terça-feira, 18 de abril de 2017

Axl Logan - 12 - Triunfos Diversos


Esta é a história de um Sim chamado Axl Logan.
Acompanhe aqui suas aventuras (e desventuras)!

Dica: para uma melhor visualização (zoom), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).





Axl Logan
Livro I
Adormecido

Capítulo 12 – Triunfos Diversos



Resumo do capítulo passado: Marit Refaeli resolve assuntos de sua galeria de arte e depois sai para um compromisso agendado; uma das equipes de investigação da Unidade Policial de Magnolia Promenade descobre que Axl está com o boneco Amor de Meduso, que possui (supostamente) um vídeo comprometendo o deputado Victor Feng na morte de seu velho amigo, o bilionário empresário Stein Refaeli; a banda Nordic Lhama retorna do Segundo Império e Axl, Dave, Gi e o Batera passam a noite/madrugada no apartamento do casal Stubbs (Big Joe e Makena); a detetive Hannah Chase pega o depoimento de Marit; Victor Feng é informado que Axl está com o vídeo e, assim, ele contrata alguém para pegar o Amor de Meduso das mãos do rapaz.


San Myshuno.
Na vizinhança do Mercado de Especiarias.




Assim que todos acordaram e se arrumaram, no apartamento dos Stubbs, tomaram o café-da-manhã e então seguiram para o “Los Pardais”, onde Big Joe deixou sua esposa. De lá, ele foi (com Axl, Dave, Gi e o Batera) até o depósito alugado por Makena.
— Bem, garotos, pedi para que me acompanhassem porque quero lhes mostrar onde vocês vão ficar agora. — Ele sorriu.



— Como assim, Big? Não poderemos mais ficar acampados atrás do bar?!! — Axl perguntou, sobressaltado. — Foi alguma coisa que fizemos?!! Fizemos algo errado?!! Vamos ter que nos mudar e acampar atrás desse lugar aí?!! E se o dono não for com nossa cara?!! E se o dono nos expulsar?!! Ele não vai me deixar fazer fogueira e assar cachorro-quente!!!



— Axl, calma, calma, meu bom garoto! — Joe riu. — Vocês sempre vão poder acampar atrás da Los Pardais, se quiserem! Mas não precisarão mais, pois esse lugar está alugado para vocês!
— Oi? — Dave olhou para Big sem entender. — Você e Makena alugaram esse lugarzão aí pra gente?! — Ele perguntou, surpreso.



— Alugamos sim, mas breve quem vai comprar o lugar é alguém que é grande fã da Nordic Lhama. E assim que essa pessoa fizer isso, esse lugar será de vocês. — Big sorriu.
— Como assim, Joe? Que alguém? Explica aí o que está acontecendo! Não temos como pagar esse aluguel! Pelo menos não ainda! Como vamos pagar vocês? Quem é essa pessoa? Por que compraria o lugar e nos daria? — Dave ficou preocupado.
— Prometo explicar tudo assim que eu puder, ok? Mas, por enquanto, a única preocupação de vocês deve ser arrumar o lugar, pois o locador avisou Makena que aí dentro está uma bagunça. Parece que o último inquilino deixou o local uma zona. — Joe disse.



— Eu estou me sentindo muito empanturrado para arrumar qualquer coisa agora! — Axl falou, passando as mãos na barriga. Makena só os deixou sair do apartamento quando viu que todos comeram MUITO bem (e, para ela, isso significava comer muito).
— Bem,... Vocês não precisam arrumar nada exatamente agora, garotos! O lugar é de vocês e devem ficar à vontade para organizar tudo do jeito que quiserem, se quiserem. — Joe sorriu.
— Não fala assim, Big. — Gizella riu. — Até bato uma aposta de que isso é preguiça pura!
— Então vamos entrar para ver o lugar! — Joe sorriu e passou a chave para Dave.
— Hey!!! Deixa que eu abro!!! — Axl disse, animado, pegando a chave do primo, que riu.




Assim, eles seguiram para ver o tal do “depósito” onde morariam. Assim o lugar era chamado naquela área.
— Já estou sentindo falta do acampamento... — Axl disse, olhando saudoso para o Los Pardais.
— Deixa de presepada, Axl! Você ainda nem viu o depósito, cabeção! — Gi falou.
— Pensa positivo, Axl: vocês agora serão nossos vizinhos! — Big Joe riu.
— Então isso quer dizer que você vai nos trazer um prato de boas-vindas? — O vocalista perguntou.
— Vou sim! Breve, breve! — Joe caiu na risada com essa.



— Wow!!! Esse lugar é maneiro! Olha todo esse espaço! — Axl esqueceu imediatamente o “acampamento” ao ver a sala.
— Caramba! Eu não sabia que a bagunça aqui estava nesse nível!!! — Joe reclamou assim que viu o estado do lugar. — Vou ligar para o locador e reclamar disso imediatamente! — Ele engrossou.
— Relaxa, Joe. Isso aqui nem se compara com os lugares onde já fiquei! — O Batera riu. — A gente limpa. Fica de boa.



— Ficar “de boa”, “de boa”, não vou. Mas vou bater fotos de toda a zona e mandar para ele. Pelo menos um grande abatimento no preço de venda deste lugar ele vai ter que fazer! — Big disse, meio irritado.
— E esses móveis velhos? O locador vai querer? — Gi perguntou.
— Ele disse que tudo que está aqui será vendido junto com o local. — Joe a respondeu.



— Gostei do sofá! — Axl sorriu, pulando sentado nele.
— Vandalizaram até os murais... — Gi disse, olhando de perto.
— Tenho raiva de pichação, véi! — O Batera falou. — Esses pichadores babacas destroem a arte dos grafiteiros. Tenho certeza que isso estava legal antes do vândalo aparecer!
— Com certeza. — Gi lamentou. — E quem gosta de pichadores deveria dar o muro da própria casa para eles picharem!
— Pois é! Pichação no muro dos outros é refresco! — Batera falou, indignado.



Já Axl arrumou a mesinha e colocou a TV no lugar.
— Tá funcionando, galera!!! — Ele disse empolgado.
— Pelo menos isso! — Joe riu.
— E olhem a visão dessas janelas! Esse lugar é perfeito!!! — Axl estava muito entusiasmado.
— Desliga isso e vamos olhar a cozinha, primo. — Dave falou, ainda encucado com essa história de que alguém daria o lugar para eles. “Como?”, ele se perguntava.



— Eu não sabia que tu curtia Grafite, Batera. — Gi disse.
— Eu não só curto, mas pratico um pouco também. No entanto, curto mais é malhar! — Ele riu.
Creioemdeuspai! Por isso que tem esses pernões!”, a tecladista pensou, e depois se repreendeu: “Foca no Dave, Gizella, foca!”.
— Além do mais,... — Ele continuou. — Eu não gosto de gente que vandaliza as coisas, saca?
— Saquei, saquei... — Ela disse, ainda dando uma olhada discreta nas batatas das pernas dele.



— Esse lugar é da hora, hein! — Batera disse, quando foram ver a cozinha.
— Concordo. — Gi respondeu, observando agora o mar, que eles podiam ver dali. — Mas, gente, por que alguém venderia um prédio que tem uma vista tão linda como essa, hein?...
— Pode ter a vista que for, mas o cheiro,... Nossa!... — Joe reclamou. — Essa cozinha está podre! O carpete da sala está podre! Está tudo fedido por aqui! Olha só a quantidade de restos de comida estragada no chão! — Ele batia fotos de tudo, determinado a inquirir o locador sobre aquelas condições do imóvel.
Dave, calado, apenas observava tudo, quieto e inquieto; em sua mente, o que importava era saber a identidade da pessoa que compraria o lugar para eles. Não estava acostumado a receber nada “de graça” em sua vida. “O que isso poderia nos custar?”, ele se perguntava.



— Pessoal, é só a gente limpar que tudo vai ficar brilhando! — Axl disse, passando um paninho na bancada imunda. — E depois ainda faço um Bolo Zumbi pra gente!




O vocalista era o mais animado ali, ainda mais depois de ter visto a despensa, onde havia também um espaço para lavar e passar roupas. Ele estava se sentindo em uma mansão!



— Não sei vocês, mas estou subindo! Quero escolher meu quarto! — Axl disse.
E Joe falava com Dave:
— Sei não... Não tinha vindo aqui antes com Makena. Não acho que vocês devem ficar aqui até que esse lugar seja limpo. Não quero deixá-los nessa imundície. Não achei que a bagunça estava tão grande. — Ele praticamente se desculpava com o baixista.
— Joe, relaxa, ok?... Eu realmente agradeço demais por tudo que você e Makena fazem por nós, mas a gente arruma tudo aqui. Sério mesmo. Não te preocupa! Eu só queria que você me explicasse que história é essa de que esse lugar será nosso. Fala aí, véi. Não estou gostando nada de ficar no escuro nessa onda aí.
— Mas vai ficar até eu poder contar tudo. Vamos subir e ver os quartos. — Joe encerrou aquele assunto.



Lá em cima,...
— Olhem que da hora! Dá para ver toda a sala! — Axl parecia criança com brinquedo novo. — OLHA O ECOOOO... ECOOOO... ECOOOOO!!! — Ele ria, bobo.
— Podíamos ensaiar na sala. E colocamos o sofá e a TV aqui em cima, o que acham? — O Batera perguntou.



— Não sei, não sei... — Dave respondeu. — O ideal seria a gente isolar acusticamente um dos quartos, para não perturbar a vizinhança.
— Não creio que possam perturbar tocando na sala, Dave. — Joe disse. — Vocês têm como vizinhos apenas meu bar, que tem proteção acústica, e um depósito ao lado, que nem é tão ao lado assim.
— Então tá decidido!!! Caaaaaaaaara!!! Nossa sala será nossa garagem de banda!!! Isso não poderia ficar melhor!!! — O vocalista disse, já imaginando os instrumentos ali.



Depois foram ver a varanda.



— Olhem só que vista! — Axl sorriu, muito feliz.
— Podemos ver a vizinhança praticamente toda daqui! — Dave disse.
— Assim como podemos ser vistos, né? — O Batera riu.
— E, qualquer problema, a gente manda sinal de lanterna para o apartamento do Joe! — Axl disse, animado.
— Manda um SOS em código Morse, Axl! — Joe brincou.
— Vou aprender como fazer isso! — O vocalista respondeu, levando a sério.
— Ai, meu Prisma! Deve ter caído do berço umas vinte vezes, no mínimo. — Gi riu, se referindo a Axl.



— Mas olha isso, gente! Parece um palco para o mundo! — Axl falou, encantado com a nova casa.
— Tá poético, hein, Logan! — O Batera zoou.



— Apenas eu acho que podíamos tocar daqui de cima quando tiver algum evento na praça? — Axl perguntou, animado.
— Até que não é uma má ideia! — Batera disse. — O problema é o som se espalhar todo errado. — Ele riu.
— Só lembrem que depois das 22h temos a lei do silêncio. Tocar aqui fora pode fazer muito barulho. — Joe disse, sério.
— Podexá. Eu cuido de tudo, Big. — Dave disse.
— E quem reclamar antes das 22h, mandem pra mim! — Gi brincou.



Então seguiram para ver os quartos.
— Posso ficar com esse? — Axl perguntou.
— A gente vai ver, véi. Relaxe. — Dave respondeu o primo.
— Quanta bagunça! — Joe reclamou novamente.



Viram que, naquele, havia até um espaçoso closet.
— Com uma boa reforma, vocês poderiam transformar o closet em um banheiro. — Joe já analisava o lugar com o olhar de um empresário.



E o banheiro, do primeiro andar, ficava entre os dois quartos que havia ali.
Estava limpo pelo menos.



Já o segundo quarto, esse era bem interessante: parecia uma quitinete e tinha até uma geladeira velha.



— Olha esse quarto!!! Que da hora!!! — Axl se largou na cama. — Ele pode ser meu? Ele pode ser meu?!!
— Velho, relaxa aí que depois a gente decide, cabeção! Já te falei isso! — Dave reclamou com o primo.
— Vocês serão três garotos morando nesta casa. — Joe disse. — E, pelo que li no contrato assinado, é possível utilizar o imóvel para subarrendamento. Sabe o que é isso, não? — Ele perguntou para Dave, mas foi Gizella quem respondeu:
— Subarrendamento: você aluga um imóvel. Geralmente um imóvel bem degradado. Daí você faz pequenas reformas nele e o deixa habitável. Então você aluga o lugar todo para outra pessoa ou organização, cobrando uma quantia que cubra o aluguel que você paga por ele e que sobre algum Simoleon nas suas mãos, para que seja seu lucro. E, olhando essa casa e entendendo o comentário do Big, acredito que sua ideia seja alugar quartos para estudantes.
Big Joe assentiu, sorrindo.
— Hmmm... É uma ideia realmente MUITO interessante. — Dave disse, pensativo.
— Então vamos descer e ver o que encontramos na garagem? — Joe os chamou.
— Vamos nessaaaaaaaaaaa!!! — Axl foi o primeiro a correr para o térreo.



A entrada para a garagem ficava ao lado da porta de entrada da casa e ao lado do banheiro do térreo.



Que, para sorte deles, também estava limpo (apesar do papel de parede bem velhinho).



— Espaçoso aqui! — Dave sorriu.
— Pode ser meu quarto? Pode ser meu quarto? — Axl perguntou, animado.
— Vamos conversar sobre isso, Axl. Relaxa aí, caramba! — Dave disse.
— Material de marcenaria e de pintura. Interessante... — Gi comentou.



— Quem estava morando aqui deixou até um mural cheio de coisas. Será que volta para buscar? — Batera perguntou.
— Duvido muito, mas vocês podem deixar tudo guardado em uma caixa, caso apareça alguém atrás de algo. — Joe disse.
— É. Faremos isso. Agora vamos voltar à sala para conversar, galera. — Dave falou.


 
Então, logo em seguida, eles se reuniram na sala; Dave e Batera pegaram duas cadeiras da cozinha.
— Garotos, ainda acho que não deviam ficar nessa sujeira. Ainda posso ligar para o locador e exigir que ele limpe tudo antes de se mudarem. — Joe disse, preocupado com eles. — Vocês ficam comigo e Kena no apartamento.
— Nem pensar, Big! Já te disse para relaxar, man! A gente vai cuidar de tudo. Vai ser legal deixar esse lugar com uma cara decente. — Dave repetiu o que já tinha dito antes.
— E eu achei esse lugar perfeito! Logo a gente o deixa novo! — Axl sorriu.
— Vocês têm certeza? — Joe perguntou novamente.



— Olha para essas caras de felicidade, Big! — Gi disse, olhando os amigos. — Estão que nem pinto no lixo! — Ela riu. — Literalmente no lixo, mas tudo bem! — Ela brincou.
E eles caíram na risada.



— Já estou entendendo a do nosso Big Joe, galera! Ele quer tirar a gente daqui porque não tá a fim de nos ajudar a limpar essa zona! — Batera riu.
— Tsc, tsc... Que feio, Big, que feio! — Dave entrou na zoeira.



— Faz sentido! Faz sentido! Mas, pessoal, o Big tem que trabalhar com a Kena, ora! Não estão pedindo muito dele? — Axl perguntou, levando a conversa a sério. — Além do mais, ele até alugou todo esse casarão da hora aqui pra gente! — Disse, feliz.
— Mas é tonto mesmo! — Gi falou com Axl e depois olhou para Joe: — Você e Kena podiam vir jantar aqui com a gente hoje. O que acha? Eu mesma farei o jantar!
— Faz pizza de pepperoni, Gi! — Axl pediu, animado.



— Ok, Logan! Teremos pizza de pepperoni! — Gi revirou os olhos. — Mesmo porque se não tiver, você vai me olhar com aqueles seus olhos chorões e vou me sentir culpada!
— Então acho melhor você caprichar nessa pizza hoje! — Big riu.
— Mas você e Makena estarão aqui, né? — Gi perguntou.



— Eu não posso prometer que viremos hoje. — Big disse. — Essa semana, eu e Kena temos muitas coisas para resolver: os assuntos administrativos do Los Pardais. Mas nos veremos em breve, garotos! Somos vizinhos! — Ele sorriu, levantando-se. — Mas agora, preciso ir. Cuidem-se! E, qualquer coisa, me liguem, ok?
— Eu te levo à porta, Big. — Dave disse, após todos terem se despedido do bom homem.



Então logo os dois saíram, deixando Axl, Gi e Batera conversando sobre o que fariam no jantar e sobre onde colocariam os instrumentos.



Lá fora, antes de sair, Joe virou-se para Dave e lhe disse:
— Dave, sei que você precisa da explicação, mas, acredite: não posso lhe dar agora... Apenas confie em mim. Uma pessoa que é muito fã da banda está investindo em vocês.



— Cara, Big,... Não é a Isabella que está usando o dinheiro dela para nos dar uma casa e usando você e Makena de fachada não, né? Eu já disse que não queremos os Simoleons dela! Depois a família dela, principalmente aquele babaca do Nick, vai sair dizendo que o Axl quer é a grana da guria! — Dave falou, sério e preocupado com o primo.



— Olha, até onde sei, ela nem soube que vocês estavam acampados atrás do bar! E não! Não é a Bella. Não te preocupa com isso. Você confia em mim ou não?
— Claro que confio, Joe. Você é como um pai pra gente. Mas preciso saber quem pretende comprar este lugar para nos dar! São vocês?... É você e a Kena? Se sim, sabe que não vou aceitar isso.
— Não somos nós, apesar de que, se pudéssemos, com certeza faríamos isso!... A única coisa que estamos fazendo é pagando o aluguel até essa pessoa poder comprar o lugar. Assim, evitamos que outro Sim compre a propriedade. Mas vou te dar um conselho: o quarto que tem um grande closet: reserve-o. Logo vocês saberão quem é essa figura e essa pessoa certamente adoraria ficar naquele quarto.
— Quanto é o aluguel dessa casa?
— 400 Simoleons. Se você alugar a quitinete por 600, já fica no lucro.
— Beleza... E te passo os 400 então.
— Não precisa, garoto! — Ele disse, sério.
— Eu insisto, Big. E em relação a isso, não aceito um “não” como resposta.
— ... — Joe o olhou, pensativo. Então suspirou e disse: — Beleza, beleza. Como quiser.
E Dave o olhou desconfiado; ele já estava começando a pensar em alguém que poderia estar ajudando-os daquela forma, mas não tinha certeza porque sabia que essa pessoa não tinha condições financeiras para tanto.



— Quer saber? Vou esquecer isso por enquanto, ok? Só sei que estamos muito agradecidos por toda essa ajuda! É isso que importa. E muito obrigado por você e Kena estarem sempre nos cuidando, nos apoiando, Big. — Dave sorriu e deu um abraço apertado em Joe, que, claro, retribuiu com muita alegria e satisfação.
— Arrumem tudo, cuidem de tudo e, principalmente, se cuidem, beleza? Vocês sabem que estamos aqui para o que der e vier. E tratem de criar uma música própria, porque sem isso vocês não se destacarão, caramba!
— Você está certo. Você está certo. — Dave sorriu.



E então Big Joe seguiu para o Los Pardais.



Só depois de ver Big entrar no bar, Dave voltou para dentro da nova casa.



Organizado e metódico que era, colocou de volta a cadeira que estava na cozinha (que ele tinha pegado) e depois se sentou no sofá, ao lado de Gizella:
— Ei, povo! Voltei! — Acenou, na zoeira.
— E aí, vamos decidir qual será meu quarto? — Axl sorriu, animado.



— Olha, galera, por mim, eu durmo em qualquer lugar. Até aqui na sala tá beleza! — Josh Batera falou.



— Pessoal, é o seguinte:... — Dave começou a falar. — Alugaremos a quitinete. E o Big me sugeriu deixar o quarto do closet reservado para a pessoa que pretende comprar essa casa e que nos deixará ficar aqui.
— Não foi a Isabella, foi? — Gizella perguntou.
— Perguntei a mesma coisa, Gi, mas ele me garantiu que não. — O baixista falou. — Ele e Kena estão pagando o aluguel daqui até a tal pessoa misteriosa comprar o lugar.
— Caaaaaaara!... — Axl exclamou, pensativo. — É mesmo! Pode ser mesmo que essa pessoa misteriosa seja a Bella! Eu esqueço que ela tem uns Simoleons a mais que a gente! — Axl riu.



— “Só uns Simoleons a mais”! — Gi repetiu. Ela tinha certeza de que Axl não tinha a menor ideia do que poderia ser um bilionário.
— Big me disse que quem alugou é uma pessoa que é grande fã da banda. E disse que breve saberemos quem é. Mas até lá, sugeriu que eu deixasse aquele quarto reservado. — Dave falou. — Mas prosseguindo: eu, Axl e o Batera podemos dividir a garagem. Deixamos o quarto lá reservado e alugamos a quitinete.



— Posso ficar no quarto reservado até a pessoa misteriosa aparecer? — Axl perguntou.
— Pode sim, primo.
— E eu fico feliz em dividir a garagem com vocês! — Josh sorriu.



— Escuta,... Por quanto você vai alugar a quitinete? — Gi perguntou.
— 600 Simoleons. — Dave respondeu. — Pago o Joe e depois ficamos com 200 garantidos para pagar alguma despesa ou comprar comida.
— Estou pagando 800 lá no apartamento da Susan. Vocês poderiam alugar a quitinete pra mim! E aí? Eu economizo 200 e ainda ajudo vocês! — Ela sorriu.
— Mas tua amiga vai ficar de boa se tu sair de lá?
— Com certeza! O apartamento é dela e ela arranjará facinho outra guria para colocar lá! Além do mais, ela está sempre trabalhando como modelo cover da Jessica Rabbit. Mal a vejo! E aqui eu ficaria mais perto de todos vocês... Se é que você me entende. — E Gi deu um sorrisinho travesso para Dave.
— Então fechou! — Dave disse, feliz, sem tirar os olhos dela.



— E eu espero que fiquemos famosos e ricos logo para eu ter meu próprio quarto e ninguém misterioso aparecer para tomá-lo de mim! — Axl reclamou.



— Nem me fale, brother! Penso nisso todo dia! — Batera disse para o vocalista. — Mas sim, véeeeeeei!!! Vamos falar de como foi massa o nosso show lá no Segundo Império!!!
— Vamos sim!!! — O vocalista animou-se novamente.
E enquanto eles relembravam a apresentação, Dave e Gi trocavam olhares cada vez mais interessados.






Horas depois, naquela tarde.
Unidade Policial de Magnolia Promenade.



Aquele dia tinha sido bem movimentado naquela unidade: pela manhã, Sierra passou o caso de Ning à Detetive Hannah Chase; depois, no início daquela tarde, houve o depoimento de Marit Refaeli; e agora, Sierra entrava no escritório de um dos detetives locais, onde um casal*, vindo do Segundo Império, a esperava.

* Nota: Carol e André Fagundes são os protagonistas da história Vermelho e Verde, de minha querida amiga e autora Andréa Freitas. Acompanhe! E obrigada a Déa por ter deixado as falas deles de acordo com o que diriam! :) S2



— Olá! Bom dia! — Sierra cumprimentou todos no recinto.



— Bom dia, Sr.ª Moss! Nós somos os Fagundes. Meu nome é Carol e este é meu marido André. É um prazer conhecê-la! — Carol sorriu.
O casal foi levado àquele recinto pelo policial Amaro, que agora estava ali sentado na frente deles, onde esperavam pela Tenente Sierra, já que, antes, ela não se encontrava em sua sala e ninguém podia ficar dentro do escritório de um policial sem a presença do mesmo. Era uma norma da instituição.
— O prazer é meu. Obrigada por terem vindo. — Sierra agradeceu. – O policial Amaro já lhes falou alguma coisa?



— Eu ia começar a explicar agora. Eles chegaram há pouco. — Amaro falou.
— Ah, tá. Ok. Então não se preocupe, Amaro. Eu pego daqui. Obrigada. — Sierra disse; então olhou para os dois e os chamou: — Vamos?



E os três saíram.



Seguiram para o último andar do prédio.



E, na frente da porta do escritório da Tenente, o advogado dos Fagundes já os esperava. Assim, depois de todos se cumprimentarem, entraram no recinto.



Sierra primeiro fechou a cortina da janela que dava visão para a sala de reuniões, onde policiais trabalhavam; depois disso, foi a primeira a falar, após todos terem se sentado:
— Agradeço terem se deslocado de tão longe para cá. — Ela falava com o casal. — Precisávamos de vocês pessoalmente, como a lei daqui exige, para lhes passar diretamente as informações que conseguimos sobre o caso da morte de seu tio Murilo Cardoso, Sr. André.



— Isso quer dizer que vocês conseguiram alguma prova que pode nos ajudar a reabrir o caso no Segundo Império? — André perguntou, sentindo-se esperançoso. A questão é que o tio dele tinha sofrido um acidente de carro, muitos anos atrás, e a perícia disse que a causa foi Murilo estar bêbado; no entanto, a esposa de André, Carol, tinha recebido uma visita do fantasma de Murilo, dizendo que ele tinha sido assassinado. E isso fez os dois correrem atrás de novas informações sobre o caso, que estava arquivado.*
— Exatamente. — Sierra disse. — Por isso a importância do advogado de vocês, o Sr. Alexandre Lange, estar aqui. De acordo com nossas leis, essa informação precisa ser passada na frente de um advogado, do Quarto Império, que os represente.

* Nota: leia sobre isso neste capítulo (o 5) de Vermelho e Verde! S2



— Então pode nos contar! — Carol disse, empolgada para ouvir o que tinha sido descoberto.



Alexandre então começou a falar com o casal:
— Bem, vocês me contataram poucos dias atrás, depois que fizeram uma excelente e minuciosa investigação, por conta própria, no Segundo Império*. Vocês me contaram que descobriram que, pouco tempo após o acidente de carro que matou o Sr. Murilo, o ex-chefe de polícia da unidade de Colina Formosa, o Sr. Guilherme Vieira, pediu exoneração de seu cargo e se mudou para cá, para o Quarto Império. Foi quando vocês decidiram entrar em contato comigo para que eu fizesse uma requisição de apuração à polícia daqui para examinar a história do Sr. Vieira, principalmente porque vocês descobriram indícios de enriquecimento ilícito por parte do mesmo.

* Nota: a investigação foi realizada neste capítulo (o 7) de Vermelho e Verde! S2



— A requisição feita pelo Sr. Lange chegou aqui e não perdemos tempo. — Sierra falou. — Antes de falarmos pessoalmente com o ex-chefe de polícia, fizemos algumas investigações e, comparando os dados dele no Segundo Império com os dados dele daqui, observamos que o estilo de vida dele, em Windenburg, era incompatível com a renda que ele deveria ter. Então a detetive Hannah Chase fez algumas visitinhas ao Sr. Vieira, na mansão dele. Até que, em uma dessas idas, ele decidiu vir aqui na nossa unidade e contar tudo o que sabia, na presença de sua advogada, contanto que ele não fosse punido com cadeia, pela idade que tem, e nem fosse obrigado a retornar ao Segundo Império, onde teme por sua vida.



— E eis aqui o depoimento dele, que foi todo gravado e que poderá ser usado por vocês para reabrir o caso. — Alexandre disse, ligando a TV e dando o play no vídeo.
— Estou me sentindo tão ansioso! — André disse baixinho para a esposa.
— Estamos perto de solucionar isso, querido. Breve seu tio poderá descansar em paz. — Carol falou, também com a voz baixa, para o marido.



Então o vídeo começou.



— Já há garantias de que não serei preso? — O homem perguntou.



— Vou repetir pela milésima vez, Sr. Vieira: a juíza concordou que você não irá para a cadeia, por conta de sua idade e problemas comprovados de saúde, mas saiba que não deixará de ser punido. — Alexandre respondeu. — E já conversei com sua advogada. Agora comece a falar.
— Mais respeito com meu cliente. — A advogada Juliana Nair exigiu.
— A gravação já começou. É a segunda vez que aviso. Está ciente, Sr. Guilherme Vieira? — Hannah perguntou.
— Sim, estou ciente que estamos gravando. — Ele respondeu.
— Ótimo. Agora nos conte tudo o que sabe sobre o acidente que resultou na morte do Sr. Murilo Cardoso, no Segundo Império. — Hannah falou.



— Pode falar tudo, Sr. Vieira. — Juliana disse baixinho para ele.
— Eu tinha recém começado a trabalhar como chefe da unidade policial de Colina Formosa. Eu já tinha uma carreira consolidada como policial e tinha a confiança de todos como bom profissional que eu era. — Ele começou. — E eu fazia meu trabalho muito bem e tinha uma vida que podia ser considerada muito boa. Quero deixar isso bem claro. — Ele suspirou. — Foi quando minha mãe ficou muito doente que as coisas complicaram. Apesar de meu salário ser muito bom, ele já não estava mais dando conta de bancar minha família, a dos meus pais e o tratamento de minha mãe... Foi quando o acidente que matou o Sr. Murilo Cardoso aconteceu...



— Na época você não tinha uma equipe treinada de investigadores, pois o lugar era muito pequeno. Era você e apenas mais dois policiais. Esses dois últimos revezando o trabalho nas ruas e no escritório, quando você saía de lá, confere? Por isso, pela escassez de recursos humanos, você pegou o caso sozinho. Confirma essas informações? — Hannah perguntou.
— Confirmo. — Vieira disse.
— Continue, por favor. — Alexandre pediu.



— Então,... — O homem começou a ficar bem sem graça. — Minha investigação chegou à conclusão de que o carro, que na época tinha sido enviado para manutenção dois dias antes do acidente, tinha sido sabotado... Mais especificamente o freio... E confirmei isso quando o mecânico que cuidou do carro me contou que tinha sido muito bem pago pelo Sr. Eduardo Couto para danificar o veículo...
— Eduardo Couto?... — Hannah o olhou como quem queria que ele confirmasse quem era exatamente esse homem citado.
— Sim. Ele foi o antigo técnico do Esporte Clube Vale Desiderata, maior rival do Colinas Formosas Futebol Clube.
— Então, como o carro sabotado foi o do Sr. Pedro Fagundes, a ideia do Sr. Eduardo Couto seria vitimar o técnico do time rival.
— Foi a essa conclusão que cheguei. — Guilherme respondeu. — Infelizmente, Murilo utilizou o carro do cunhado, o Sr. Pedro, para deixar a irmã, D. Marta, em casa; e deu no que deu...



— Mas o senhor, como chefe de polícia, encerrou o relatório e pediu arquivamento do inquérito, usando principalmente o resultado de uma autópsia que dizia que Murilo estava dirigindo bêbado. Como explica isso? — Hannah o inquiriu.



— O relatório era falso. O legista recebeu dinheiro de Eduardo para forjar o resultado. Murilo não estava bêbado no dia do acidente.
— Como sabe que o legista foi comprado? — Alexandre perguntou.
— O legista me disse. E também porque... Porque eu também fui comprado... Eduardo tinha muito dinheiro. Me pagou 800 mil Simoleons para livrar a cara dele... Eu precisava daquele dinheiro para cuidar da minha mãe e dar uma vida melhor para meus pais e minha família...
— Não há desculpa alguma que justifique corrupção, Vieira. — Hannah falou, com raiva.
— Vocês não estão aqui para julgar meu cliente. Se limitem a lhe fazer perguntas. — A advogada Juliana disse, ríspida.



— Tudo bem, Juliana. Eles estão certos em me julgar... Todos os dias desde aquele acontecimento, eu também me julgo... E apenas pessoas desesperadas poderiam entender o porquê d’eu ter feito essa escolha que, admito, foi terrível...
— Essa cara de coitado não me engana. — Alexandre disse. — E onde estão o mecânico, que fez a sabotagem, e o legista?
— Eu não sei. Devem ter mudado de identidade e ainda devem estar vivendo no Segundo Império. Eu preferi vir para cá. Mas isso é tudo. Contei tudo que sei.
— Então não há nada mais a declarar? — Hannah perguntou.
— Eu só quero dizer que eu sinto muito pela escolha que fiz... E gostaria de pedir perdão à família de Murilo Cardoso... — Guilherme Vieira disse, parecendo realmente arrependido.



E o vídeo então chegou ao fim.
— Eu estou chocada... — Carol disse. — Isso que esse homem fez... E como assim ele não vai parar na cadeia?...
André passou as mãos no rosto. Só pensava na reação dos pais quando eles lhes contassem isso tudo.



— Eu sei que a situação é realmente difícil, mas as leis do Quarto Império e do Segundo Império são muito diferentes. — Sierra falou. — Vocês sairão daqui com um pendrive contendo uma cópia desse vídeo. Já enviamos o vídeo para o e-mail do Ministério Público de Enseada Belladonna e se o Promotor de Justiça decidir reabrir o caso, o que acreditamos que acontecerá diante dessa confissão, é bom que tenham um advogado lá para defender o lado da família de vocês.
— Acha que Eduardo Couto vai pagar pelo que fez? — Carol perguntou.



— Sabemos que o problema é grande e que há chances dos advogados de Eduardo afirmarem que o Sr. Vieira está mentindo. No entanto, no pendrive vocês verão as provas bancárias: o Sr. Couto utilizou uma conta secreta no exterior, no Terceiro Império, em Isla Paradiso, que é um conhecido paraíso fiscal, para fazer os repasses milionários para o Sr. Vieira e para os outros dois desaparecidos: o legista e o mecânico.
— Então isso quer dizer que ele provavelmente irá para a cadeia pelo assassinato de meu tio? — André perguntou.
— Vai ser difícil ele escapar dessa. Mas claro que tudo é possível se ele contratar bons advogados. — Alexandre disse.



— E como poderemos pagar advogados do nível daqueles que ele usará nos tribunais? — Carol perguntou, preocupada.
Sierra então disse:
— Vocês podem processar o Sr. Guilherme Vieira por ter destruído as provas e por ter feito um falso inquérito prejudicando a verdade sobre a morte do familiar de vocês. Esses processos são resolvidos rapidamente aqui no Quarto Império. Vocês podem ganhar algum ou bastante dinheiro, suficiente para pagar bons advogados no Segundo Império, no mínimo! Ou o bastante para comprar uma casa nova para seus pais, ou mobiliar a casa de vocês. Vai saber! De qualquer forma, pelos crimes que ele cometeu, Guilherme vai perder quase todo seu patrimônio. Crimes de corrupção aqui não ficam impunes. Corruptos aqui não continuam ricos quando são pegos. Muito pelo contrário.



— Se desejarem, podem me contratar para representá-los, aqui no Quarto Império, nesse processo contra Guilherme. — Alexandre disse. — Inclusive eu lhes aconselho a entrar com o processo o mais rápido possível, pois, assim, vocês já retornam para Colina Formosa com a indenização em mãos dentro de, no máximo, duas semanas. Mas terão que ficar esses dias aqui. Podem inclusive cobrar dele essa estadia também.



— Tudo bem, Alexandre. Pode fazer isso amanhã. Te ligo hoje à noite do hotel para acertarmos tudo. — André falou. — Agora só preciso descansar e colocar minha cabeça no lugar. Nem imagino qual será a reação de meus pais quando eles souberem de tudo isso... — Ele disse, extremamente preocupado.
— Precisamos lhes contar com muito cuidado porque eles já são idosos... E o Seu Pedro com o problema de coração?!! Ai, ai, ai... — Carol disse, também bastante angustiada.
— Vai dar tudo certo. O importante é que saibam a verdade. Ter uma comprovação oficial e fundamentada de que seu tio não foi irresponsável de dirigir bêbado e que o culpado por tudo isso pagará, isso tudo certamente vai fazer bem a eles. Pensem nisso. — Sierra disse.



— Então é hora de irmos. — André falou, guardando o pendrive que Sierra lhe entregou. — Queremos agradecer o trabalho de vocês com esse caso. Não imaginávamos que tudo fosse dar tão certo e que toda essa trama seria descoberta.
— Imagina! Nós temos um juramento a cumprir! — Sierra sorriu e então o disse: — “Juro, pela minha honra, que envidarei todos os meus esforços no cumprimento dos deveres do Policial Federal, exercendo minha função com probidade e denodo e, se necessário, com o sacrifício da própria vida”*!

* Nota: esse é o belíssimo juramento da Polícia Federal do Brasil! Orgulho de nossas polícias! S2



— Belíssimo! — Alexandre disse.
— Juramento muito belo mesmo. — André falou. — E agradecemos novamente a vocês, mas precisamos descansar agora. Chegamos e viemos direto para cá. Não descansamos após a longa viagem...
— Então que o Grande Prisma os proteja! Qualquer coisa, podem contar conosco. — Sierra disse, feliz pelo caso deles ter sido solucionado.



Assim, logo o casal saiu da unidade policial.



Os dois foram até o carro que alugaram.



— Almoçar em um restaurante bem legal, depois voltar para o hotel e passar o dia no quarto descansando? — André perguntou para a esposa.
— Só se eu ganhar sobremesa depois! — Carol brincou e sorriu, querendo assim passar mais tranquilidade para o marido.
— Se se comportar, beleza. — Ele respondeu, também brincando, com um sorriso mais contido. Também estava se esforçando para parecer melhor, mais por ela.
A preocupação dele eram os pais. Mas ele queria tirar isso da cabeça, pelo menos por enquanto, então olhou para a esposa e disse:
— Só não reclame se eu não te deixar descansar logo após o almoço. — André piscou assim que falou. Carol ficou rubra com a sugestão, mas tinha gostado da ideia. Mas estavam tão cansados, física e emocionalmente, que dificilmente, após o almoço, iriam conseguir fazer algo além de dormir.*
E logo eles saíram dali.

* Nota: esse parágrafo foi adicionado pela autora Andréa Freitas. :)






De volta à vizinhança do Mercado de Especiarias.
No início daquela noite.



Dave, Gizella, Batera e Axl passaram aquela manhã e tarde arrumando o lugar.
O baixista pegou o carro de Big Joe emprestado e eles foram pegar as coisas de Gi no apartamento de Susan, que se assustou com a rapidez da decisão de mudança da amiga, mas que entendeu a situação.



Na sala, eles já tinham tirado uma pequena parte do carpete, que estava imundo e fedido; também mudaram o sofá e a TV de lugar.
E o Batera fez questão de assumir o trabalho de restaurar o grafite vandalizado.



— Foi uma boa você ter trocado as lâmpadas da casa por outras mais eficazes e mais econômicas, Dave! — Josh “Batera” falou com o tom de voz mais alto para que o amigo, que estava fazendo companhia à Gizella na cozinha, o ouvisse. — Agora consigo enxergar melhor o que preciso fazer para desfazer a ação do vândalo babaca que emporcalhou as coisas aqui! — Disse isso com a testa franzida, meio irritado.



— Para um pouco aí com isso e vai tomar teu banho, Batera! O meu delicioso salmão com crosta de ervas tá quase pronto e a gente vai já jantar, cabeça! — Gi disse.
— Tá quase pronto graças ao meu incentivo moral! — Dave riu.
— Incentivo moral nada! Deixei foi o Dave de castigo no banquinho, Batera! As piadas dele hoje estão péssimas! — Ela zoou.



— E desde quando as piadas dele foram boas? — Batera entrou na brincadeira, rindo. — Mas beleza. Praticamente já terminei aqui. — Ele a respondeu.
— Vai tomar teu banho, maluco! — Dave disse na perturbação.



— Tô indo! Comportem-se! — Batera riu.



Poucos minutos depois,...
— Pronto. O salmão está pronto. Agora só falta... — Gi disse, pegando o celular.
— A pizza de pepperoni do Axl. — Dave riu.
— Exatamente! Cansei de cozinhar, então vou pedir mesmo! — Ela sorriu. Então ligou para fazer o pedido.



Pizza solicitada, olhou para Dave e disse:
— Escuta, quero te agradecer por toda a ajuda hoje com a mudança surpresa...
— Me agradecer? Que é isso, Gi! Faria novamente com o maior prazer! Mesmo porque estou muito feliz que você agora está morando aqui comigo, digo, com a gente! — Ele consertou o que disse, meio sem graça.



— Escuta, Dave,... Você sabe que já tem um tempo que quero te falar algo...
— Ok... — Ele ficou um pouquinho mais sério. — Me diz.
— É o seguinte... — Então ela se aproximou dele e...





— É isso. — Ela disse, após o beijaço que deu nele.
— Wow!!! Belas palavras! — Ele sorriu, olhando-a.



— E olhe que eu ainda tenho mais algumas coisas para te dizer! Vem comigo!...



Ela tirou o chapéu de cozinheira e as luvas; então subiu com ele.





— Coelhinhos fofos na sua parede? Nãaaaaaah! — Ele riu.
— Isabella me deu de presente uns meses atrás. Se eu não coloco na parede, ela fica magoada. Mas até que os acho uma gracinha. — Ela riu.



— Agora vem cá, Dave! — Ela sorriu, entrando no guarda-roupa dela, e que eles montaram mais cedo ali. — Acho que vocês não encaixaram direito uma parte aqui dentro...
— Mas isso é gravíssimo! — Ele disse, “sério”.



— Também acho! Então,... — Ela disse.
— Então...? — Ele repetiu, sorrindo.



— Então deixa de conversa e entra já aqui, Dave! — Ela riu, puxando-o para dentro.






Enquanto isso, do lado de fora, na parte de trás do depósito, Cabello parecia ter encontrado uma boa hora para entrar na casa discretamente e procurar por Axl e o Amor de Meduso.



Se o Batata descobre que voltei para a vida do crime, ele acaba comigo!”, ele pensava, nervoso. “Vou abrir essa fechadura com discrição, procuro o quarto do Axl, afino a voz para ele não me reconhecer e pego algumas coisas do quarto dele, incluindo, claro, o Meduso. Se o brinquedo não estiver mais com ele, faço o maluco falar com quem está e vou atrás dessa caramba!... Mas vou te contar, viu! Tinha que ter o Axl metido na jogada de novo? Esse moleque só se mete em problemas!”, ele pensava, enquanto se dirigia à porta.



Ao mesmo tempo, na porta da frente, a detetive Hannah Chase e o policial Adam Bates tocavam a companhia pela vigésima vez.
— Talvez não tenha ninguém em casa, Chase. — Ele disse.
— Bates, acho que você não entendeu, querido: se o tal do diarista Logan Dwayne mora aqui, só sairei da frente desta porta quando tiver o Meduso nas mãos.



— Véi... VÉI!!! — Batera reclamou, enquanto tomava seu banho. — VÉI, QUE DESGRAMA, MERMÃO!!! Essa campainha daqui a pouco monta uma banda de tanto que toca, caramba!!! Vai ficar famosa antes da gente, mizéra!



Irritado, saiu do chuveiro e se enrolou em uma toalha.
Como a porta do banheiro era em frente à porta de entrada, imediatamente viu os dois policiais ali.



Saiu para recebê-los:
— Boa noite. Posso ajudar? — Batera perguntou. “P#%! Que gata, véi! E que linda!...”, ele pensou ao ver a detetive.



Grande Prisma, me belisca! Que Viking é esse, meodeos?!!”, Hannah chega se abanou ao ver o baterista.
Adam olhando a vizinhança cheia de gente estranha àquela hora da noite, nem notou a secada brutal que os dois, ali ao lado, se deram.



— Oi! Errr... Meu nome é Hannah, quer dizer,... Detetive Hannah Chase! — Ela disse, e então foi se recompondo, sob o olhar observador de Adam: — E esse é o policial Bates. Precisamos falar com o Sr. Axl Logan Dwayne.
— “Senhor”? — O Batera riu, achando engraçado aquele tratamento tão formal para seu amigo. — Então. Meu nome é Josh “Batera” Adler, totalmente a seu dispor. — E ele disse isso dando uma olhada sedutora discreta, mas direta, para Hannah.
— Podemos falar com o Sr. Dwayne? — Adam perguntou.



— Olha, ele não está em casa e não sei que horas ele chega, mas se vocês quiserem entrar e esperar, fiquem à vontade. — O Batera disse, de boa.
— Entraremos sim. Obrigada. — Hannah respondeu.




— E aí? O que foi que o Axl aprontou dessa vez para vocês estarem aqui? — O Batera riu. — Já fugimos de seguranças em boates por causa de brigas bestas de bêbados, mas nenhum policial nunca veio atrás da gente. — Ele riu. — Ele não matou ninguém, né? Espero que não, porque daria o maior trabalhão arranjar um vocalista substituto que preste!
— Ahn,... Não, não. Até onde sabemos, ele não matou ninguém. — Adam disse, todo sério, na dele.



— E eu estava brincando! Axl é super de boa! Não mata nem um mosquito aquele ali! — O Batera sorriu. — Mas então, o que está pegando? — Ele insistiu.
— Estamos com um mandado de busca e apreensão, Sr. Adler. — Hannah disse. — Seu amigo aparentemente está em posse de algo importante para elucidar fatos no caso que investigamos. Estamos aqui para achar o objeto e levar isso conosco.
— Ah, tá. — Ele respondeu, sem dar muita importância. — Precisam de mais alguma coisa?



Os dois se sentaram no sofá:
— Na verdade, precisamos sim. Precisamos de duas testemunhas para ir conosco fazer a vistoria no quarto dele. — Adam explicou.
— Beleza. Vou trocar de roupa e depois chamo um dos meus amigos, ou o Dave ou a Gi, quem aparecer primeiro, pra gente ir com vocês. Mas se preparem, porque duvido que Axl tenha arrumado o quarto dele. Deve estar podre ainda! Se bobear, nem ele vai dormir lá essa noite! — Ele riu.
— Ok, Sr. Adler. Esperaremos por vocês. — Hannah disse, "secando" o baterista com discrição, claro.
— Pode me chamar de Josh. Ou de Batera. — Ele sorriu para ela, sem tirar os olhos dos dela; e logo ele notou que a moça ficou um pouco sem graça. — Mas se me dão licença, vou me vestir e já volto para ajudá-los. Fiquem à vontade. — "Cara, essa garota é muito linda!...", ele realmente ficou impressionado com algo nela que nem ele saberia explicar o que especificamente era.



Então Josh saiu da sala.



Foi para o quarto, que dividia com Dave (na garagem), para se arrumar.



Tão logo Josh fechou a porta, Hannah se levantou.
— Onde você vai, Chase?
— Ver quem está na casa, Bates. — Ela respondeu.
— Mas precisamos de duas testemu...
— Fica aí e caso o Viking gato volte antes de mim, enrole-o. Isso é uma ordem. Além do mais, ele mesmo disse que poderíamos ficar “à vontade”.
Adam não ficou muito confortável com aquele comando, mas, novato que era, preferiu acatar o que lhe fora dito.



Então Hannah subiu.



Entrou na primeira porta após a escada.
Sorte dela, era o quarto “temporário” de Axl.




O mesmo quarto onde Cabello se encontrava.












Obrigada, amigo Simmer, por acompanhar minha história!
Deixe seu comentário abaixo!
Tenha uma ótima semana! :)



CRÉDITOS:

SIMS:
Baixados da Galeria e, alguns, modificados.

LOCAIS:
Residência “O Depósito”: Grungy Warehouse, by MaxisCreator_01; a versão do final deste capítulo está AQUI.
Bar Los Pardais: by isarpgista;
Magnolia Promenade:
1 – Unidade Policial: White Chapel Police, by jadeiam (lote genérico); a versão residencial (usada em minha história), encontra-se em isarpgista, como Magnolia Police;
2 – Shopping center IguateSim: Рейд Shopping, by viola1968;



Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!


28 comentários:

  1. FINALMENTE GI E DAVE!!!!! Shippando muiiiitooooo!!!! E que bagunceira essa casa em! E Hannah e Dave? EUAHEUAHEUAHEA
    E pô, Cabello, esperava mais de você :( Sorte que tudo deu certinho e a detetive acabou o achando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Deniiiiiii!!! :D Pois é, né! Se não fosse nossa Gi ser persistente, não sei quando isso aconteceria, já que Dave parece ser mais lento para tomar a iniciativa. Kkkkkkkk... E uma zona mesmo a casa, hein! Mas pelo menos agora eles têm um teto! :D E o Cabello, hein! Ai, ai, ai! Esse não tem jeito! Rs... E Hannah o encontrou no quarto! O que acontecerá com ele agora? :D Beijocas e obrigada pelo comment, lindona!!! :D S2

      Excluir
    2. Só agora que percebi, era Hannah e Batera* HAUAHUAHAUHA Tava sonhando ainda com o shipp que finalmente deu certo :P
      Espero que ela dê uns cascudos no Cabello, para ver se ele toma jeito!!! UHAUAHUAHAUHAUHAAUAHA

      Excluir
    3. Hannah e Dave?
      Boiei! Perdi o quê?

      Excluir
    4. Hannah e Batera, Déa! Deni corrigiu ali em cima, mas eu já tinha entendido a ideia! xD :D

      Excluir
  2. achei magnífica ese cap.queria v o começo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, TV Maluka! Muito obrigada pelo seu comentário! :D

      Para ler os outros capítulos, clique em "Produções do Blog" ou copie e cole este endereço em seu navegador: https://historiasdawinter.blogspot.no/2016/09/minhas-historias.html

      Lá, você verá todos os links para os outros capítulos!
      Ao clicar em cada parte, espere os 5 segundos e clique em “Fechar Propaganda” (no canto superior direito da página) para acessar o capítulo desejado (não vai fazer download de nada; vai apenas abrir a página com o capítulo referente da história)! Com isso, você estará apoiando o blog e o ajudando a melhorar cada vez mais!

      Espero que se divirta com os outros capítulos também! Grande abraço! :)

      Excluir
    2. TV Maluka, se preferir, acabei de acrescentar "Arquivos do Blog" na barra lateral direita. É só clicar no capítulo que deseja ler. Abraços! :)

      Excluir
  3. Vamos por tópicos, mas eles não estão organizados por ordem do que apareceu primeiro.

    01. Sobre Axl:
    Preocupação de Axl: "Ele não vai me deixar fazer fogueira e assar cachorro-quente!!!"
    Quando não é pizza, é cachorro-quente. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Axl vai para a rua com chinelo e calça de pijama! É parente de Batata!

    "— Então isso quer dizer que você vai nos trazer um prato de boas-vindas? — O vocalista perguntou."
    O que é mais folgado? Axl ou o pijama?

    "— E eu espero que fiquemos famosos e ricos logo para eu ter meu próprio quarto e ninguém misterioso aparecer para tomá-lo de mim! — Axl reclamou."
    Olha a ambição de Axl. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Nem lembra que este alguém comprará o galpão para eles. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


    02. Sobre Dave:
    De quem Dave desconfia que vá comprar o imóvel? Ai, ai, ai!!!
    Também estou nsiosa e meio preocupada sobre quem será essa pessoa que comprará o galpão. Será do bem?


    03. Sobre Gi
    “Creioemdeuspai! Por isso que tem esses pernões!”, a tecladista pensou, e depois se repreendeu: “Foca no Dave, Gizella, foca!”.
    Concordo contigo. Ele tá gato, mas o teu alvo é outro!

    "— Olha para essas caras de felicidade, Big! — Gi disse, olhando os amigos. — Estão que nem pinto no lixo! — Ela riu. — Literalmente no lixo, mas tudo bem! — Ela brincou."
    Concordo contigo, Gi!

    "— Ok, Logan! Teremos pizza de pepperoni! — Gi revirou os olhos. — Mesmo porque se não tiver, você vai me olhar com aqueles olhos chorões e vou me sentir culpada!"
    "— Só uns Simoleons a mais”! — Gi repetiu. Ela tinha certeza de que Axl não tinha a menor ideia do que poderia ser um bilionário."
    Como vc consegue estas caras de Gi? São demais!!! Parabéns Sally!


    04. Para Gi e Dave:
    FINALMENTE!!!!
    Menina de ação!!! Amei! É isso aí! VAI GAROTA!!!!


    05. Para e Sobre Josh:

    Josh tá gato!!!!

    "— Olha, galera, por mim, eu durmo em qualquer lugar. Até aqui na sala tá beleza! — Josh Batera falou."
    Josh é um amor!!! Vamu botar Axl no chão?

    Na linha que que ele limpa a parede: meio irritado? Josh tá virado!

    Falei que Josh tava virado!!!! olha a reclamação dele durante o banho! Nem preciso copiar.

    Josh não respeita nem a policial! Ela tá serviço, cara! E tu tá pelado! Ela pode te prender por atentado ao pudor!


    06. Cabello achou seu Pente! Woo-Hoo!!!!
    Agora alguém dará um jeito neste moleque de um jeito ou de outro.


    07. Meu casal 20! Que emoção!!
    Ficou muito linda a cena deles. Companheirismo! Um entendendo e apoiando o outro! Muito, muito, muito lindo!!!! Nem falarei muito, pois sou suspeita.
    E as fotos estão lindas! Tem muita emoção nelas! Perfeito!!!


    Parabéns Sally! Por tudo.
    Eu dei cada grito por Cabello, por Hannah, Gi e Dave; risada por todos (tem como não rir com Axl?); e lágrimas de emoção por Carol e André. Obrigada! Tudo foi lindo e maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obaaaaaa, Déaaaa!!! Vamos lá!!! \o/ :D


      1. Aquela calça de pijama é a preferida de Axl! Rs... Se bobear, um dia ele até se apresentará com ela no palco! xD
      Aaaah! Mas o Axl é folgado mesmo! Totalmente sem noção! Kkkkkkkk...
      E não lembra não, viu, Déa! Leeeeeeso demais! Rs...

      2. Dave desconfia de alguém e ligará para essa pessoa no próximo capítulo! :)

      3. Huhauhuahuhuahuhaua...
      É difícil para Gir não notar os brações e pernões do Batera. Mas acho que agora ela focou! Rs...
      E ela realmente está certa: estão no lixo, mas pelo menos agora eles têm um teto sobre a cabeça! Rs...
      Caraaaaa, as caras da Gi! Ela é muito expressiva! Não é difícil capturar uma imagem dela com uma cara bem legal! :D

      4. Menina de ação! Sim, sim! O mote da Gi é: “para quê deixar para agarrar amanhã quem você pode agarrar hoje?”. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Agora vamos ver como vai ser daqui para frente. :)


      5. Sobre Josh: concordo. Está gato mesmo, viu!
      E como ele tem mais cérebro que Axl, ele é mais tranquilo com relação às coisas. Rs...
      E siiiiiiiim. Ele ficou bem virado, viu! Huhauhuahuhauhau...
      E a reclamação dele no banho foi uma viagem mesmo, né? xD
      Quanto às mulheres bonitas, ele não consegue resistir. Acho que a farda até ajudou! Kkkkkkk...


      6. O que será que vai aocnteceeeeeeer? Sem spoilers! Rs... xD :)

      7. O que dizer do meu casal querido de Vermelho e Verde, né? Amo esses dois! Companheiros sim! Sempre! :) Por isso sou fã deles! Você criou personagens incríveis, Déa! E fiquei muito feliz mesmo que você achou as fotos lindas! Obrigadaaaaaaa!!! :D S2

      8. Sobre o PS! Rs... Adam, coitado, está apenas tentando fazer seu trabalho direito ali! Rs...


      E muuuito obrigada mesmo, Déaaaaaa!!!
      Para mim é uma honra fazer esse crossover contigo!
      E fico super, mega, hiper feliz que você pôde rir e se emocionar com este capítulo! \o/ :)
      E, como sempre, como não amar esses seus super comentários?!! Aaaamo!!! Beijocaaaaas!!! \o/ :D S2

      Excluir
    2. Andrea foi fala a piadinha com Cabello e me deu uma crise de risos aqui mas acho que o pente dele não é a detetive.

      Excluir
    3. Será, Erick? Será, Déa? Não sei! Sem spoilers! Rs... xD

      Excluir
  4. PS: Adam, deixa de ser lerdo!Hannah é gata, Josh já tá com dianteira e (caso ninguém tenha percebido), eu tô shippando Hannah com Cabello! Se liga, hombre!

    ResponderExcluir
  5. Outra vez? Se liga Hannah que agir assim pode estragar tudo.

    Eu esperava mais do Cabello! Com a chance que recebeu de sair dessa e o idiota volta pro mundo do Crime? Acho é pouco que a Hannah deu o flagra nele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiii, Erick!!! :D
      Essa Hannah anda metendo muito os pés pelas mãos, né?
      E que cabeçudo esse Cabello! Teve uma grande chance de mudar de vida, mas optou continuar no crime! Ainda bem que Batata foi mais esperto! :)
      Muito obrigada pelo comment!!! :D Adorei! :D

      Excluir
  6. Olha só a Gi ficou balançada com o batera huuahuahuah

    Eles ganharam um espação nesse depósito, que bom que o Joe alugou.
    Eu achei muito maneiro o lugaaar aaar aaaar
    Ecooooo ecoooo
    kkkkkkkkkk
    Eles estão até fazendo planos, mas muito daora mesmo, curti.

    **
    Gente, mas o Dave é muito lerdo pra Gi. Danadinha ela kkkk
    E olha a Hanna, de olho no "viking" kkkk Esse batera é perigoso.

    CABELLO, VOCÊ POR AQUI? =O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huhauhuahuahuhau... Não tem como não olhar, né? xD
      Também gostei muito do novo cantinho deles. :)
      Com muito eco, eco, eco, eco, ecooooooooo! xD
      Ri com o comentário do "Batera perigoso". Kkkkkkkkkkk... :D
      Obrigada pelo comment, Nihal! Beijocas! :D

      Excluir
  7. Hahaha a cara do Axl de assustado quando falaram que ele ia morar em outro lugar foi muito engraçada, esse menino... Tadinho.
    Adorei a casa nova deles, muito legal, apesar da sujeira, tá ficando muito show.

    E gente que fofo a Gi e o Dave *-* Eita! Essa Gi tem muito o que dizer!


    Eita esse Cabelo aprontando de novo! Ainda acho essa detetive muito linda, ela ficou mexida com o Batera, hahah essa banda é muito legal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii, Jess! :D
      Axl ficou mesmo preocupado. Huhauhauhuahuahua...
      A casa deles é bem massa, né? Aaaamo esse lote! :)
      Gi é ótima! Rs...
      Cabello escolheu seguir na vida do crime. Uma pena!
      E linda mesmo a Hannah, né? :)
      Obrigada pelos comments! Beijocas! :D

      Excluir
  8. DAVE E GI FINALMENTEEEEEE!!!! Shipando muito. Ótimo capítul!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Weeeeeeeeeeeeeeeeeee!!! Muito feliz que vc gostou, Leo!!! Muito obrigada pelo comentário!!! Beijocas, meu amigo querido!!! :D S2

      Excluir
  9. A casa nova é muito legal, com certeza eles vão deixar com a carinha de cada um! Gi e Dave mandando ver gosto assim, só espero que tudo dê certo entre eles porque haja gênio nesses dois haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz que vc curtiu o novo cantinho deles! E sim, sim! Gi e Dave têm mesmo a "personalidade forte"! xD :D

      Excluir
  10. Oie
    Comentando:
    1. Nossa que local bagunçado, a turma vai ter um trabalhão para arrumar;
    2. Quem será que daria um lugar pro pessoal morar? Pensei na Bella;
    3. "“Creioemdeuspai! Por isso que tem esses pernões!”, a tecladista pensou, e depois se repreendeu: “Foca no Dave, Gizella, foca!”.". GI nao tem como não reparar nesse batera haha
    4. "— OLHA O ECOOOO... ECOOOO... ECOOOOO!!! — Ele ria, bobo." Que fofo hahahaha
    5. Axl quer que todo lugar seja o quarto dele kkkk
    6. Hummm, Joe disse que não é Bella. Acho que é a Elle então
    7. "E aqui eu ficaria mais perto de todos vocês... Se é que você me entende. — E Gi deu um sorrisinho travesso para Dave." Safadinha ela
    8. Eduardo é um monstro :o
    9. AAAAAAA GI E DAVE SE BEIJARAMMM
    10. Eita fizeram oba oba no armário!!! Safadinhos.. hihi
    11. "— Véi... VÉI!!! — Batera reclamou, enquanto tomava seu banho. — VÉI, QUE DESGRAMA, MERMÃO!!! Essa campainha daqui a pouco monta uma banda de tanto que toca, caramba!!! Vai ficar famosa antes da gente, mizéra!" Ri alto
    12. Hannah e o Batera hummmm
    13. Bahhh Hannah achou o Cabello. Ferrou pra ele kkkk

    Adorei o capítulo :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! :)
      Respondendo:

      1. Com certeza! Tomara que eles arrumem logo. :)
      2. Será revelado nos próximos capítulos. :)
      3. Verdade! Rs... xD
      4. Ele se diverte aonde quer que vá. Rs...
      5. Huhauhuahuhauhuahua... Verdade! Tudo que ele quer é um cantinho pra chamar de seu. Rs...
      6. Será revelado nos próximos capítulos. :)
      7. Gi não perde tempo! :)
      8. Eduardo Couto é sim um serzinho desprezível e monstruoso.
      9. Sim, sim, siiiiiiiiiiiiim! Finalmente! :)
      10. Não perdem tempo! Rs...
      11. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk...
      12. Seráaaaaaa? xD
      13. Huhauhuahuhauhau... Sim, sim! :)

      Obrigadaaaaaaaaa! :)

      Excluir
  11. Oie!
    Amei esse capítulo, muito engraçado Axl querendo o quarto dele a cada comodo auhauhau
    Quem será que está ajudando os guris hm? Mistério...
    Berreeeeeeeei com Gi e Dve :o Só se jogem #Shippo
    Não gosto desse Eduardo XD
    E esse mastermegaultrapower climao entre Hannah e Batera XD (faria o mesmo no lugar dela hahaha)
    OOOOOOOOxe Cabello????? Ta lascado. xD

    Beijos Sally!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeeee, Dama do Lagooooooo!!!
      Axl é uma viagem, né? Tadinho! Só queria um quarto pra ele. xD
      E logo mais será revelado quem está ajudando essa turma! :D
      Sobre Dave e Gi: tanto babado vindo aí! Rs... E acho difícil alguém gostar desse Eduardo, viu! Rs...
      E difícil não rolar climão com batera, né? Gato no mundo! Huhauhauhuhahau...
      E sim, sim! Agora Cabello se lascou! Rs...
      Muito feliz com teu comentário aqui! Amei muitoooooo!!! Muito obrigadaaaaaaaa e beijocas! :D

      Excluir