele passou a mão na cabeça, nervoso; estava praticamente implorando piedade a ela.
— Fala logo, Batera! — Ela exigiu, impassível. — Além disso, se eu não souber por você, vou bater na casa dos seus parentes até alguém me contar tudo sobre você, essa guria e o Frank! Duvida? Eu sei até onde os seus pais moram! Ele moram...
— Para!!! Beleza. Eu conto! — Diante daquela ameaça, ele resolveu falar. E também estava bem cansado e não queria mais discussão.
— Então conta logo! — Ela pediu novamente, impaciente.



— Cheguei em San Myshuno com 18 anos... Eu tinha conseguido um trabalho como Médico Residente no Hospital Público do Quarto Império...
— Com 18 anos?!!
— Você não sabe como são as coisas aqui no Mundo Sims? Não entendi a surpresa.
— Achei que carreiras médicas só poderiam ser iniciadas na idade Adulta.
— Não. Jovens Adultos podem começar a carreira médica sem problemas. Mas então! Continuando: eu queria me tornar um Médico Cirurgião. Então eu cuidava dos pacientes, arrumava camas, entregava comida e ouvia as queixas dos Sims doentes. Eu amava fazer aquilo e sabia que não demoraria muito para eu subir o próximo degrau e me tornar um Assistente de Enfermagem*...
— E o que houve?

* Nota: leia sobre a carreira médica aqui.



— Então,... Eu dividia um apartamento, o Estúdio Medina 920, com minha namorada, Noreen Marshall, e com um cara que conhecemos logo que chegamos à cidade. Esse cara era o Frank...
— E o que ele fez?...
— Escuta, não foi bem “o que ele fez”. Foi mais o que eu fiz... — Ele baixou os olhos; aquelas memórias lhe doíam. — A Noreen... Ela sofria de Transtorno de Personalidade Borderline, ou TPB, como é também chamado.
— E o que isso causa? Como afeta a pessoa?
— Uma pessoa com TPB apresenta o que podemos chamar de uma personalidade fraca, que muda continuamente e duvida de tudo. Os momentos de calma podem se tornar, instantaneamente, momentos de raiva, ansiedade ou desespero. Essas pessoas vivem suas emoções ao máximo e seus relacionamentos amorosos são intensos, pois eles tendem a idolatrar a outra pessoa ao extremo. Alguns de seus sintomas incluem: uma raiva intensa, junto com a incapacidade de controlá-la; esforços frenéticos para evitar o abandono real ou imaginário; alternância entre extremos de idealização e desvalorização nas relações interpessoais; autoimagem instável; e sentimentos crônicos de vazio*.
— E você sabia que ela era assim?...
— Sabia, mas eu não me importava. Eu amava a Nor!... Começamos a namorar quando eu tinha 15 anos e ela, 14. Eu planejava me casar com ela um dia! Eu queria até me especializar em Psiquiatria para ser capaz de cuidar dela melhor.
— E o que houve?

* Nota: fonte.



— Vou resumir: eu traí a Noreen depois de uma briga feia que tivemos. Daí, três dias depois d’eu ter feito essa asneirada, da qual eu me arrependi profundamente e já pensava em como contaria para ela, cheguei em casa, pela manhã, depois de um plantão cansativo, e fui recebido por uma Noreen completamente descontrolada... Como você pode imaginar, ela já sabia de tudo... Então tivemos uma briga ainda mais séria, na qual ela acabou me dizendo que foi o Frank que contou, onde eu estava e com quem, pra ela...
— Você errou feio, hein!
— Eu sei. — Ele disse, sem olhá-la.
— Tá. Daí vocês terminaram, ela nunca mais olhou na sua cara e você até hoje não suporta o Frank porque ele contou tudo pra ela; e você não fica sério com nenhuma garota porque ainda tem esperanças de voltar pra ela um dia. É isso? — Milana perguntou, já com a cara meio fechada.



— Posso te pedir para não minimizar minha história, por favor? — Ele se irritou com o tom dela.
— Aff! Tá bom, tá bom! Então fala!



— Eu fiquei tão cego de raiva que saí do apartamento e deixei a Nor lá, sozinha. A última coisa que ela me disse foi: “Amanhã no seu trabalho você me vê, seu cretino!”. E eu nem pensei no significado daquelas palavras, pois eu estava cheio de ódio e queria quebrar o Frank na porrada, porque EU queria ter contado tudo pra ela... Então saí do apartamento cego de raiva, caçando aquele sujeito. Mas as horas passaram e me acalmei mais. Dormi na rua e, quando acordei, já era hora de voltar para o hospital... Então segui pra lá... Só para descobrir que Noreen já estava no local também... Como ela tinha TPB, ela surtou feio, não soube lidar com tudo que sentiu, ingeriu veneno para ratos e foi parar na emergência. Frank tinha chamado a ambulância e estava com ela. Ele tentou me ligar, mas eu tinha deixado meu celular desligado... Ela morreu poucos minutos antes d’eu entrar no hospital.



— Nossa!... — Ela ficou bem surpresa ao ouvir aquilo. — Então é por isso que você não quer entrar num relacionamento com mais ninguém?... Um tipo de trauma?...



— Não. Não tenho trauma nenhum. Lembrar do que houve com Noreen só me deixa triste, porque eu realmente a amava, tinha planos com ela, só que, ao mesmo tempo, eu queria viver, conhecer outras pessoas e curtir. Eu a amava, mas me sentia preso. E ao não dizer isso para ela, não fui sincero com a Nor e comigo mesmo. E meu erro maior foi esse.
— Bem, você tinha 18... Você era novo, queria curtir...
— Eu tenho 22 anos agora. Ainda sou novo. Ainda quero conhecer mais garotas na minha vida. Por isso, hoje, faço de tudo para não cometer o mesmo erro. Não engano as pessoas, porque a gente nunca sabe até onde e como elas aguentam suas dores. Assim, eu deixo minhas intenções às claras. Não encontrei alguém com quem eu queira algo sério ainda. Pode ser que eu encontre um dia... Ou não. — Ele sorriu, segurando a mão dela ao perceber que Milana tinha ficado triste.
— E sua carreira médica? O que houve com ela?...
— Minha prioridade é a banda, mas, como já te contei, faremos esse intervalo, então,... Estou pensando em retomar meus estudos na área médica novamente. Isso requer muito tempo e dedicação, eu sei... Mas quando a Nordic retornar, provavelmente vou largar tudo novamente! Voltarei a vender coisas nas ruas, a entregar pizzas, não me importo. Qualquer coisa que me permita ter tempo pra música. — Ele disse.
E os dois ficaram em silêncio por alguns segundos.



— Batera,... Por favor, você me desculpa por eu ter insistido que falasse sobre isso?... Eu sou muito idiota! Nossa!... Olha, eu vou nessa. Você tem todo o direito de ficar bravo ou magoado comigo e não querer ver minha cara por uns dois ou três dias... Posso pelo menos te ligar amanhã?... — Ela perguntou, chateada consigo mesma.
— Não. Fica aí, vai...
— Como pode me pedir para eu ficar depois d’eu ter sido uma babaca contigo?...



— Lembra que eu te disse que eu não seria seu namorado, mas que seria seu amigo?... Faz o seguinte: pensa que eu te contei isso como um amigo conta um segredo para uma amiga, ok?... Apesar de você realmente ter passado da linha na insistência, hein!... E me promete que nunca mais vai meter minha família no meio de qualquer outra conversa nossa.
— Prometo. — Ela disse, sincera.
— Beleza. E sobre o que te contei, isso aconteceu há muito tempo. E aprendi que, se não podemos voltar atrás e fazer um novo começo, pelo menos podemos começar agora e fazer um novo fim... O que acha?... — Ele sorriu. — A gente esquece essa conversa toda e bola pra frente.
— Pôxa, Josh,... Você é um fofo... — Ela sorriu.



— Sou nada!... Eu só entendi que não adiantava sofrer por coisas que eu não poderia mudar mais. Por isso faço de tudo para ser legal com as pessoas, de boa, para que as histórias pesadas na minha vida sejam mínimas e para que eu não me torne uma história triste para os outros.



— E sabe o que eu acho? Eu acho que você não devia ficar falando essas coisas aí porque senão fica difícil não se apaixonar por você, Sr. Adler.



— Quer saber? Você está certa. Melhor eu parar de falar e fazer outra coisa. — Ele disse, puxando-a de surpresa pela cintura. — Vem cá, Mil.





E, ali perto, Big Joe e Dave chamaram Axl.
Logo, o vocalista e o baixista já estavam no palco.
— Milana! — Dave acenou para a garota, fazendo sinal para ela avisar o Batera de que eles já iriam tocar, já que o som da DJ estava bem alto e Josh estava de costas para o palco.



— Baterinha do meu coração, hora de você colocar sua máscara, pegar suas baquetas e arrebentar lá em cima. — Ela sorriu. — Depois da apresentação, ainda tá de pé ir ao bar Braços do Narval para tomar uns néctares pós-show?
— Com certeza! Vamos todos! — Ele sorriu.
— Então vai lá! Sucesso, viu! Arrasa. E não esquece de que essa noite você é só meu, hein! Não quero esganar ninguém hoje.




— Beleza, Mil. — Josh sorriu. — Fica perto do palco, guria. — Ele então a beijou e saiu, enquanto Big Joe, de longe, movia um dos braços como que dizendo para ele subir logo ao palco.





De volta ao tempo presente.




A Nordic Lhama já tinha tocado por quase duas horas. Quando a banda finalizou a apresentação, o público pediu mais e eles acabaram ficando por mais quarenta minutos; assim, impressionaram com uma música própria e com covers para fazer o pessoal pular! Até que chegou o momento de realmente terminar o show. Então, Axl pegou o microfone e disse:



— Essa próxima canção, infelizmente, é nossa saideira. — E as pessoas ali reclamaram. Mas ele sorriu, com Mylant (sua guitarra) nas mãos, e continuou: — Então, antes de tocá-la, quero agradecer a todos vocês, à produção do evento e a todos nossos fãs, em nome da banda, pela presença e por terem se divertido aqui, esta noite, conosco!... — Os Sims bateram palmas e deram gritinhos, animados. — Essa música agora é para aquela pessoa especial que não sai de nossa cabeça. — “É para minha Bella!”, ele pensou. — Vamos nessa!!! — Ele olhou para Dave, Batera e Gi; eles então assentiram e começaram a tocar.


[Música de Cena: Третий Рим - I Remember You (cover Skid Row)]




— ♫ Woke up to soothing sound of pouring rain... The wind would whisper and I'd think of you... And all the tears you cried that called my name. And when you needed me this time, I did not come through!** ♫ — Ele cantou, com toda sua alma, e mudando a letra da última frase.

* Tradução: Acordei com o som da chuva torrencial... O vento sussurrava e eu pensava em você... E em todas as lágrimas que você chorou que chamavam meu nome. E quando você precisou de mim desta vez, eu não estive lá.
** A frase original é: “And when you needed me, I came through” (e quando você precisou, eu estive lá).




— ♫ I paint a picture of the days gone by, when love went blind and you would make me see... I'd stare a lifetime into your eyes... So that I knew that you were there for me! Time after time, you were there for meeeeeee! ♫

* Tradução: Eu vejo cenas dos dias passados, quando o amor cegava e você me fazia ver... Eu ficaria a vida toda perdido em seus olhos... De forma que eu saberia que você estava lá para mim! Repetidas vezes, você estava lá para miiiiiim!





— ♫ Remember yesterday! Walking hand in hand! Love letters in the sand. I remember you! Through the sleepless nights! Through every endless day! I'd wanna hear you say: I remembeeeeeer yoooooou! ♫
É uma pena eles darem esse tempo agora. Mas não desistirei deles. Ainda farei muitos Simoleons com esses garotos.”, Richard pensou.

* Tradução: Lembre-se de ontem! Caminhando de mãos dadas! Cartas de amor na areia! Eu me lembro de você! Através das noites sem dormir!  Do princípio ao fim de cada dia interminável! Eu queria ouvir você dizer: eu me lembro de você!




Axl então se empolgou: tirou os óculos e os jogou para o público. Milana quase se estapeou com outra garota para ficar com eles:
— Me dá isso aqui, sua louca!!! São meus!!! Eu sou mais fã do que você, palhaça!!! — E quando finalmente conseguiu pegá-los, Mil os guardou e voltou a curtir o show, feliz da vida!



Ele cantava, enquanto pensava em sua amada. Memórias de um dia feliz.





— ♫ We spent the summer with the top rolled down. Wished ever after would be like this... You said "I love you, babe." without a sound. I said I'd give up my life for just one kiss. I'd live for your smile, and die for your kiiiiiiiiiss. ♫

* Tradução: Nós passamos o verão com a camisa abaixada. Eu queria que fosse para sempre assim... Você disse "eu te amo, babe." sem um único som. Eu disse que daria minha vida por apenas um beijo. Eu viveria por seu sorriso e morreria por seu beijo.








— ♫ Remember yesterday! Walking hand in hand! Love letters in the sand. I remember you! Through the sleepless nights! Through every endless day! I'd wanna hear you say: I remembeeeeeer yoooooou! ♫

* Tradução: Lembre-se de ontem! Caminhando de mãos dadas! Cartas de amor na areia! Eu me lembro de você! Através das noites sem dormir!  Do princípio ao fim de cada dia interminável! Eu queria ouvir você dizer: eu me lembro de você!










— ♫ We've had our share of hard times, but that's the price we paid! And through it all, we kept the promise that we maaaaade. I swear you'll never be looooooonely. ♫ — Ele cantava com tanta emoção, como se estivesse falando cada uma daquelas frases para Isabella, que o público sentia e vibrava junto com ele: Sims suspiravam pelo vocalista, entre encantados e enamorados; casais se beijavam apaixonadamente; os desacompanhados, esses pensavam em seus amados; e os momentaneamente sozinhos, esses se pegavam a desejar alguém dizendo aquelas palavras para eles. A voz de Axl despertava lágrimas, sorrisos, olhares de admiração, memórias e sonhos.

* Tradução: Nós tivemos nossa porção de momentos difíceis, mas esse é o preço que pagamos. E, mesmo com tudo isso, nós mantivemos a promessa que fizemos. Eu juro que você nunca estará solitária.










— ♫ Woke up to soothing sound of pouring rain... Washed away a dream of you. But nothing else could ever take you away, 'cause you'll always be my dream come true. Oh, my darling, I looooooooove yooooooou! ♫ — E seu perfeito alcance vocal levou todos ao entusiasmo, causando palmas e gritinhos da plateia impressionada.

* Tradução: Acordei com o som da chuva torrencial... Que levou um sonho sobre você. Porém, nada mais poderia te levar embora, pois você sempre será meu sonho realizado. Oh, minha querida, eu te amo.





— ♫ Remember yesterday! Walking hand in hand! Love letters in the sand. I remember you! Through the sleepless nights! Through every endless daaaay! I'd wanna hear you say: I remembeeeeeer yoooooou! ♫

* Tradução: Lembre-se de ontem! Caminhando de mãos dadas! Cartas de amor na areia! Eu me lembro de você! Através das noites sem dormir!  Do princípio ao fim de cada dia interminável! Eu queria ouvir você dizer: eu me lembro de você!




— ♫ Remember yesterday! Walking hand in hand! Love letters in the sand. I remember you! Through the sleepless niiiiiights! Through every endless daaaaay! I'd wanna hear you say: I remembeeeeeer, I remembeeeeeeer yoooooou! Yeeeeaaaah, Oooooh, yeaaaah!!! ♫

* Tradução: Lembre-se de ontem! Caminhando de mãos dadas! Cartas de amor na areia! Eu me lembro de você! Através das noites sem dormir!  Do princípio ao fim de cada dia interminável! Eu queria ouvir você dizer: eu me lembro, eu me lembro de você!





Então, quando ele parou de cantar, sob os aplausos entusiasmados dos Sims presentes, a banda continuou o instrumental da música, esperando Axl se despedir do público para que finalizassem mesmo a apresentação. No entanto, o vocalista ficou alguns segundos perdido nos pensamentos, sentindo a falta da namorada ao seu lado no palco. Sua mente longe, desejando os braços dela, lembrando-se dos abraços que eles se davam...
Até que sentiu uma das baquetas de Josh bater em suas costas:



— Axl!!! Acorda, man! — Batera disse, preocupado, esperando o amigo dizer algo, reagir; e o vocalista o olhou, como que começando a despertar.



— Vai nessa, primo! — Dave disse, dando-lhe força. — Lembre-se de que vai ficar tudo bem. — E ele voltou a se concentrar no som, confiante.
Então Axl olhou para Gizella, rapidamente, e ela sorriu, compreensiva, e balançou a cabeça, de boa, como quem dizia: “Vai!”.



E sentindo o apoio daqueles Sims que ele tanto amava, ele sorriu, com o coração reconfortado e cheio de esperanças. “Vai ficar tudo bem.”, pensou. Então olhou para aquelas pessoas, rostos novos e conhecidos, e disse:
— E é isso, pessoal! Obrigado pela companhia e espero que breve possamos nos divertir novamente como fizemos hoje!!! Valeeeeeeeu!!! — E eles saíram do palco sob uma chuva de aplausos e gritos animados.


[Fim do Livro I.]
[Continua...]



Obrigada, amigo Simmer, por acompanhar minha história!
Deixe seu comentário abaixo ou na página no Facebook! S2
Tenha uma ótima semana! :)



Onde baixar os Sims e lotes usados nessa história:

SIMS:
Isabella Refaeli: Tammy Nunes, by Fantaflip;
Gizella Reeves: Kat Pat, by 12mich06;
Josh “Batera” Adler: Oh Cabana Boy!, by MagicBlueDragon;
Samara Korgan: Chic :3 NoCC (Jada Johns), by BobSkellington12;
Terry Russell: Shemar Moore, by maimouth;
Cabello e Batata: Gothic / Punk, by melitza1804.
Elle DeVampiro: The Noble Vampires, by MaxisCreator_01; minha versão deles, como integrantes da banda Dark Battle, encontra-se em isarpgista;
Milana Belloni (presidente do fã-clube): Aristea Nocc, by karostone;
Hadi Ionesco (roadie): Daniel Dark, Gothic, by dahtetzner;
Richard Geffen: Hippie Vampire, by Cayrees;
Banda Dark West:
Renata West (vocalista): Carol West, West Nocc, by so87g;
Fabian Hilliard (vocal e guitarra): “Rock is my Life”, by Cayrees;
Blaze Gothember (baixista): by Lordkiribati;
Savannah Madrigal (baterista): by Cayrees;
Frank Carlson (tecladista): by Cayrees.
Chefe de Segurança Roger Slater: Corleone, by viltor87;
Conselheiro Milo Parson: Pastor, by Aristeia;
Noreen Marshall: by Jasna98.


LOCAIS:
Igreja do Grande Prisma: by isarpgista (baseado no lote “Newcrest Community Church”, by bner516);
Vizinhança do Hospital:
Clínica Baroni: Hospital from the Trailer, by WeslleyLuzzi (o original; o modificado por mim – utilizado nessa história e como lote residencial - pode ser baixado na minha conta de usuária no jogo: isarpgista);
Casa do Dr Jordan Baroni (o lote pouco atrás da clínica): Villa la Winter, by hcadebruyin, original de Izusia124 (a versão de minha história, modificada por mim, pode ser encontrada em minha conta isarpgista com o nome “Jordan’s House”).
Vizinhança da Música:
1 – Rock Legend Music Store, by zombiejey;
2 – Petales et Vin, by horseenut;
3 – Fiddle Around Music Store, by RABOOSKI;
4 – Restauracja Sunrise, by adzixXD;
5 – The Local Music Festival, by Shenea27. Minha versão deste lote, usada no Capítulo 20, encontra-se aqui, em isarpgista.
Sala de reuniões usada por Liam: “Government Meeting Room”, by Lithiarch.


OUTROS:
Guitarras: Musicians Pack;
Lágrimas 1, 2 e 3;


Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!


10 comentários:

  1. O capítulo está demais e me demorei um bocado pra escrever tanta coisa a respeito. Terei de dividir em dois, por causa da quantidade de caracteres. Sorry!

    01. Elle DeVampiro!!! Saudades dela!
    02. Dave só se preocupa com o nome? Deixa, DAVID!!!
    (agora eu sei como me vingar de você por fazer Gi sofrer)
    03. Discurso bonito o do sacerdote!
    04. Tasinha é Mamau! kkkkkkkkkkkk E sabia que Axl falava com plantas, mas só agora ele soube que a planta é espada (e fala bem grosso)! kkkkkkkkkkkk
    05. Este Roger deve ser guarda-costas do Nick retardado! Quero Roger mau-passado, cortado em cubinhos grossos. Quero linguiça defumada de Roger! Isso é coisa que se faça com o trabalho dos outros? Ódio a este Roger! Eu sei que na luta corporal, Axl não tinha chances, pois Axl tem músculos, mas nunca os trabalhou para a luta e ele é só carinho. Mas Roger é só... GRRRRRR!
    06. Makena é uma mãezona, né? Amei Makena, e acho que Axl fez certo em controntar o idiota do guarda-costas. É questão de orgulho, mas o ideal é que fosse fora do hospital, mas o cara nunca iria para lá. Então? Porrada e "põe na tela; me dá ibagens!"
    07. Quase morri do coração agora! Cabello morreu! Estou feliz (estranho para um velório, mas eu estou). Caraca! Pensei que era Bella e que por isso o local estava bonito e vazio. Com D. Marit presente, Axl nunca teria conseguido entrar ali.
    08. Elle é um amor, né? Tá namorando firme com Batatinha (suspeitei desde o início) e lhe dando todo o apoio.
    09. "Ele é gato demais para passar despercebido, chuchu."
    Dei uma sonora gargalhada agora! O pessoal de outros bairros devem ter me ouvido! kkkkkkkkkkkk Concordo contigo, Elle!
    10. Eu tô achando que sei qual serviço Cabello fez no Segundo Império. Pô, Cabello! Te shippava com Hannah (ainda acho que seriam um par perfeito), mas tu, como disse Elle, colheu o que plantou. Se ferrou e não vou ficar chateada, ainda mais pelo "servicinho extra" que você fez.
    11. Cabello tinha sonhos bonitos. Que fim triste, mas fazer o quê?
    12. Coração de ouro este menino tem,. Mesmo tô tantas dores, Axl prefere apoiar os amigos.
    13. Dave parece um irmão mais velho. Nesta horas eu o perdoo pela dor que ele causou a Gi.
    14. Gostei de Mamau. Haja personalidade! A planta (ou a voz interior de Axl) sabe o que diz.
    15. O que será que está enterrado no coração de Axl? Tô curiosa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraaaaaaaaa, Déa!!! Que demais esse super comentário!!! \o/ :D
      Respondendo: :D

      01. Eu amo a Elle! E ela precisava estar na cena, dando todo apoio a seu Batatinha! :D
      02. Huhauhuhauhuahuhau... Né? Boa vingança essa! Rs... xD :D
      03. Sim, sim. Super concordo! Aparentemente é de Santo Agostinho. Digo aparentemente porque a internet me deu tantas fontes diferentes que fiquei confusa... O.o
      04. Kkkkkkkkkkkkkkkk... Morri com esse teu comentário! Mamau certamente amou! Rs...
      05. Caraaaaaaaaaaa, senti a mesma revolta quando escrevi essa parte! Suas palavras sobre Roger me representam total, Déa!!!
      06. "Põe na tela; me dá ibagens!". HUHAUHAUHUHAUHUAHUA... Ri demais com esse teu comment!!! xD E sim: Makena é uma mãezona para esses garotos! Ela é uma maravilhosa! S2
      07. Infelizmente Cabello fez escolhas muito ruins. Assim como o Feng (o que é dele tb tá guardado). Desculpa o susto! xD :P :D
      08. Sim, sim! Elle é uma fofa, apesar de querer parecer durona, “dark”, “vampirosa”. xD
      09. Kkkkkkkkkkkkkk... Mas né? xD :D
      10. Olha que eu tô achando que você sabe qual serviço Cabello fez no Segundo Império, hein! E Hannah era louca pelo Feng. Mas a veremos na história novamente! ;) :)
      11. Concordo! Ele teve chances de mudar, mas preferiu a “vida fácil”, que, na verdade, é uma vida bem dura e difícil, apesar do “lucro” fácil.
      12. Axl é um bom garoto. :) Tem seus problemas, é meio lesa ainda, mas breve ele “despertará”. ;) :)
      13. Sim, sim. Dave se vê como um irmão mais velho do primo e o protege. Ainda que isso não apague o fato dele ter sido um babaca com Gi, claro.
      14. É uma planta sábia. :)
      15. Ainda será revelado; e então Axl “despertará” da leseira usual. :)

      Excluir
  2. 16. Richard tá tão bonito! Sim, creio que ele tenha como ajudar a banda. A vida na música não é fácil para ninguém. E que azar o HD queimar! Bom que Axl tem memória quando o assunto e música.
    17. Era o momento certo na hora errada. Concordo contigo,Dave. Foi por isso que Bella pediu para o namorado não ir vê-la. É tão bom um contato bom, mas com a cabeça de Axl pior que o normal, não vai dar.
    18. Finalmente, Dave, você foi homem! Sei que ela não estava facilitando, mas também, né? Cada ação tem sua reação! Qual a garota não ia ficar chateada contigo depois daquela?
    19. NÃO QUEBRA O TECLADO, GI! O teclado é lindo e Davi não merece você ficar sem namorado e sem teclado.
    20. Como Dave pede uma em namoro, antes de terminar de forma decente com a outra? Ai que vontade de xingar Dave todo agora! CARA! Tu é lindo, um irmãozão para Axl, uma verdadeira âncora para Axl, mas quando o assunto é mulher "você não sabe de nada, Jonh Snow!"
    21. Além de ter roubado o namorado (este termo nunca considerei adequado para estas situações, mas vai agora) quer também a blusa de Gi? Eu sei que talvez ela tenha dito por ser o mesmo modelo da que ela usa, mas quem me garante que ela não resolveu usar uma blusa igual só para mexer com a tecladista? Tô de olho na EssaMala. Não confio nela!
    22. Hadi é tão legal! Mas ainda (apesar de tudo e de querer socar a cara de Dave) ainda shippo Gi com Dave. Talvez, este momento sirva para ele crescer e dar valor real as pessoas próximas. Talvez, por Gi ser tão legal e forte, ele a tenha deixado de mão. Ou talvez seja apenas abestalhado mesmo.
    23. Isso aqui se refere a vários trechos:
    Que conversa linda entre Trixie e Midas! Pensei que o Hadi era Midas, mas é Liam que tem realmente o toque de ouro. kkkkkkkkkkkk E quando li "Bem, eu procuro oportunidades para ganhar alguns Simoleons." aí mesmo que achei que era Hadi, pois não tem emprego fixo. E que bom que Liam está se levantando, e saber que ele sofreu com o término do quase namoro com Elenor, só me faz amá-lo ainda mais. Mas Liam se ferrou: Gi é gata, mas tá longe de ser patricinha. kkkkkkkkkkkk
    24. Momento Gi: A musa Laura está ali! Quero autógrafo!
    25. Uau! Um médico! Quem diria! Se ele resolver ser cardiologista, quero tratar meu coração com o Dr. Joshua. Ele é tão lindo, tão bom, sabe falar coisas certas nas horas certas... Que Dave aprenda com os próprios erros assim como o Dr. Josh Gostosão aprendeu. :)
    26. Agora entendi a bronca de Dr. Josh com o outro, mas entendo bastante você, Josh. Não sei o que deu com o Frank, mas pelo visto, ele curtia a garota e achava que vc era péssimo para ela. Ele também deve ter se sentindo um tanto culpado depois, pois até ligou para você. Não fica grilado, não, tá? Saber disso, me fez amar e respeitas ainda mais você. Mas sobre mulheres: ainda acho que Mil é 1001 complicações para vc. Ela e Dinah: a dupla problemática.
    27. "— E sabe o que eu acho? Eu acho que você não devia ficar falando essas coisas aí porque senão fica difícil não se apaixonar por você, Sr. Adler."
    Uma das poucas frases que concordo com Mil. Josh é tãããão encantador.
    28. Canção tão linda! Até fiquei parada aqui de frente ao monitor, como Axl em frente ao microfone, só relembrando toda a dor dele por estar longe de sua amada.
    28. Pode ficar com o óculo, Milana! Eu tenho toda a banda (e Josh) bem guardados em meu coração!

    O capítulo está lindo, Sally! Parabéns!
    Eu sei que minha bronca com Dave tá grande, mas é que amo demais ele e Gi, mas se tiver que escolher, serei mais ela, mas continua a escrever sem se preocupar com meus shippos doidos. Vai que role algo entre ela e Liam. Vai que EssaMala se conserte e não seja tão má (pois ela tem coisas boas realmente).Vai que ninguém fique com ninguém. O que importa é Axl e a banda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuando: :D
      16. Richard realmente coloca fé nos garotos. Vamos ver o que o destino reserva para todos eles. Nem eu sei! Rs... xD
      17. Com certeza! Axl precisa se cuidar!
      18. Com certeeeeeeeza! Mas demorou para ele ter a conversa que precisavam ter, né? A chateação dela é mais essa. E vc está super certa, Déa!
      19. Faço das suas palavras as minhas: não quebra o teclado, Gi!!! Rs...
      20. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Com certeeeeeeeeeeza, Déa!!! Um primão, mas quando é para lidar com mulheres, é um tapado! Rs...
      21. “Essamala”! Huhauhauhuhauhuahua... Pois é, né? Tantas blusas para usar e ela aparece com essa. Ai, ai! Digo nada!
      22. Olha, minha revolta com dave ainda é tão grande que eu ficaria com a opção “abestalhado”. Mas vamos ver no que vai dar! Nem eu sei! Rs... xD :D
      23. Fiquei muito feliz que vc gostou da conversa entre “Trixie” e “Midas”. :D Quanto ao “Gi é gata, mas tá longe de ser patricinha. Kkkkkkkkkkkk”, acho que essa é a parte mais divertida dessa história! Como ele vai lidar com isso quando souber que anda conversando com a Gi, hein? Ela não tem nada de patricinha! :) Rs... E ele parece beeeeem preocupado com o que os amigos pensam dele. E isso não é legal...
      24. Aháaaaaaaaaaaaaa!!! Vc percebeu!!! Rs... Laura maravilhosa! Tinha que estar numa reunião mega importante, né? Ela é diva! :D
      25. “ Se ele resolver ser cardiologista, quero tratar meu coração com o Dr. Joshua. “. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Vai ter fila no consultório dele! Rs... xD :D
      26. Faço das tuas palavras as minhas, Déa: a Mil parece ser bem louca. Josh, abre os olhos, garoto! Rs...
      27. Huhauhuahuhauhua... Né? xD :D Ele é um fofo! Adoro que ele escolheu levar a vida dele com leveza! :)
      28. Essa canção casou demais com o momento que Axl vive. :) Fiquei feliz que gostou, Déa! :)
      29. Ooownti, que lindaaaaaaaaaaaaaaa!!! Fiquei boba e eles tb, com certeza! ;***** :) S2

      Déaaaaaa, as broncas que tu tem com Dave são as mesmas que tenho com ele. Apesar d’eu contar essa história, quando escrevo consigo separar a Sally-autora da Sally-leitora e tb me indigno com alguns comportamentos dos meus próprios personagens. Rs... Que louco isso, né? xD :D Não acho que Dave tem agido legal com Gi e isso me revolta. Acho que Liam oscila entre ser um cara legal e ser um completo babaca otário, como Nick. Então entendo perfeitamente como se sente! :D Sobre os shipps, nunca perca as esperanças! :) A história dá voltas! Quem não está junto hj, pode estar junto amanhã; e vice-versa. “O mundo dá voltas!” e todos os personagens são importantes! :D É que, às vezes, longos caminhos precisam ser percorridos até que se chegue onde o coração deseja estar. :) Mas, no final, tudo dá certo. Se não deu ainda, é porque o final não chegou. ;)
      E é isso! Muuuuuuuuito obrigada mesmo pelo carinho de sempre, minha amiga linda! E não se desculpe pelo super comentário! Eu ameiiiiiiii e sempre levo em consideração muuuuuuito do feedback que recebo (por isso Isabella não morreu! Os meus queridos leitores praticamente a salvaram e achei isso super legal!)! :) Beijocaaaas! :D S2

      Excluir
  3. Aaaa meu Prisma! Que capítulo!! Quanto mais eu leio a história mais eu me apixono por cada personagem, parece tudo tão.. real!! Espero que o próximo livro não demore a começar...

    1- Axl no psicólogo? Espero que ele ajude a curar essa ferida aberta mas não mide o jeito dele, gosto dele lento e louco desse jeitinho!
    2- Dave deu mancada feio com a Gi... Espero que ele aprenda que é essa Samara aí não presta!
    3- Gi e Liam? Uma dupla engraçada, certamente! Ele burguês e ela autêntica... veremos!
    4- Não acredito que depois de tudo o Liam ainda quer ficar no grupo no Nicholas... A faça mr o favor e acorda pra vida!
    5- Essa apresentação me arrepiou tanto!! Eles estão lindos!!
    6- Cara essa igreja aí ficou muito legal! Sério! Amei amei amei!
    7- Não gosto dessa Mil aí, acho ela muito obcecada!
    8- Fiquei super triste com a história do Batera, ele pisou na bola sim, mas o Frank não tinha o direito fe passar assim na frente dele sabendo do estado da Nor!
    9- Nor... Nortic...
    10- Maior sacanagem quebrar os CD's assim. Que bom que o Axl lembra de tudo!
    11- Das notas e doa riffs ele lembra, do resto nada né!
    12- Espero que com o Axl e o Dave longe cada um não siga o próprio caminho e se esqueça do sonho deles juntos!
    13- Ai ai! Que tudo fique bem com a Bellinha e que um dia a mãe dela perdoe o genro!
    14- Quero muitas interações com dogs em Brindleton Bay!
    15- Batera trabalhando de médico... ele vai ficar lindo de jaleco! Hahahah
    16- Espero que com a grana que eles vão descolar nesse tempo de hiatus eles melhorem de vida qnd voltar...
    17- Aí torcendo pro plano do Richard dar certo, tanto pra Nordic tanto pra ele!
    18- Que o Axl encontre paz... certamente esse problema do coração tem haver com a morte do pai dele.

    É isso! Continue escrevendo, por favor! E se não tiver mais capítulos em dezembro (entendo, todos precisam de férias!) desejo boas festas pra vc e pra sua família!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Letíciaaaaa!!! Oláaaaaaaa!!! :D
      Ameiiii seu comentáriooooo!!! :D
      Respondendo: :D

      1- Ele é um fofo do jeito que é, né? :) Mas o coração bom dele não mudará! Talvez ele se torne apenas um pouco mais independente, talvez ele mostre mais sobre quem ele é, mas a verdade é que nem eu sei ainda o que vai rolar! xD
      2- É verdade, Letícia! Ele errou feio! Sobre a Samara, logo veremos qual é a dela! :)
      3- Liam e Gi são certamente duas pessoas que obtiveram sucesso em suas vidas: ele, no mundo dos negócios (como empresário); ela, como Guia de Turismo e como tecladista da banda. Mas as personalidades deles são bem diferentes! Onde será que isso vai dar? Rs... :D
      4- O Liam é um cara que tem um lado bom e um lado que eu chamo de “babaca”. Às vezes, ele é legal (como em alguns momentos com Elenor; ele realmente gostou dela). Às vezes, ele é um completo idiota (como no capítulo em que ele carregou Bella para o apartamento enquanto Nick e amigos batiam em Axl). E ele é muito amigo de Nick, apesar de Nick ser Nick. Rs... Mas breve veremos mais sobre essa turma deles. :)
      5- Ooownnnn! Fiquei muito feliz que vc gostou da apresentação deles! :D S2
      6- Obrigadaaaaaaaa!!! :D Fico feliz que amou a igreja!!! A história dela é a seguinte: eu precisava de um local bem cara de igreja mesmo para a religião do Grande Prisma. Daí, amei o lote de bner516 e o modifiquei. Essa igreja está nos créditos, no final do capítulo, caso queira baixá-la e usá-la em seu mundo! :D
      7- Ela é totalmente obcecada! Rs... Vc a descreveu perfeitamente! Rs... :D
      8- Exatamente! Por isso ele não gosta do Frank! Ele só o atura porque sabe que foi o Frank que, de certa forma, passou os momentos finais com Nor, não deixando-a sozinha. Mas ele não vai mesmo com a cara desse sujeito. Nem eu! Rs...
      9- xD :D
      10- Roger foi muito sacana!
      11- Musicalmente, Axl é um gênio! Mas, em relação a todas as outras coisas, nem comento! Rs... xD
      12- Jamais! A Nordic Lhama é o coração deles. Logo, eles retornam. :)
      13- Esperamos que sim! Marit deve estar com muita raiva agora, mas vamos torcer para que passe e ela não se junte ao Nick na implicância com Axl.
      14- Letícia, estou amando Brindleton Bay! Mas são tantos cachorros lindos que ainda não decidi qual deles será o Duque! Rs... :D
      15- Concordooooooooooo!!! Huhauhauhuhauhuaua...
      16- Né? Acho que até eles estão bem cansados de não ter grana. Rs... Tenho certeza que eles queriam um “Motherlodezinho” de leve. xD :D
      17- Richard tomou um “não” de várias bandas, como ele contou para Axl, pois nenhuma acreditou nele, pela falta de poder, influência e grana. Mas a Nordic aceitou que um dia trabalharia com ele e disso ele jamais esquecerá. :)
      18- Com certeza! Além disso, Axl disse que já morou nas ruas. Quando e o que terá acontecido? Breve isso tudo será contado! :)

      Letícia, continuarei escrevendo siiiiiiiiiiim!!! :D \o/ Mas, pela correria de final de ano, acho que só haverá novo capítulo em janeiro ou fevereiro do ano que vem. Mas tentarei fazer um especial para o final de ano! :) Muuuuuuito obrigada pelo comentário e boas festas para vc e para sua família também!!! :D

      Excluir
  4. Dave errou muito com a Gi! Ela é tão maravilhosa! O que será que vai dar esse rolo entre ela e o Liam? Mil tem que aprender a ser menos insistente e a respeitar o espaço das pessoas, do contrário vai acabar sozinha. Muito triste e revelador o passado do Batera, uma amiga minha foi diagnosticada com Borderline e terapia é extremamente importante para que a pessoa aprenda a lidar bem com as coisas. Adorei o cover da música do Skid Row e só agora fui me tocar que o sobrenome do batera é o mesmo do primeiro baterista do Guns! Agora fiquei extremamente curiosa para descobrir o que aconteceu na vida do Axl, afinal esse jeitão todo dele com certeza esconde algo que ele tenta esquecer. Capítulo maravilhoso, Sally! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oláaaaaaaa, Alice!!!
      Respondendo: sim, sim! Dave pisou feio na bola! E também acho a Gi incrível! :) Sobre a Mil: ela é totalmente insana! Só o Batera não se ligou disso! Rs... Quanto à Gi e Liam, não sei onde isso vai dar, mas sei que não será algo simples; ambos se adaptarão ao mundo um do outro? Ou eles terão ressalvas quanto ao estilo de vida um do outro? Até eu quero saber onde isso vai dar! Rs... Caramba! Sobre sua amiga: espero que ela faça a terapia direitinho, pois sei que é MUITO importante e faz toda a diferença na vida da pessoa. E sim, siiiiiiiiiim! O sobrenome do Batera é o mesmo do primeiro batera do Guns; o sobrenome de Richard vem de “David Geffen”, que produziu o álbum “Welcome to the Jungle”, do Guns. Eu AAAAAAAAMO o Guns!!! :D S2 E a tecladista Gizella Reeves tem o sobrenome bem parecido com a nova tecladista do Guns, a Melissa Reese. :D E breve será revelado o que houve com o Axl. :)
      Muito obrigada pelo comentário, Alice!!! :D

      Excluir