domingo, 7 de agosto de 2016

O Médico e a Princesa - 12 - Em Granite Falls

Um cavaleiro e uma princesa, que se amam, são separados por uma poderosa magia.
Séculos depois, serão eles, em suas novas vidas, capazes de quebrar o feitiço e assim se reencontrar mesmo que isso represente o retorno de antigos inimigos?
Acompanhe e descubra o que acontece nessa história feita no “The Sims 4”.

Dica: para uma melhor visualização (zoom na página), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).




O Médico e a Princesa
Parte 12 – Em Granite Falls



Resumo do capítulo passado: Dario ouve a conversa de Ollie Purdue com Babs L’Amour no Estúdio 45 e agora ele sabe que seu tio Jordan não é o pai do bebê que a atriz espera. E em Granite Falls, o Dr. Baroni e sua famosa namorada estão hospedados na pousada Granite para conhecer oficialmente o namorado de Marcella (que J. já sabe, faz tempo, se tratar do príncipe de Windenburg). O médico então vai encontrar Nooa no restaurante Falls e logo vê que Haesel também está lá.



Granite Falls.
Restaurante Falls.

Jordan foi levado até a mesa onde Nooa o aguardava.
- Olá! Boa tarde! – Ele sorriu ao sentar com eles.
- Boa tarde, Dr. Baroni. – Haesel já sabia que ele estaria lá, então não ficou surpresa; no entanto, estava um pouco sem graça com a presença dele ali.
- Tudo bom? Já posso te chamar de cunhado? – Nooa sorriu, simpático.


- Claro! Pode sim! – Jordan o respondeu sorrindo também, mas olhando para Haesel, tentando ser discreto.
- A Babs não quis vir com você? – Ela perguntou sem olhá-lo. E por alguns segundos se odiou por não segurar a língua.
- Ela preferiu ficar na pousada. – Ele respondeu tentando disfarçar que ficou sem jeito com a indagação dela.
- Pôxa, que pena. – Haesel disse pegando o menu.
- E seu olho, como está? – O lado médico dele perguntou.
- Está curado. Obrigada. – Ela falava educadamente, mas bem na dela.
E J. quis perguntar sobre o Malcolm, mas se segurou.


- Bem, estou feliz que eu e Marcella conseguimos reunir todos vocês aqui em Granite Falls. – Nooa sorriu. – Ela quer muito que todos nós passemos um tempo juntos. E eu agradeço por ter vindo, Dr. Baroni.
- E eu agradeceria se vocês dois me chamassem apenas de Jordan. Ou de J.! – Ele disse, com simpatia (sabia ser simpático quando queria), pegando o menu também.
- Claro! Por que não? – O príncipe sorriu. – Somos quase família agora, não?


- Vamos fazer os pedidos que eu não posso demorar? – Haesel disse para os dois, sem olhá-los, chamando com um gesto discreto a garçonete mais próxima.
E assim fizeram, enquanto Nooa fazia piadas e tentava manter o clima ali agradável, já que havia uma certa tensão entre sua irmã e o médico.


Até que o príncipe disse, depois que os pratos chegaram: - E então, J.? Conhece bem Granite?
- Na realidade só vim aqui umas duas vezes quando era adolescente. Com a turma da escola, sabe como é... E vocês? Conhecem bem esse local?
- Eu conheço bem o lugar, mas a Haesel não tanto quanto eu.
- Nooa!... – Ela o olhou como quem discretamente reclamava de algo.


E Jordan ficou olhando para os dois sem entender.
- Então,... – Nooa continuou. – Vou buscar a Marcella e o Rafa na facul e trazê-los para cá. Quero fazer essa surpresa para a Cella. Mas eu precisava pegar um unguento nas mãos de uma figura que mora em uma área mais afastada da floresta.
Haesel deu um discreto chute na perna do irmão por debaixo da mesa, como quem o mandava calar a boca.
- Ouch! – Nooa riu. Mas prendeu a risada e continuou: - A minha irmã disse que pegaria para mim, mas tenho medo que ela se perca...
- Bem, eu posso ir com ela, se não for um incômodo, claro... – Ele sorriu tentando disfarçar que achou essa ideia excelente.


- Ah, por favor, né? Eu conseguirei encontrar o lugar facinho! – Ela reclamou baixinho. Então olhou para Jordan e disse o mais polidamente possível: - Eu realmente aprecio sua disposição em ajudar-me, mas eu declino a oferta.
- Imagina! Eu faço questão! – J. disse.
- E eu agradeço muito sua ajuda, J.! Vou ficar bem mais tranquilo sabendo que minha irmã não estará sozinha.


- Imagina! É como você disse: somos quase família, né? – Jordan sorriu.




Assim, alguns minutos depois...

Os dois se despediram de Nooa e foram comprar equipamentos e suprimentos para a trilha: mochilas, óculos de sol, chapéus e outras coisinhas mais.


- E aí? Animada para nossa aventura? – Ele sorriu.
- Bem, não posso dizer que não estou amando estar aqui. Granite é linda!
- Vou aceitar isso como um “sim”! – Ele disse confiante.


- Agora vamos dar uma olhada no mapa aqui para ter uma ideia de para onde devemos seguir quando encontrarmos a área de acampamento. – Ele sorriu, já olhando na parede do stand de compras e informações.
- Primeiro vamos até esse local para camping e de lá a gente vê o mapa que meu irmão me deu; segundo ele, isso nos levará até... – E então ela falou baixinho para ele: - A eremita!
- Wow! Você está falando daquela figura sobre a qual a bibliotecária antipática e cheia da má vontade falou? A tal ermitã que sabe muito sobre muitas coisas?
- A Srt.ª Reynolds não é antipática. Mas isso não importa! Só quero que pare, ok? Não vamos lá mexer com coisas do passado. Vamos pegar o unguento e só!
- Beleza. – Ele disse por dizer. – Mas é “ela” mesmo? Não é um cara?
- O Nooa me disse que falou com uma senhora. Então é ela.
- Ok. – “Espero que essa eremita saiba de algum modo de fazer Haesel se lembrar de tudo...”, pensou.


Então andaram calados um tempão, até chegar a um tronco caído. Jordan então se abaixou para dar uma olhada em uma planta.
- Chegamos. A área de camping está logo ali na frente. – Haesel disse.


Então correram para lá.



- Beleza. E agora? – Ele perguntou.


- Agora precisamos seguir o caminho que o cotovelo do braço esquerdo do lenhador aponta. É o que diz o mapa que o Nooa me deu. – Ela respondeu enquanto tentava espantar os insetos que de vez em quando os perturbavam.


- Ok... É por ali. – Ele disse indo na frente.




- O próximo indicador é uma pedra branca no chão. Deve ser aquela ali. – Ela disse enquanto os dois corriam para lá.


- Agora perto da pedra branca, só olhar ao redor e procurar a entrada... ALI!!! – Ela gritou.
- Ótimo! Então não vamos perder tempo! – Ele estava começando a ficar frustrado porque os dois mal conversavam. O diálogo deles se resumia a achar o caminho e só. E ele não conseguia mais nem fingir seu aborrecimento.


- Espera aí! É impressão minha ou você está meio descontente comigo? – Ela perguntou, começando a se irritar ao perceber a carinha dele meio fechada.
- A palavra aqui é “chateado”. Mas por que eu estaria chateado com você? Estamos andando faz um tempão e você tem sido uma companhia muito agradável. – Ele disse irônico.
- Sério? – Ela se irritou. – E como você queria que eu te tratasse depois de você ter me agarrado naquele dia?
Ele suspirou: - Desculpa, ok?!! Eu achei que daquele jeito havia uma chance de você se lembrar de mim! Ou pelo menos me ver de uma maneira diferente, do jeito que Luca e Hannah eram, sei lá...


- Escuta aqui! Eu não sou a Hannah e você não é o Luca! O meu nome é Haesel, Baroni!!! Haesel! – Ela bateu o pé no chão com força ao dizer o próprio nome, irritada.
Pelo menos não me chamou de Dr. Baroni dessa vez.”, ele pensou, quieto; então disse: - Ok. Já entendi. Essa história está enterrada, ok? Não vamos mais falar sobre isso.
- Ótimo! – Ela saiu enraivecida na frente.
Eita, mulher braba!”, ele foi seguindo atrás.



- Finalmente! – Ela sorriu recuperando o fôlego e o bom humor.
- Tem certeza que é aí? – Ele só se lembrou da entrada na árvore Audriel.
- Bem, só descobriremos entrando... – Ela foi se aproximando da abertura. – E algo me diz que ao passarmos por aqui o caminho será longo...



- Provavelmente... Um eremita não moraria tão perto de um acampamento... Mas, escuta, me deixa ir na frente, ok?... – Ele já foi fazendo isso, protetor. – Vem logo atrás de mim, beleza? E cuidado para não se machucar.
- Relaxa. Juro que não quebro. - Ela respondeu meio na dela, mas achando até bonitinho aquele cuidado dele com ela. Só não queria demonstrar isso.


Assim, os dois seguiram por aquela passagem, cercados por mata cerrada, espinhos e perigo quase certo. Depois de alguns minutos, com Jordan cortando galhos furiosamente para passar pelo arbusto, encontraram uma teia enorme bloqueando o caminho; e apesar do chilique de medo DELE, acabaram atravessando a mesma. Depois seguiram um caminho longo,  finalmente a céu aberto, subindo pela montanha, até que precisaram se embrenhar novamente em uma folhagem quase cortante, muito bem escondida, saindo finalmente no chamado Bosque Denso, uma espécie de vale sagrado no meio da floresta. E o som das cascatas era ouvido por todo o lugar!


- Uau... – Haesel estava encantada com tanta beleza. – Olha que lugar lindo!
- Caramba! Sem o mapa do seu irmão dificilmente encontraríamos esse lugar! Como ele conseguiu isso?
- Sem perguntas difíceis, Baroni! Só olha isso! – Ela sorriu, respirando o ar puro.



Ficaram alguns minutinhos admirando a paisagem e dando uma descansada.
- Agora a gente segue na direção da cachoeira que logo nós vamos ver a casa da eremita. Vamos! – Haesel começou a correr.
- Garota, onde você encontra tanta energia? Eu tô morto! – Ele foi atrás reclamando, mas logo passou na frente dela.
- Ali a casa, Baroni!!!


E aí foi que Haesel pegou impulso mesmo!


Logo os dois estavam na frente do lar da mulher.
- Ôh de caaaaaaaaaaasa!!! – Jordan gritou.


- Caramba, tô acabada, suada e faminta! – Haesel estava pensando até em se largar no chão. A graminha verde parecia uma cama agora.
- Calma, Hae! – Ele nem notou que a chamou assim. – Vamos ver se o dono da casa tá aí. Precisamos de água, comida, banho e um bom lugar para descansar. Apesar de que pelo tamanho desse casebre, mal deve ter um quarto.


- A gente pode armar as barracas aqui fora. Melhor não incomodarmos. – Ela disse bem cansada, mas olhando a beleza da vista ao seu redor: belas cachoeiras e lindas flores e plantas.
- Armar barracas aqui fora? Esses mosquitos estão tão famintos que é capaz deles abrirem um buraco nelas com garfo e faca para nos pegar! – Ele reclamou.
- Exagerado! – Ela tentou não rir dessa. Olhou as horas. - Nossa! Já são quase 18h! Andamos pra caramba!
- Deveria haver um jeito mais fácil de chegar aqui... De carro já vi que não dá, mas de helicóptero sim. Da próxima vez, a gente vem de helicóptero! – Ele disse todo decidido.
E ela ia reclamar do “próxima vez”, mas o cansaço não deixou.


- E essas caixas, hein? – Ela ficou curiosa. – Será que ela tá de mudança?
Enquanto isso ele batia na porta: - Alguém aí?!! – Olhou para ela: - Se tiver de mudança, quero só ver qual o caminhão que vai aparecer aqui para carregar isso tudo. – Voltou a bater na porta. – Eiiiii!!! Alguém aí?!! Ooooh, Dona Eremiiiiiita!


 Então Haesel se aproximou e começou a rir. E ele, pego de surpresa com essa, ficou sem graça. – O que foi? – J. perguntou.
- Sei lá! Você tá engraçado! Parecendo o Indiana Jones. – Riu alto.
- Suuuuper engraçadinha! Nooooossa! – Ele reclamou, mas no fundo ficou feliz dela ter brincado com ele.


- Ok, Sr. Que-Tem-Medo-de-Aranhas. Vamos dar uma olhada na parte de trás da casa. Vai que a senhorinha tá lá e é meio surda. – Ela riu andando. Quer dizer, na verdade, se arrastando. Ela estava super cansada.


- Ok. Ninguém aqui também, Hae. – Ele disse igualmente esgotado.
- Será que a dona da casa vai se importar se armarmos as barracas aqui atrás?
- Espero que não... Mas não temos muitas opções... – Ele disse mais sério, com uma cara esquisita.
- Que cara é essa, Baroni?
- Dá pra me chamar de J.? – Ele pediu sem esconder a irritação.
- Ok, ok! Que cara é essa? Fala! – Ela cruzou os braços olhando-o.


- Preciso ir ao banheiro. – Ele disse com um sorriso nervoso.
Ela prendeu o riso e disse: - Olha aí a natureza a nossa volta!


- Natureza o caramba! Quero ver você dizer isso quando precisar também! Já pensou que legal ter que ir num matinho na escuridão cheia de bichos te espreitando por aí? – Ele foi na direção da porta dos fundos da casa.
- Tá. E o que você pretende fazer? – Ela perguntou enquanto acendia a fogueira.
- O que qualquer pessoa normal numa situação dessas faria: vou arrombar aquela porta ali – Ele disse decidido.


- Você tá brincando comigo, né? – Ela riu, sem acreditar.
- Nops. – Ele já estava na frente da porta para fazer isso.
- Não toca nessa porta, Baroni! Isso é ilegal!
- Vou tocar sim! Sai da frente, Hae! – Ele reclamou. E então quando ela se colocou na frente da porta, encostando-se a essa, a mesma se abriu e ele comemorou, feliz – Porta abertaaaaaaa!!! Uhuuuuuuuuuuuuu!!! – Ele foi entrando na casa sem cerimônias. – Meu Will Wright, mas que casa simples! Banheiro, cadê você, meu fí? Quero lhe usar! – Ele mesmo riu da gracinha.
- Você é inacreditável, Baroni! – Haesel riu.


- Aaaaah, aqui! – Ele correu lá pra dentro, mas não sem antes dizer: - Ei, Hae! Se eu fosse você não ficava aí fora sozinha não! Vai que um urso aparece! – Ele disse na perturbação.
- Besta! – Ela entrou na casa. “Gente, que lugarzinho mais encantador! Parece uma casinha de bonecas!”.


Então ela acendeu a lareira e se aqueceu um pouco, esperando por ele, que não estava nem um pouco com pressa.


Ele usou o banheiro, lavou as mãos, escovou os dentes.


Pôxa, esse chapéu ficou bom em mim, hein!”, pensou.


E por fim tomou um banho relaxante, com a água morninha.


Quando finalmente ele saiu de lá, estava limpo, lindo e cheiroso: - Já deu uma olhada pela casa, Hae? – Ele sorriu.
- Eu já estava quase era dormindo aqui sentada. – Ela estava começando a se sentir mais à vontade com ele, apesar de não ter se tocado disso ainda.


- Desculpa eu ter tomado meu banho primeiro... É que a natureza chamou antes! – Ele deu uma risada gostosa e que a fez rir. – Mas, escuta, toma teu banho enquanto faço algo pra gente comer.
- Escuta, Baroni,... – Ela ia dizer que não deveriam ficar mexendo nas coisas da dona da casa sem sua permissão, no entanto, desistiu de fazer isso, pois o cansaço falou mais alto: - Ok. Eu já volto. – E então ela foi tomar o banho dela.
- E me chama de J.! – Ele riu.


Assim que ela fechou a porta, ele foi dar uma olhada na casa.


Quartinho simples, mas confortável... Eu poderia dormir aqui de boa...”, pensou enquanto dava uns pulinhos, sentado, testando o colchão.


Uma rã?!! Aff! Isso é lá pet que se tenha!”.


Agora vamos ver o que temos aqui nessa geladeira... Ovos, espinafre, cogumelo, cebola... Hummmm... Já sei o que fazer!”, ele sorriu satisfeito.


Quem é o rei da omelete? Quem? Quem?”.


É o Jordaaaaaaan! Aêeeeeeeee!!!”, ele não tirava o sorriso do rosto, fazendo uma dancinha engraçada e cantando, meio desafinado: - ♫ Ma n'atu soooooole, cchiu` beeeeeeeello, oje ne', 'o sooooooooole mio, sta 'nfronte a teeeeee. O sooooooole, 'o soooooooooole mioooooooo, sta 'nfronte a teeeeeeee, sta 'nfronte a teeeeeee!!! ♫



E depois de seu banho, na pontinha dos pés, Haesel ficou ali bem perto, só ouvindo-o cantar e sorrindo, achando isso muito fofo. Fora que o cheiro da comida estava ótimo!



- HAE! Tá pronto! – Ele avisou animado.
E ela fingiu ter acabado de chegar ali. Pegou um prato e sorriu para ele: - Muito bom gosto musical, hein!
Ele abriu um grande sorriso: - Muito obrigado!


Sentaram-se em frente à lareira, pois estava muito frio.
- Espero que você goste... – Ele disse.
- Olha, se o sabor estiver tão perfeito quanto esse aroma...


Então provaram a omelete ao mesmo tempo.
- Ok. Está uma delícia! – Haesel sorriu.


- Tá vendo? Pacote completo aqui: dou casa, omeletes e roupa lavada. – Ele fez uma cara engraçada de quem se acha.
Ela caiu na risada: - Não me faz dar nota para essa cantada, vai!
- Dez de dez! – Ele brincou.
- Coooooom certeza! – Ela riu. – Agora vamos comer, vai!


E depois da janta, guardaram a comida que sobrou, lavaram tudo que estava sujo e escovaram seus dentes novamente. Em seguida, na parte de trás da casa, armaram suas barracas e colocaram mais lenha na fogueira. Fazia muuuuito frio ali à noite.
- Escuta, agora sem brincadeiras... – Ele a olhou. – Qualquer coisa, me chama aqui, ok?... Mas se me chamar de Baroni eu vou ignorar. – Ele sorriu.


Ela riu: - Ok. Eu vou pensar nisso com carinho,... Jordan.
- Oooopa!!! Olha que grande progresso! Em um só dia saímos do Dr. Baroni para Baroni e agora para Jordan! Acho que não é tão grave assim e amanhã você estará me chamando de “J.”. – Ele brincou.


- Bem, Jordan,... Então,... Boa noite... – Ela sorriu.
- Boa noite, Hae... – E ele sorriu de volta, todo encantado com ela.


E por alguns segundos, só havia o som da cachoeira ao longe, da mata, dos animais, do vento, enquanto os dois se olhavam.



- Até amanhã, Jordan... – Ela enfim quebrou o silêncio, mas com o tom de voz mais amável possível, e então seguiu para a barraca dela, meio ruborizada.
- Até amanhã, Hae. Dorme bem... – E ele fez o mesmo, com o coração leve e cheio de felicidade.





  
[Continua...]
[Novo capítulo toda segunda-feira! :) ]


Hi, amigo Simmer! Obrigada por acompanhar essa história! 
Tenha uma ótima semana! :)




Onde baixar os Sims e lotes usados nessa história:

SIMS:
Nooa e Haesel Windsor: Tom Bliss (“Hot Boy”), by Lordkiribati. Como não consegui o link direto para você baixá-lo – e nem consegui o da Haesel Windsor (que é a Julia NoCC, by manonchat) – upei os dois na minha conta isarpgista;


LOCAIS:
Restaurante Falls: “Stop Granite Falls Nocc”, by kerlynha (o maravilhoso lote original); o lote como utilizado nesse capítulo encontra-se para download em minha conta isarpgista (com o nome de “Restaurant Falls”).


OUTROS:


Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!


6 comentários:

  1. gente, o Jordan é mt engraçado. Já chegou tomando posse da casa da eremita, vê se pode.
    Lembro quando o Merlin foi lá, é lindo mesmo. E essa eremita sempre tem algo para falar.

    Ps. mto legal a mochila dos dois, a Hae é vaidosa hein, bolsa dourada. Tb da realeza neh 8)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O J. é muito espaçoso! Rs... Mas vá fazer isso na casa dele! Huhauhuahuahua... Ele fecharia a cara! xD Ai, ai! O Jordan é uma figura! Rs... E eu tenho certeza que esse é um dos lugares preferidos do Merlin, certo? É realmente muito lindo (e, por falar nisso, estou super curiosa para saber onde o Merlin está!)! \o/ :) Ah, e a Hae é mesmo suuuuuper vaidosa: ama maquiagem, ama rosa, ama coisas bem Barbie style! Rs... Acho que mesmo que ela não fosse da realeza, seria certamente uma princesa! xD :D Nihal, obrigada pelo comentário! Beijocas! :)

      Excluir
  2. Nossa que restaurante lindo hein. A situação entre eles tava tensa! E a mochila da Haesel, bonitona! KKK eu ri também do comentário : "mulher braba".

    A Haesel é mais disposta que o Baroni. Deve fazer muito mais academia que ele. Aqueles treinos de boxe valeram! Aon eles tão começando a se dar bem *-* Quase achei que iam dormir na mesma cama! Mas tá cedo ainda para isso. Tô curiosa para ver o próximo! Estou curtindo a história *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei absolutamente apaixonada por esse restaurante da kerlynha! É muito lindo e se encaixa perfeitamente em Granite Falls! :D Mas pois é, Jéssica! Acho que ela é mais disposta que ele sim! Rs... Academia com as amigas é um dos compromissos preferidos dela! :) Já a situação estava tensa sim. Haesel é uma pessoa muito mais fechada do que o Jordan. Rs... E ele acaba sentindo isso e se chateando um pouco. Mas pelo menos o clima entre eles melhorou, não é? xD Mas realmente é muito cedo para eles dormirem juntos. Muito obrigada pelo seu comentário, viu! Beijocas! :)

      Excluir
  3. Eita, gente! Que felicidade a dele de ficar lá na presença dela, hein? HAHAHAHA
    O melhor foi ele a acompanhar, apesar que mal se falaram, porém no fim ficaram de boa. Eu sei que no fundo ela o ama, mas não admite e se engana dizendo que não. Quanto ao J, ele é bem insistente, não?

    Que lugar lindo onde estão eles. Me encantei também. (Fiquei ouvindo o som da cachoeira enquanto lia a parte da cachoeira)

    Ele pode ser fechadão e tal, mas acredito que ele seria um amor pra ela. Um verdadeiro cavalheiro. Todo cara que é assim, no fundo é um bom homem e que trataria bem uma mulher, sendo romântico e carinhoso. Dele vinha mais uma característica: brincalhão. HAHAHA

    Lindo o jeito que eles agiam um com o outro quando estavam de boa e prestes a dormir. E por falar em dormir, eu também estou indo. Preciso acordar cedo para trabalhar e agora já estou com sono, mas a vontade de ler outro capítulo é grande... hahaha

    Beijão, queridona!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, David! Pois é! Ele todo feliz, né? :D Também aaaaamo esse lugar lindo! E o som da cachoeira é perfeito, né? :) E acho que vc fez uma ótima leitura do J.! :) E vc dorme bem! E espero que vc se divirta com os próximos capítulos! Beijocas, David! :)

      Excluir