sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Axl Logan - 25 - O E-Mail



Essa é a história de um Sim chamado Axl Logan.
Acompanhe aqui suas aventuras (e desventuras)!

Dica: para uma melhor visualização (zoom), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).






ATENÇÃO, AMIGO (A) SIMMER! DÁ UMA LIDA AQUI:

Após ler o capítulo abaixo, deixe seu comentário, aqui mesmo no blog (no final da página) ou no post, no Facebook, em “Histórias da Sally Winter no The Sims”! Seu comentário é importante e me incentiva bastante! Um grande abraço! J


Axl Logan
Livro II
Despertando

Capítulo 25 – O E-Mail


Resumo do capítulo passado: a Nordic Lhama retorna, fazendo um show no bar-karaokê Los Pardais; D. Elena investe na banda e compra até matéria grande para a Nordic em uma revista digital famosa; Dave e Gizella passam por uma situação constrangedora; Haesel e Melissa descobrem que estão em Forgotten Hollow; ao dormir, Haesel se lembra de um livro, uma caixa e um nome: Troy Myers; Axl e Isabella chegam a Selvadorada.



Mesma manhã, em Selvadora.
Na pousada Jungle Villa.




Prontos para um novo dia, Axl e Isabella foram até a cozinha da pousada, onde o café da manhã já estava servido.
— Caaaaaaara, quanta fartura! — Ele disse, impressionado.
Havia duas mesas: uma com bebidas (café, leite, achocolatado, sucos), frutas, pães e alguns doces; na outra: torradas com ovos, mexido de café da manhã, omeletes, panquecas, rabanadas, sanduíches de queijo grelhado, croissants, rosquinhas, pão de fôrma recheado com queijo, pão de fôrma integral, bolo de frutas gourmet e bolo de cenoura.
— Bolo de cenoura, o preferido de André! — Axl sorriu, lembrando-se do amigo do casal.



* Nota: André Fagundes é um dos personagens principais da maravilhosa história Vermelho & Verde de minha amiga, a autora Andréa Freitas! Leia, leia, leia!!! :)



Mas ele escolheu comer panquecas e pegou um copo de leite fresco; e ela preferiu café e pão integral.



— Bem, não tivemos tempo para falar sobre isso, mas preciso te dizer: eu amei tanto a D. Elena! — Isabella sorriu.
— Ela também amou você! E ficou espantada com sua voz! Eu já tinha mostrado vídeos teus cantando para ela, mas ao vivo é outra coisa, né?



— É... Ela elogiou bastante meu alcance vocal. — A garota sorriu. — E ela é forte, né? Ela fez com que todos nós nos focássemos por quatro dias inteiros em ensaios para essa maratona de shows que ela conseguiu marcar. Fiquei impressionada!
Lá fora, bem perto dali, os dois podiam ouvir Nickollas e Lace brincando com o pitbull Chad, perto da piscina:



— Pega a bola, monstrão!
— Acho que ele não está muito aí pra você, Nick! Tá precisando treinar mais seu cachorrinho, hein! — A atriz riu.
E Nick apenas fechou a cara e nem a respondeu.




— É como diz Makena, Bella: “D. Nonna pega pesado mesmo!”. Mas, pela primeira vez, eu realmente sinto que a banda tá indo mesmo pra frente, sabe? Já me vejo num palco profissional, cantando nossas canções para milhares de Sims que estarão batendo cabeça com a gente. Todo mundo louco de felicidade e curtindo nosso som! E eu perdidaço... sem tirar os olhos de você e curtindo sua voz.



— Não fala assim! — Ela riu, sem graça.
— Mas é verdade. — Ele sorriu, comendo.
— E essas panquecas aí, tão boas? — Ela pegou um tequinho do prato dele para provar. — Hmmmm... Estão ótimas!



— Quer que eu pegue algumas para você? — Ele perguntou.
— Nops. Obrigada. — Ela sorriu. — Ah! Esqueci de te dizer: depois da reunião, vou ao salão de beleza de uma senhora super fofa nativa daqui. Ela vai pintar minhas unhas. Quando eu sair de lá, te ligo, ok?



— Ok. Tudo certo. Quer provar? — Ele pegou o copo de leite fresco. — Tá muito bom!
— Não. Obrigada, coração. — Ela sorriu, feliz por vê-lo tão alegre e tranquilo.
E os dois continuaram conversando mais um pouco.





Até que deu a hora dos dois se despedirem para que a jovem Refaeli saísse com o irmão.
— Isabella, vamos! Temos horário! — Nickollas reclamou, principalmente depois que a garota agarrou o noivo e o beijou. “Parece que ela faz isso de pirraça!”, o loiro pensou, irritado.



Lace Carry preferiu curtir a banheira de hidromassagem, apesar dos insetos locais, enquanto o ator saía com a irmã.



— ISABELLA!!! — Ele se segurou para não ir até lá, puxar a irmã e dar umas porradas no vocalista. A vontade dele era essa.
Mas a garota ignorou a chamada, nem aí para a chatice dele.



— Fica bem, tá? Se a gente demorar muito, come algo, ok? — Ela disse, sorrindo.
— Não se preocupa comigo, Bella mia. Eu já sei me virar bem sozinho. De verdade. Mas é melhor você ir agora. Teu irmão deve estar bem preocupado com o horário de vocês.



— A gente se vê mais tarde, tá?... — Ela disse, doce.
— Tá combinado. E eu vou pegar uns peixes pra fazer uns fritos ♫ pra mó de a gente lanchar ♫.
Tanta melosidade vai me dar diabetes!”, Nickollas pensou, contando até dez para não perder a paciência de vez.



— Não se preocupa com isso. A gente come lá no Jaguar, ok? — Ela sorriu.



— Isabella, a lerdeza e esses beijos todos são pra me irritar? Você tá conseguindo!
— Não me enche, Nick. Meu humor tá ótimo e nada vai me tirar do sério hoje. Nem você, irmãozinho lindo!



— Tchau, Bella mia! Tchau, cunhado! — Axl acenou para os dois. E claro que apenas Bella acenou de volta.



— Vamos logo antes que o imbecil do seu “noivo” queira me abraçar também.
— Nick, você é muito sem graça. — Isabella disse, acompanhando-o.



E logo os dois seguiram para o museu.
Já o vocalista entrou na pousada. Foi falar com Juan Franco, o nativo dono do local e que estava na recepção.




— Voltei, Sr. Franco! — Axl riu, já que tinha passado por ali minutos antes e falado com o homem.
— Eis o Sr. Dwayne de volta! E pode me chamar apenas de Juan. — O homem sorriu.
— Ah, valeu! Falou! Então pode me chamar só de Axl mesmo, man. — O vocalista disse, com simpatia.
— Mas me diga: no que posso ajudá-lo?
— Será que pode me dar umas dicas de lugares para visitar aqui por perto?



— Mas é claro! — Juan respondeu, também amigável, e então lhe passou algumas informações de locais legais em Selvadorada.
Axl agradeceu e, animado, saiu para conhecer melhor aquele lugar maravilhoso!



Começou visitando a área de churrascos da pousada, que era aberta ao público e que dava para uma bela queda d’água! Ali ficou por um bom tempo.



A água era tão transparente, tão limpa, que era possível ver o fundo do rio.



Em seguida, Axl foi pescar em um ponto próximo.
A paisagem era deslumbrante!



E pescar ali era bem fácil! Ele até ficou impressionado com o tamanho do Tambaqui que pegou!
Contentou-se com aquele peixe e seguiu caminho, encantando com a vegetação ao seu redor e parando para quebrar algumas pedras bonitas que escondiam itens em seu interior.





Até que chegou à pequena vila de Selvadorada!
Um lugar encantador!



Onde fez novos amigos!



E onde pôde colher alguns tomates e batatas.





Em outro ponto, também colheu algumas bananas-da-terra. Alguns moradores locais lhe disseram que elas eram deliciosas fritas ou assadas.




Fez uma pequena paradinha no banheiro público local, que ele achou bem rústico e exótico.



Depois, foi apreciar mais de pertinho as lindas cascatas. O som delas era maravilhoso e o fazia sentir-se bem e em harmonia com toda aquela natureza deslumbrante!





E como havia um ponto de pesca ali, parou para pegar mais um peixinho enquanto aproveitava toda aquela beleza ao seu redor.





Dessa vez, pegou um lindo Tetra, mas o devolveu ao rio, já que não iria comê-lo.



Também não se demorou muito pescando, pois estava bem curioso para ver mais daquele local. Assim, seguiu para o mercado central.



E ficou encantado com tudo que viu: a feirinha, o famoso bar El Árbol del Jaguar, os turistas passeando, os nativos e suas roupas coloridas e sorrisos abertos.





E a primeira coisa que fez foi se aproximar da famosa Estátua da Madre Cosecha, que era ponto turístico local. Na placa podia-se ler: “A Madre Cosecha ajudou as pessoas a colonizar Selvadorada em uma época de grande fome. Sua receita perdida de grilos achocolatados deu força aos colonos. Arqueólogos também notaram que o Grilo Gigante de Omiscan parece ter sido extinto durante essa grande fome.”*.

* Nota: essa é a descrição da estátua no jogo The Sims 4.



Ficou impressionado com sua riqueza de detalhes e com a grande quantidade de borboletas que voavam perto dela.
Tirou algumas fotos e depois seguiu para as barraquinhas.




Comprou flores Guzmania Pollenis, espuma contra incêndio, pó isolante, facão da selva, isca de morcegos vampiros, cachoeira em garrafa, uma tenda para acampar com a noiva, uma caixa térmica com alguns alimentos já dentro e, claro, repelentes! Principalmente “Repelentes de Aranhas do Dr. Brauzio”.
Tratou de se proteger ali mesmo, já que os insetos estavam adorando seus braços e pernas expostos.



Em seguida, agora já com um pouco de fome, comprou um prato de Baleada e um copo de Horchata; e sentou-se para comer, observando a movimentação no local.





Por fim, um pouco cansado, decidiu ir ao bar, onde se encontraria com Isabella quando ela terminasse os assuntos de negócios no museu.




Assim que entrou, ficou impressionado com o lugar!




E seguiu na direção do bar (propriamente dito).



— Bom dia! — Axl sorriu, cumprimentando os dois homens que estavam ali perto: o barman e um cliente.
— Bom dia! — Os dois responderam.



— Lugar bonito este aqui, hein! — Axl sorriu.
— É verdade. — O barman sorriu. — Selvadorada é um paraíso! Se está procurando onde ficar, temos quartos disponíveis. Aqui também é uma pousada e nosso preço é bem em conta, pois temos festas todos os dias e elas duram até bem tarde da noite, amigão. Se quiser se hospedar aqui, é só não ter sono leve e falar com a Matilda, a moça que está na recepção. — Ele explicou, com seu belo e carregado sotaque selvadorano.
— Obrigado, man. Tô de boa. Só vim esperar minha noiva por aqui. — Axl disse, com simpatia.
— Então fique à vontade. Meu nome é Pedro. Vai pedir algo para beber, para comer?



— Um suco de laranja bem gelado cairia bem, man. — Axl sorriu.
— É pra já! — O homem respondeu, simpático, começando a preparar a bebida.




— Primeira vez nestas terras, amigo? — Pedro perguntou.
— Sim! Minha primeira vez aqui!
— Vou te dar uma boa dica: contrate um guia local e conheça a Selva de Belomísia! Há lugares incríveis nestas matas!
— Ah, quero fazer isso sim e... — Axl foi interrompido pelo som de notificação que chegou em seu celular. — Só um minuto. — Ele disse para o homem, pegando o aparelho.



Olhou e viu que tinha acabado de receber um e-mail com um anexo. O título era: “Sobre sua mãe”. E inicialmente pensou se tratar de alguma brincadeira.
Então abriu o e-mail e gelou ao ver a foto que lhe enviaram.





O texto que seguia era o seguinte: “Axl Logan, você não me conhece e prefiro não me identificar. Mando-lhe este e-mail, de forma anônima, porque sinto que devo fazer o que é correto. Sua mãe é esta mulher da foto, não é? O nome dela é Kyra Dwayne. A garota da foto se chama Haesel e é sua irmã. Elas estão agora no templo do antigo povo Omiscan, na Selva de Belomísia, em Selvadorada, onde permanecerão por três dias fazendo uma pesquisa. Se quiser encontrá-las, esta é sua chance. Espero ter agido da maneira correta ao lhe contar isso. Fique com o Grande Prisma!”.



E Axl ficou chocado! Releu o texto várias vezes, calado, perdido e meio sem chão. Reconheceu sua mãe assim que colocou os olhos na foto. Era Kyra. Era realmente ela! “Então ela está viva e eu tenho uma irmã?”.
— Ei, Axl! Tá tudo bem, rapaz? — Pedro lhe perguntava já pela terceira vez. Ele notou a palidez no rosto do jovem.
— Tá, tá... — Ele respondeu, ainda confuso.



— Tá tudo bem aqui, Pedro? — O homem que retornou ao bar perguntou ao notar a cara dos dois.
— Acho que sim, não sei. — Pedro respondeu, sem ter certeza mesmo se o cliente ali estava realmente bem.



— Vocês sabem onde fica o templo do antigo povo Omiscan? — Axl perguntou, piscando os olhos algumas vezes, com rapidez, recuperando-se do choque que aquela revelação lhe tinha causado.



— Nossa! E como sei! Meu nome é Toni Puentes. Trabalho como guia aqui já tem alguns anos. Já fui lá várias vezes com grupos de turistas. Por sinal, um grupo sai amanhã cedo para aquelas bandas. Tem interesse?
— Toni é um dos melhores aqui da região, hein! — Pedro disse. — Não vai se arrepender se for com ele.



— É que, na verdade, preciso ir para lá agora, tipo “já!”, man. Não posso esperar até amanhã para isso. — Axl falou, preocupado de não encontrá-las a tempo.



— Calma aí, cara. Não posso ir só contigo para lá. Recebo duzentos Simoleons por pessoa para um passeio de três dias na selva e só fecho um grupo com, no mínimo, dez Sims. O grupo de amanhã já está com quinze pessoas. Se eu sair hoje só com você, perco muito... E posso te garantir que não vai encontrar guias disponíveis para sair hoje por aqui. A não ser, claro, que você queira me contratar e fazer valer a pena eu desistir do grupo de amanhã.



— Deixe-me ver... Por esse grupo de amanhã, você receberia... — E Axl começou a tentar calcular mentalmente, usando os dedos para isso.
— Eu receberia três mil Simoleons por esses três dias com essas quinze pessoas. Fora um extra que sempre dão.
— Beleza. Te pago três mil e quinhentos e a gente segue hoje, pode ser?
— Quatro mil e temos um acordo.
— Fechou! Te encontro aqui às 14h, beleza?
— Beleza! E qual o teu nome?
— Axl. Axl Logan Dwayne.
— Então beleza, Axl. Eu te levarei ao templo. Estarei te esperando aqui às 14h. — Ele estendeu a mão para o vocalista.



Axl então apertou a mão de Toni e olhou ao redor, pensando que precisava chegar a tempo para encontrá-las. E também ficaria com poucos Simoleons na conta após pagar o guia, mas isso era o de menos. Ele apenas precisava reencontrar sua mãe, entender o que aconteceu (o porquê de ela tê-lo abandonado e saber onde ela esteve esse tempo todo) e conhecer sua irmã. A ansiedade era grande!




Não muito depois.
No Museu-Restaurante Dr. Jonesim.



O tempo tinha mudado rapidamente e uma forte chuva tinha começado a cair.



Isabella estava ajudando o irmão, analisando a parte administrativa daquele novo empreendimento de sua mãe, quando recebeu uma ligação de Gizella.
Ela se afastou para falar com a amiga enquanto Nick continuava o trabalho com o diretor do local, o Sr. Conner.



— Pelos números aqui, fez bem em abrir a parte do museu logo, Conner. — Nickollas disse.
— Muitos turistas na cidade e, agora que estamos exibindo a coleção completa de artefatos selvadoranos, graças a todo o investimento privado de sua mãe, achei que não poderíamos perder a oportunidade. E o preço de entrada está bem acessível: dez Simoleons por pessoa. E não cobramos dos nativos.
— Justo. — O Refaeli concordou.
— Quando terminarmos esta parte, definimos os detalhes da inauguração do restaurante, o menu que trará, essas coisas. — O homem sorriu, feliz principalmente pelo movimento no lugar reformado.





Enquanto isso, Isabella falava com a tecladista:



— Escuta, amiga: eu ainda acho que você deveria falar com o Dave. Sei lá! Esclarecer as coisas. Colocar um ponto ou, quem sabe, acabar com essa enrolação. — A Refaeli dizia. — Só não acho legal essa situação entre vocês ter rolado com ele noivo da Samara, né?



Gizella estava, naquele momento, no apartamento de sua amiga Susan. Uma tempestade caía, o vento era fortíssimo, mas as duas, mesmo assim, aproveitavam a bela vista da varanda. E a ligação estava em modo viva-voz, para que Susan participasse da conversa também.



— E você acha que estou achando isso legal, Isabella?! Claro que não! Foi um deslize. Um momento que não deveria ter acontecido e do qual me arrependo profundamente!



— Que nada, Bella! Tá me ouvindo? Gi ficou mega balançada aqui! — Susan disse.



— Susan, você é minha amiga, esqueceu? — Gi reclamou. — Não vou nem comentar a parte do “balançada”, mas vou enfatizar uma coisa apenas: não quero meia com homem comprometido! E estou MUITO brava comigo mesma por ter caído na sedução barata daqueles olhos verdes lindos e... AAAAAAAAAAH!!! Que óoooooooodio!!!... Não vou dar uma de “santa do pau oco”, beleza? No fundo eu sabiiiiiiiiiiia que poderia dar m#*%@ abraçar aquele cretino! E deu! Agora preciso de ajuda para me sair dessa!



— Olha, amiga,... — Bella disse. — Nada melhor do que outro boy para se livrar do antigo. E se não ser certo, pelo menos você se diverte.



— Então sua sugestão pra mim é que eu arrume outro problema para me livrar do problema antigo?
— Melhor ideia! — Susan deu risada, concordando.



— Exatamente! — Isabella sorriu. — Cadê aquele tal de “Midas” que você conheceu na internet? Você poderia marcar um encontro com ele, não? Sair do virtual, baby. Mas em local público, tá? Porque vai que ele é um psicopata. — Ela riu.



— O Midas?... — Gizella arqueou uma sobrancelha enquanto pensava naquela opção. — Até que não é má ideia!... Já falo com ele tem mais de dois anos, o cara sempre me chamou para sair e sempre tive medo de perder a amizade. Além disso, não posso negar que tenho uma certa curiosidade de saber quem ele é, como ele é.
— Tá perdendo é tempo. Vocês se dão super bem. — Susan disse. — Eu já teria marcado um encontro. Você sempre fala tão bem dele, Gi.



— Pois querem saber? É isso que vou fazer: vou marcar um encontro com o Midas!
— Só espero que seja gato! Se o cara é legal demais, já desconfio que seja feio. — Susan riu após o comentário maldoso.



— Bem, meninas. E eu preciso desligar agora. Meu amado tá me ligando.



— Vai nessa, guria! Depois a gente se fala! Beijo! — Gi disse.
— Manda um abraço pro Logan! — Susan sorriu.



— Olha aqui, D. Susan, se Gi não tivesse me dado a certeza de que você não coloca os olhos no meu noivo, eu juro que iria ficar bem de cara com esse seu comentário. Não me esqueci daquela vez que vi a senhorita com ele no Sky Dining*, viu!

* Nota: essa cena rolou nos capítulos 4 e 5.



— Pois deveria esquecer, Bella. — Susan disse, de boa. — Ele nunca ficou comigo e é louco por você. E vocês nem estavam juntos na época. Águas passadas.
— Acho bom mesmo! Mas sério: falo com vocês depois, meninas. Agora preciso atender o amado aqui. Fui! — A loira desligou.



— D. Susan, D. Susan! Você não perturbe Isabella não. Ela é toda Barbiezinha, mas sabe ser braba.
— Gosto do Axl Logan como amiga mesmo. Mas confesso que se ele me desse bola...
— Melhor nem terminar o raciocínio, né?
— Não venha me dar lição de moral porque você tá toda errada, Gi.
— Tô mesmo, mas isso não quer dizer que não posso te abrir os olhos! Meu erro foi ter deixado o momento rolar e ter beijado aquele cretino do Dave, mas isso não vai se repetir, meu bem. E sabe por quê? Porque tenho vergonha na cara e sei o que é certo e o que é errado. Ele que fique pra lá com a Samara dele! Que seja muito feliz com ela!
— E você vai mesmo marcar com o Midas?



— Claaaaro que sim! E você vai comigo, darling. — Gi disse, decidida.



Enquanto isso, Bella falava com o noivo:
— Oi, coração! Onde você tá, amor?



— Bella mia, tô de volta aqui na pousada arrumando umas coisas para levar pra selva, amor! E tenho que te contar uma novidade gigaaante, coração!
— Sério? Me conta! — Ela riu do jeito que ele falou.
— Vamos lá: acredita que o Franco arrumou a pousada toda com pisca-piscas e bandeirolas? Que louco, cara! Saí só umas horinhas e, quando retornei: PÁ!!! Tava tudo pronto! Ficou muito show! Adoro essas luzes piscando! — Ele falou com um largo sorriso no rosto, genuinamente alegre, priorizando aquele assunto no lugar do e-mail que tinha recebido. Mas tudo bem! Axl sendo Axl. :)




— Que massa, amor! Mas sim! Quer dizer que você já contratou o guia pra levar a gente pra selva? Gostei de ver! Mas, com essa chuva, vamos amanhã de manhã, certo?







— Não, Bella mia. Eu preciso ir agora. Marquei com o maluco hoje às 14h, no Jaguar. De lá, ele vai me levar até um templo onde minha mãe e minha irmã estão!



— Como é que é?!! Sua mãe e sua irmã? Que irmã, Axl? Do que você tá falando? E que maluco é esse?!!




— Bella mia, eu recebi um e-mail, sei lá de quem, com uma foto mostrando minha mãe e minha irmã! E no e-mail diz que elas estão num templo na selva daqui! Daí contratei um guia que vai me levar hoje mesmo até elas! — Ele disse, olhando a chuva cair, com um sorriso no rosto.
— Me manda esse e-mail. Quero ver essa foto.
Ele então fez isso.




— Pelo Grande Prisma, amor! Essa é sua mãe mesmo? Não estão querendo te enrolar não, né? Isso não é nenhum tipo de golpe, né? — Ela fazia uma pergunta atrás da outra, preocupada com ele.



— Não, coração! É minha mãe mesmo! Eu a reconheci assim que vi a foto! E a garota é a minha cara, só que mais bonita mil vezes! — Ele riu. — E eu preciso encontrá-las antes que elas saiam de lá. De acordo com o e-mail, elas ficarão três dias no local. Para chegar lá a tempo, tenho que sair hoje!



— Ok! Faz o seguinte: não quero que vá sozinho, ok? Eu... Eu vou falar com o Nick, passo aí na pousada para pegar minhas coisas e a gente vai junto, beleza? Me espera aí! Promete?



— Prometo, amor! Te espero aqui! — Ele respondeu, feliz.
— Então daqui a pouco estou chegando. Beijo, mô! — E ela desligou.




E o vocalista da Nordic então, super feliz, foi tomar banho de chuva, correndo de um lado para o outro e gritando:




— EU TENHO UMA IRMÃZINHA!!! EU TENHO UMA IRMÃZINHA!!!
— CALA A BOCA, MISERÁVI!!! — Um dos hóspedes gritou de seu quarto.



— EU TENHO UMA IRMÃAAAA!!! UHUUUUUUL!!!



Enquanto isso, de volta ao museu-restaurante, Nickollas percebeu a mudança súbita no rosto da jovem quando a viu encerrar a chamada.




— Que cara é essa, Bella? Que foi que aprontaram com você? — Ele já chegou enfezadinho só de pensar que alguém tivesse feito algo contra sua irmã.
— Irmão, preciso entrar na selva com Axl hoje. Vamos até o templo do antigo povo Omiscan.
— Mas leva tempo pra chegar lá e nós ainda temos muitas coisas para resolver aqui, Isabella. Você não disse que ia “turistar” com teu “noivinho” depois que terminássemos tudo aqui? Cadê a responsabilidade?



— Olha,... É importante, ok? Realmente preciso ir.
— E por que você está com essa cara? Você tá preocupada com alguma coisa! O que é que você não tá me contando, Isabella? — Ele insistiu, sério.



— Nick, olha, não é assunto meu, ok? Você se vira aí e, quando eu voltar, a gente conversa e te coloco a par de tudo. — Ela começou a se retirar dali.
Nick olhou para Conner e disse: — Já volto, ok? — O diretor assentiu e ele foi atrás da irmã: — Senta ali, Isabella. Vamos conversar!



— Não tenho o que te falar, ok? Só estou te pedindo para cuidar das coisas aqui pra gente não atrasar a inauguração do restaurante.
E percebendo que não iria conseguir convencê-la na grosseria, e não querendo criar uma cena ali (que poderia ser filmada por algum turista e colocada na internet, arruinando a imagem dele), Nick respirou fundo e resolveu usar suas habilidades cênicas para conseguir o que queria: caprichou na cara de preocupado (não que ele não estivesse, mas resolveu exagerar mais) e disse, com o tom de voz mais gentil que pôde:
— Irmãzinha, por favor: senta aí pra conversar comigo rapidão. Senão vou ficar mega preocupado contigo.
E ela, até um pouco surpresa com a forma como aquele pedido foi feito, sentou-se.



— Me diz o que está acontecendo, vai, Bella. Eu te conheço e sei que tem algo te preocupando.



— Mandaram esse e-mail aqui para o Axl. — Ela mostrou.
Caramba, que guria gata!”, ele pensou ao ver Haesel na foto.
— Tá. — Ele disse, tentando não demonstrar muito seu interesse em saber mais daquela história. — E é realmente a mãe dele aqui nesta foto?
— É sim.
— Então você está pensando mesmo em ir nesse templo com ele, irmã? Só vocês dois e um guia? Vocês não sabem nem quem enviou essa foto e essa informação! Tá estranho isso aí!



— Eu sei, mas também pode ser verdade, né? E eu não vou deixar o Axl ir sozinho. E você fica aqui e chama a polícia caso a gente não volte até a hora da apresentação da banda, daqui a cinco dias, ok?



— Vamos fazer melhor: você fica aqui, em segurança e cuidando dos assuntos do museu, e eu vou com o Axl.
— Você, Nick? Você odeia o Axl!
— Não gosto dele, mas quem sabe ele não me faz mudar de ideia? Além disso, já perdemos nosso pai e não quero perder minha irmã. Eu sei lutar, sei atirar muito melhor do que você e posso garantir que ninguém vai encostar nem em mim nem nele.
Isabella ouvia, pensativa, analisando as palavras do irmão.



— E, por favor, Isabella! Posso não gostar dele, mas eu não sou nenhum assassino! Além disso, sei que você tá com essa cara porque morre de medo das cobras, aranhas e outros bichos que sabemos ter nessa selva aí. Fora que a Lace é super chiclete. — Ele inventou essa. — Vai ser bom eu ficar um tempinho longe também. E aí? Posso ir?
Isabella ainda tinha dúvidas, mas, no fundo, ainda confiava no irmão. E ela realmente tinha medo das criaturinhas que estavam na mata.
— Ok, Nick. Vou ligar para o Axl e avisá-lo que você vai no meu lugar, ok? Mas você precisa ir agora.
— Beleza. — Ele sorriu. — Agora vem cá e me dá um abraço!



— Obrigada, Nick. É muito legal de sua parte fazer isso. — Ela disse, com genuína esperança de que agora seu irmão aproveitaria a oportunidade para conhecer melhor seu noivo e que tudo ficaria bem entre eles.



— Estou sempre aqui para você, irmãzinha! — Ele sorriu.



E logo Nick estava seguindo para a pousada, onde pegaria suas coisas e partiria com Axl para a selva.




Isabella já tinha ligado para seu amado e lhe explicado que Nick iria com ele. Ainda assim, algo dentro dela, desde que soubera dessa história de que a mãe e a irmã de Axl estavam nesse templo, lhe dizia que algo estava errado.


  
Já Nick estava feliz.




Agora é só eu esperar pela oportunidade perfeita para acabar com aquele retardado do Axl Logan!”.











Obrigada, amigo Simmer, por acompanhar minha história!
Deixe seu comentário abaixo ou na página no Facebook! S2
Tenha uma ótima semana! :)



CRÉDITOS:

SIMS:
Baixados da Galeria e, alguns, modificados.

LOCAIS:
Pousada Jungle Villa: totalmente baseada no lote “Selvadorada Jungle Villa”, by HighlandGaming; minha versão reformada encontra-se aqui (by isarpgista);
Cantina “El Árbol del Jaguar”: by isarpgista (Galeria e Mediafire);
Museu-Restaurante Dr. Jonesim:
- Versão museu: by isarpgista;
- Versão restaurante: by isarpgista.

OUTROS:
Cabelo: Kiara Zurk (usado por Haesel);
Cabelo: Taylor Hair (usado por Lace).


Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!



2 comentários:

  1. Oi Sally!
    Amei a história, mas agora vamos aos comentários:
    1 – BOLO DE CENOURA! André e eu agradecemos pela lembrança. <3 Axl perdeu de comer a gostosura. Entendo Bella para manter o shape e sei que panquecas são gostosas, mas bolo de cenoura? Huuummmmm!!!
    2 – Até Chad tá de saco cheio de Nick, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    3 – Nick consegue ser lindo mesmo sendo malvado. Kkkkkkkkkkk
    4 – Selvadorada é muito linda! Fiquei com uma leve inveja branca. Cenários lindos, peixes grandes (amei ele devolver a natureza o que não ia consumir), as vestes dos nativos. Amei o local! E amo banana-da-terra, tanto frita, quanto cozida. Aviso a Axl: se sobrar, também quero!
    4 – A mãe e a irmã de Axl são lindas, mas... “Isso é cilada, Bino!” A sua irmã está na cidade dos Vamps!
    5 – Axl, definitivamente, não sabe pechinchar. Ainda bem que ele não cuida das finanças do Nordic Lhama. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas entendo que a emergência da ituação tira a maioria das pessoas do sério, não pensando na questão financeira.
    6 – Susan Rabbit! <3 Amei relembrar a participação dela. Ri muito naquele capítulo! Bom ver que Bella e Susan estão se entendendo, mesmo que Bella morra de ciúmes ainda. Se ela souber que a ideia surgiu de Gi, terá um 03ª Guerra!
    7 – “E estou MUITO brava comigo mesma por ter caído na sedução barata daqueles olhos verdes lindos e...” Gi se entegou! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    8 – CARACA!!! Quando Gi souber que “Midas” é dono do boliche que fica em frente ao apê dela, talvez tenha um treco! Fazer o quê? O cara tem o toque de ouro!
    9 – “Ele que fique pra lá com a Samara dele! Que seja muito feliz com ela!” Samara é sinônimo de infelicidade. Não rola! O que Dave merece é um golpe de frigideira na cabeça e focar na Mutante do Cabelo!
    10 – As prioridades de Axl! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    11 – “E a garota é a minha cara, só que mais bonita mil vezes!” Axl é tão modesto! Muito fofo!!!
    12 – “— CALA A BOCA, MISERÁVI!!!” Eu só consigo rir! E isso é pq é por volta da hora do almoço. Se Axl tivesse recebido o e-mail pela madrugada, faria igualzinho, e a gritaria dos hóspedes seria geral. kkkkkkkkkkkkkkkk
    13 – Nick ajudando Axl? Tá com cara de cilada, Bino! Ele pode agregar ajuda em momentos difíceis, e até torço para que se acertem, mas a gente conhece o loiro: ele tá doido para uma revanche e na mata não há muitas testemunhas.

    Amei a história, Sally! Ansiosa para este encontro entre Axl e Nick e para o mistério sobre a localização da mãe de Axl. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. AHHNNNN FIQUEI COM A MESMA EXPRESSÃO DO SPLIUC QND SOUBE Q IA SER PAI QND O CAPÍTULO TERMINOU


    GENTIIIIIIII
    O Nick ta armando ta armando!!!!! Mas sei lá, ainda acho q ele não tem relação com a foto da mãe e da irmã, sei lá... Parece q a ocasião fez o ladral.

    Po mt maneiro esse capítulo de Selvadorada, li ele agora com maior chuvao lá fora, e a vegetação de Mata Atlântica aqui do Rio faz a gente se sentir dentro do jogo. Tb estou jogando um pco nesse mapa.

    Acho q foi o meu cap favorito 🤔
    Gostei mt da pousada, o café da manhã me deu ate fome, vou fazer um lanchinho. Ou melhor, vou fazer um achocolatado!!! Pq ta frio demais aqui kkkk

    Q museu top, só evitei os artefatos para não ter spoiler do jogo qnd eu for explorar heheh

    Achei mt legal a parte do guia fechando os grupos, achei mt dinheiro, mas o Axl não podia perder tempo. E mt bonita a irmã dele viu!!


    Aguardando, não demore mt a postar o prox, amo Selvadorada com chuva!!

    ResponderExcluir