domingo, 21 de agosto de 2016

O Médico e a Princesa - 14 - Inimigos

Um cavaleiro e uma princesa, que se amam, são separados por uma poderosa magia.
Séculos depois, serão eles, em suas novas vidas, capazes de quebrar o feitiço e assim se reencontrar mesmo que isso represente o retorno de antigos inimigos?
Acompanhe e descubra o que acontece nessa história feita no “The Sims 4”.

Dica: para uma melhor visualização (zoom na página), segure Ctrl e aperte o sinal de + no seu teclado (aperte - para diminuir).




O Médico e a Princesa
Parte 14 – Inimigos



Resumo do capítulo passado: em Windenburg, Rafael vai para a balada com amigos famosos. Está no meio da diversão quando seu filho Dario liga para seu celular e lhe conta sobre a conversa que ouviu entre Ollie Purdue e Babs L’Amour. No dia seguinte (sábado), em Granite Falls, Jordan e Haesel trabalham intensamente no eremitério, pois apenas assim poderão pegar a receita do unguento que Nooa deseja. À noite, a voz de Haesel e a letra de uma canção fazem a mente do Dr. Baroni se lembrar de cenas de sua vida como o General-de-Exército Luca.




Domingo. Madrugada.
No eremitério no Bosque Denso, em Granite Falls.



Quando Haesel terminou a canção, percebeu que Jordan estava meio mexido.
- Ei, que carinha é essa?... – Ela perguntou.
- Nada... – Ele não iria contar sobre o que tinha acabado de se lembrar. Mesmo porque sabia que ela não entenderia o quão profundas e dolorosas foram aquelas recordações: Luca e Hannah se separando porque o cavaleiro iria para a guerra, e o longo tempo que o General-de-Exército Baroni levou para retornar.
Ela ficou calada por alguns segundos, mas então resolveu agir: entrou na barraca dela, pegou uma lona e a colocou no chão, sob o olhar curioso dele; depois foi até Jordan e o puxou pela mão: - Vem cá! Se larga aqui. – E eles deitaram lado a lado. – Tá vendo aquela estrela ali? A maior? Chama-se Centauri...


- Não é a Sirius?
- Sirius é aquela entre a Centauri e a lua... – Ela disse.
- E aquela embaixo da lua? – Ele perguntou. Nunca tinha tido interesse no céu e em suas estrelas, mas o jeito que ela falava só o fazia querer ouvir mais.
- É a Destinatio. – Ela o olhou. – O mesmo nome do cometa que passou por aqui na noite em que eu nasci...
E os dois ficaram se fitando por alguns segundos, até que ela olhou para o outro lado, sem graça, e ele apontou para cima: - Olha! Uma estrela cadente!
- Fez um pedido? – Ela riu.


- Fiz sim. Mas se eu contar, não acontece. – Ele a olhou com os olhos brilhando. Então ficaram alguns segundos em silêncio novamente, mas um silêncio que não era mais algo incômodo; além disso, havia o som da cachoeira, dos animais, das folhas das árvores que se mexiam ao sabor do vento; eram como uma linda canção agora. E então ele perguntou: - Você veio com o Malcolm?
- Não. – Ela respondeu baixinho sem dar maiores explicações. Tinha terminado com o namorado poucas semanas atrás, mas não queria dizer isso para ele.
- Você só veio para Granite para ajudar seu irmão com essa história de unguento então?... – Ele sondava.
- Hum, hum... – Ela assentiu, mas aquela não era a verdade; ela estava curiosa sobre ele, sobre a lenda, e falaria com a eremita sobre isso em breve.


- Você acredita nas coisas que eu te contei?... – Ele perguntou.
- Eu acredito que VOCÊ acredita e que outras pessoas também acreditam... – Pensativa.
- E você quer ir atrás da verdade por você mesma.
Ela riu: – Você está quebrando a regra do “chega desse assunto”.
- Ok... Então me diz o nome daquela outra estrela ali... – Ele apontou.


E os dois ficaram conversando sobre coisas leves e bobas até o sono bater e cada um seguir para sua barraca, cheios de sorrisos simpáticos e olhadelas discretas, naquele mesmo climinha de paquerinha velada da noite anterior.


Assim, amanheceu; e o dia começou cedo e cheio do trabalho: uma parte das pessoas focava na finalização dos banheiros, outra parte cuidava das plantas e outros preparavam o almoço e os lanches para tanta gente. Até que finalmente, no final da tarde, o eremitério estava do jeito desejado pela comunidade local, contando inclusive com uma pequena lagoa, onde era possível pescar, e uma lojinha onde todos os tipos de poções e unguentos, feitos pelos eremitas da região, podiam ser vendidos.


Já Jordan e Haesel, esses já tinham desmontado suas barracas e agora havia duas outras que pertenciam a um pessoal que também ajudou a finalizar as modificações ali. No entanto, a maior parte desses ajudantes estava no Bosque Denso para conhecer a área, para fazer trilha, enquanto o Baroni e a Windsor tratavam de resolver suas últimas pendências no local. Quer dizer, pelo menos a princesa, já que J. estava pescando para relaxar um pouco depois de tanta labuta; tinha acabado de fisgar uma Perca e estava super animado com isso: - Hoje vai ter peixe fresco no jantar! – Ele sorriu.


- Ok, Alteza. Já te passei a receita. Então agora vamos para a prática. – Elora dizia para Haesel, que tratava de misturar todos os ingredientes para fazer o tal unguento que o irmão queria, seguindo à risca as orientações da eremita.
- E para que serve isso mesmo?
- O príncipe pediu sigilo sobre as propriedades desse unguento em particular.
- Ok, ok,... Que seja. – Haesel suspirou resignada.



Quando finalmente ficou pronto, Haesel agradeceu: - Obrigada, Elora... Eu só tenho mais um pedido... Você saberia dizer se a eremita mais velha daqui, a Sr.ª Yrlissa Vallar, sabe algo sobre a Lenda do Jardim de Von Haunt?... Ela teria em mãos uma cópia do Diário de Luca Baroni?... E você poderia manter sigilo quanto ao fato d’eu estar te perguntando essas coisas?... Não quero nem que o Jordan saiba... – As duas se sentaram na mesinha próxima.
- Uau! Inacreditável! Quando eu era menor, Yrlissa me disse que uma princesa poderia me fazer perguntas sobre esse assunto! E que caso eu achasse que isso não fosse mais acontecer, que eu passasse as respostas para minha sucessora...


- Então o fato d’eu estar te perguntando isso já era esperado? É como se isso estivesse escrito? – Haesel perguntou.
- Bem, a Sr.ª Yrlissa possui a “visão”. Ela é capaz de ver coisas do passado, do presente e do futuro... Mas ninguém a encontra com facilidade para obter respostas. Ela envia seus mensageiros e deixa as coisas acontecerem, exatamente como estão se realizando agora.
- Então você é a mensageira que me dará as respostas que preciso?...
- Sim. Mas antes preciso saber se está preparada para o despertar de antigos inimigos...
- Estou sim. Enfrentarei tudo para saber a verdade. Estou cansada de sentir que todos sabem mais sobre tudo isso do que eu. E isso não me parece justo, já que sou parte dessa história.


- Pois bem... Yrlissa e eu somos as únicas guardiãs desse segredo: Hannah escreveu seu próprio diário... Ele é protegido pelos fantasmas do casal Von Haunt. E eles apenas o entregarão à reencarnação dela. Para falar com eles, você precisa estar à meia-noite em ponto no sótão do casarão... Se você é mesmo Hannah, você terá acesso a toda verdade.
- Fantasmas?... – Pensativa. Era difícil crer naquilo tudo.
- Sim. Fantasmas. E ainda há os membros dos Cavaleiros da Sebe, que protegem o lugar e certamente não permitiriam sua entrada na mansão tão tarde da noite.
– Ok... Mas então você não sabe qual é essa verdade? E quem são esses inimigos? E vocês têm ou não uma cópia do diário de Luca?


- O que nós eremitas sabemos é que algo terrível aconteceu. Uma luta entre forças poderosas e opostas acontecia: de um lado, os vampiros; do outro, os lobisomens. E aparentemente Luca não obteve sucesso em parar essa guerra. O resultado foi que um desses monstros matou a princesa Hannah... E por isso Luca foi julgado e condenado à morte, com sua família perdendo definitivamente seus títulos nobres...
- Vampiros e lobisomens? – A princesa deixou escapar um sorriso de incredulidade diante do que ouviu. – E isso tudo está no diário? E como as pessoas não sabem nem falam sobre isso?...


- As cópias do Diário de Luca não possuíam as páginas que falavam abertamente sobre as batalhas contra as criaturas sobrenaturais. E ao contrário do que muitos pensam, a versão mais conhecida, a que estava na biblioteca de Windenburg, e nós já soubemos que ela sumiu de lá, também não estava completa. A única coisa que é de conhecimento de todos é que forças poderosas se vingaram do casal, separando-os através de uma poderosa magia... E que se um dia ela fosse quebrada, traria antigos inimigos de volta para o nosso Império. – Elora disse, séria.


- E vocês têm a versão completa do Diário de Luca? Está com vocês?
- Nós tínhamos, mas ele foi roubado há seis meses. No entanto, a “visão” da Sr.ª Yrlissa foi capaz de descobrir quem fez isso...
- Quem? – Haesel perguntou ansiosa.
- Malcolm Landgraab.
- Quê?!!




Um dia antes (sábado pela manhã).
Pousada Granite.


Babs curtia a piscina aquecida, alheia ao fato de que Rafael tinha acabado de chegar ali.


- O senhor tem certeza de que não deseja ir para seu quarto?... – O dono da pousada, Erick Bergan, perguntou.
- Não, Sr. Bergan. Obrigado. Eu só preciso falar com os meus irmãos. O senhor pode até liberar o quarto. Não ficarei aqui. Não dessa vez.
- Bem, eu já liguei para o quarto dos dois. Apenas a Srt.ª Marcella Baroni atendeu. Ela já vai descer. O senhor pode esperá-la na sala de jantar. Fique à vontade, coma alguma coisa. – Erick sorriu.


- Obrigado, Sr. Bergan. Eu os esperarei lá então. – Rafa agradeceu e saiu dali para o local indicado. Estava bem nervoso e também muito cansado. Tinha chegado ali de táxi, já que tinha bebido na balada (e sabem como é: se bebeu, não dirija!); e ainda estava bem passado com essa história da Babs estar grávida do Ollie.


Poucos minutos depois, no primeiro andar da pousada, após terminar de se arrumar, Marcella falava com o namorado no quarto deles: - Tu não sai dessa cama, pois daqui a pouquinho volto, ok? – Ela sorriu.
- Promete? – Ele a abraçou, dando um beijo no pescoço dela, depois na bochecha.


- Claro, meu amor! O Rafa deve ter chegado bêbado da night. Só isso! – Ela riu. – No mínimo algum amigo dele que o trouxe aqui. Ou então a namorada, a Cíntia. Então vou recebê-lo, levá-lo para o quarto dele e já volto.


- Ok, mas se for qualquer problema,... – Ele disse.
E ela mesma completou a frase: - Eu te chamo. Não te preocupa. – Ela riu e o beijou. – Agora volta pra cama, vai! – E deu um tapinha na bunda dele, rindo.


Assim, Marcella desceu para falar com o Rafael.



Que assim que a viu, da sala de jantar, a chamou: - Cella! Aqui!!!


- Bom dia, cabeçudo! – Ela sorriu ao vê-lo.


- Cadê o J.? – Rafa perguntou enquanto a irmã estava mais preocupada em pegar algo para os dois comerem. O café-da-manhã ali era bem farto e aberto ao público (por um preço bem justo), mas para eles os serviços diários de alimentação estavam inclusos na estadia.
- Segredo de Estado, tá? – Marcella disse, colocando um prato com rabanadas e um copo de suco de laranja com gelo para ele. – Ele foi acompanhar a princesa Haesel numa trilha. Ela foi pegar algo para o Nooa nas mãos de uma senhora que mora em algum lugar por aqui. Acho que só retornam segunda ou terça. – Ela disse, sentando-se à mesa com um prato de sanduíche Monte Cristo e um copo de achocolatado gelado.


- Mas que droga! – Ele reclamou.
- Ok, Rafa. Qual a urgência com o J.?
Ele a olhou sério e disse: - Ok, Cella, eu vou ser direto, beleza? O Dario ouviu uma conversa entre o Ollie Purdue e a Babs. O Ollie dizia que o filho da Babs é dele, não do nosso irmão.
- O quê? – Ela se assustou. – Você está brincando, né?


- Claro que eu não estou brincando, Marcella! Eu vim aqui só para contar isso para o J.. Não é um assunto que pode esperar. – Ele disse entre irritado e preocupado.
- Você tem certeza? Quer dizer, o Dario tem certeza do que ouviu?
- Tem sim. Ele me ligou ontem super tarde da noite porque não conseguia dormir por conta disso. Eu estava na Omega com a Cíntia e uns amigos, mas depois da ligação dele, saí de lá rapidão, fui em casa, tomei um banho, me vesti e chamei um táxi que me trouxe direto pra cá.


- Perdi a fome... – Marcella disse baixinho.
- E agora, o que a gente faz? – Rafa passou uma mão nos cabelos, nervoso. – Vamos esperar o J. retornar dessa trilha?
- Vamos esperar uma pinóia! – Ela levantou. – Eu vou tirar satisfação com a Babs é aqui e agora!!! – Ela levantou, irritada, saindo.
Rafa correu atrás dela, agora preocupado com o rompante da irmã: - Marcella, lembre-se que ela tá grávida! Não pega pesado! – Então tentou contornar a situação que se desenhava ali. - O Dario pode ter se enganado! Ele é uma criança ainda!
- Tá, tá, tá, Rafael. Cala a boca! – Ela respondeu exasperada, saindo.


- Sr. Bergan, bom dia. – Marcella foi até a recepção. – O senhor poderia ligar para o quarto da Srt.ª L’Amour e pedir para que ela desça e me encontre na sala de reuniões daqui?
- A Srt.ª L’Amour está na piscina, Srt.ª Baroni. – Erick disse.


- Ah, então tá bom! Eu vou até lá. Obrigada. – Ela agradeceu e saiu, seguida pelo Rafa.




- Babs, sai da água. Preciso falar com você. – Marcella já chegou dando a ordem, com voz autoritária e cara de poucos amigos.
- Cella, calma. – Rafa falou baixinho só para a irmã, que o ignorou.


- O que está havendo? – Babs perguntou, sem entender e já com um certo receio de Ollie ter dito “alguma bobagem” para a mídia no dia anterior, após a conversa dos dois.


- Sai daí logo! A gente precisa conversar. – Marcella repetiu, impaciente.
E Babs saiu da piscina já com cara de culpada.


- O-o-o que houve? – A atriz até gaguejou ao perguntar, intimidada, enquanto vestia um robe.
- Olha, é melhor sentarmos. – Rafa disse, praticamente obrigando a irmã a se sentar numa mesinha próxima.
Babs sentou-se também: - E então?... O que aconteceu? – Ela estava tensa.
- Nós já sabemos de tudo, L’Amour!!! – Marcella resolveu jogar verde. – O Ollie Purdue é o pai dessa criança, não o nosso irmão!!!


- Como? N-n-não!!! – Surpresa, ela não conseguiu nem apelar para suas habilidades dramáticas.
- FALA A VERDADE, DROGA!!! – Marcella se exaltou.


E Babs caiu no choro, sem fingimento: - Quer saber mesmo a verdade?!! Então vamos falar a verdade: eu passei anos com o seu irmão! Anos!!! – Ela agora também estava fora de si. – Dei os melhores anos de minha vida para ele!!! Para quê? Para depois descobrir que ele vivia me traindo!!! Vivia me fazendo de palhaça!!!


- Aí então você resolveu traí-lo também, foi isso?!! – Marcella falava com ela no mesmo tom inflamado.
- Meninas, calma...
- CALA A BOCA, RAFAEL!!! – As duas gritaram juntas.


E Rafa achou melhor ficar quieto por enquanto. Já havia gente demais alterada naquela “conversa”.
- Pois bem! – Babs disse, cheia de raiva. – O meu filho é do Ollie sim! Agora podem procurar o irmãozinho querido de vocês e contar a novidade para ele! Deve estar com alguma mulher por aí já que sumiu desde ontem! – Ela disse, levantando-se e saindo, mas com um certo contentamento interior porque tinha a certeza de que Jordan ficaria com o coração despedaçado ao saber que o bebê não era dele.


- RAFAEL, EU VOU DAR NA CARA DESSA MULHER!!!
E Rafa teve que conter a irmã ali para a situação não ficar mais feia.
- Vem, Marcella! Vem dar na minha cara! – Babs riu, saindo dali. – Família de trouxas! Fracassados, losers!!!


- Ah, que eu vou pegar essa mulher no tapa é agora!!! – Marcella levantou correndo para cima dela, mas Rafael se colocou na frente da irmã.
- CHEGA, MARCELLA!!! – Ele gritou. – Deixa ela ir! Chega de baixaria!!! Acabou!!!
- Mas você ouviu o que ela dis...
- Não importa!!! Deixa ela quieta!!! Ela não significa mais nada pra gente e para nossa família! A gente precisa se preocupar agora é com o J.!


Marcella calou-se por alguns segundos, contrariada. Então respirou fundo, tentando se acalmar, e disse: - Seguinte: você vai para casa agora e conta tudo para os nossos pais. Eles precisam saber disso antes que essa história vá parar na mídia. E você bem sabe que é capaz dessa sociopata fazer uma entrevista só para contar a versão dela dessa presepada toda.
- Beleza. E você espera aqui pelo J. e conta tudo para ele assim que ele pisar aqui, certo? – Rafa disse, sério. – E eu ainda acho que ele vai pirar por não termos esperado ele chegar para ELE ter conversado com ela, não nós dois.
- Agora já era, Rafael. Não adianta chorar pelo néctar derramado. E tem mais: não me arrependo de ter falado com essazinha não. Me arrependo é de não ter enchido a cara dela de bolacha!


- Ela está grávida, Marcella.
- Vai saber se não é uma barriga fake!
Rafa só suspirou, cansado: - Vamos nessa, vai. Eu preciso voltar para casa e você precisa esperar o J..
Entraram.




Domingo à tarde (pouco depois da conversa entre Haesel e Elora).
No laboratório da Área 15.


- Whitten, faz semanas que estou tentando falar com você e sou ignorado! Você leu os e-mails e SMSs que eu lhe mandei? Ela terminou comigo três semanas atrás!!! – Malcolm disse, irritado e impaciente.
- E o que você quer que eu faça? A culpa é completamente sua! Não tenho como forçar Haesel a ficar com você. E me chame de “doutor”.


- Você acha que ela fez isso por causa daquele palerma do Jordan? – Malcolm perguntou, bem preocupado.
- Claro que sim! Um dos seguranças dela reportou que o Baroni a beijou na Pracinha de Newcrest, enquanto você dava uma festinha à fantasia em casa e não cuidava da sua namorada. – O Dr. Whitten resmungou.
- Droga!... – Malcolm disse baixinho, fechando os olhos por alguns segundos, tentando controlar a raiva. – E você só me conta isso agora? – Ele apertava o punho, nervoso.


- Por que eu deveria ter lhe contado isso antes? A culpa é toda sua! Você foi o único agente secreto dos Caçadores que conseguiu se aproximar da princesa como precisávamos: conseguiu virar o namorado dela! Se tivesse me escutado, talvez ainda estivesse com ela agora!
- Eu estava em missão quando aquela amiga bisbilhoteira dela me viu aos beijos com o alvo! – Ele reclamou. – Mas depois eu e Hae nos entendemos!
- Você faz tudo errado!!! Eu te disse que o Reve deveria ter ido atrás do alvo, mas você não sabe seguir ordens! Deu no que deu! E depois você roubou o diário dos eremitas! Acha que eles não têm pessoas com a “visão”? Acha que não sabem que foi você? – O Dr. Whitten estava tão irritado que parou o que estava fazendo apenas para discutir com o rapaz.
E ambos não se preocupavam de haver uma terceira pessoa ali, pois, além dos cientistas e agentes, apenas surdos-mudos podiam trabalhar dentro do laboratório fazendo os serviços de manutenção nos equipamentos.


- A missão do Reve é ficar de olho no Jordan! Por isso fui atrás do alvo! Eu tive que fazer o serviço!!! E, quanto ao diário, eu estava completamente disfarçado! E mesmo que dissessem que eu o roubei, eles não têm provas. Eu destruí o livro! – Malcolm reclamou. – Eu só estava protegendo a vida da minha namorada! Se ela se lembrar da guerra entre os vampiros e os lobisomens, a vida dela estará em risco!!! Não é para isso que existem os Caçadores? Nós protegemos os civis desses monstros! Por isso nossa obrigação é mantê-los adormecidos! E se Luca e Hannah se reencontrarem aqui, essas criaturas retornarão, assim como fizeram no Terceiro Império, onde andam livres pelas cidades!


- Não é você que toma as decisões aqui! – Whitten falou enraivecido.
Malcolm riu irônico; então olhou sério para o cientista e disse: - Sabe qual o problema de vocês? Não têm a coragem de tomar as decisões mais difíceis! Vocês já deveriam tê-lo eliminado ao descobrir que ele é a reencarnação de Luca! E também já deveriam ter destruído cada cópia do diário do general! Mas não! Não há ninguém nessa Organização com peito o suficiente para fazer a coisa certa para todos: e a coisa certa agora é eliminar Jordan Baroni!
- O Imperador desistiu dessa opção. Esqueça isso.
- Whitten, escuta o que eu estou te dizendo: precisamos acabar com aqueles que podem fazer com que o perigo retorne: com Jordan e com Titus, já que não conseguiremos mesmo pegar aquela maldita Rainha das Fadas.
- Não temos ordens para eliminar nenhum dos dois! – Whitten disse.


- É a vida da princesa que está em risco! – “É a vida da minha mulher!”, ele pensou. – Então faça com que pareça um acidente! Eu farei o mesmo em relação àquele doutorzinho. – “Nunca gostei dele mesmo!”.
- ... – Whitten ficou em silêncio por alguns segundos.
- Se Haesel for morta, a culpa vai recair sobre você, sobre mim. E você perderá sua posição tão arduamente alcançada nesta Organização. – Malcolm disse. – É isso que você quer?


- Não, não... Não é. – Whitten disse, pesaroso.
- Então faça sua parte que eu faço a minha. – Malcolm disse com confiança. – Ninguém precisa saber de nossa missãozinha extraoficial. Acabe com Titus. Eu cuidarei de Jordan. Temos um acordo?
O cientista assentiu, consternado: - Sim, temos um acordo. – Ele sabia que essa era a única maneira efetiva de impedir a volta das criaturas e a morte da filha de seu Imperador.


- Então lembre-se: só precisa fazer com que pareça um acidente, Dr. Whitten. – O Landgraab deu as costas e saiu.


E assim que Malcolm retirou-se do laboratório, o cientista dirigiu-se à área da prisão. Precisava fazer isso agora para não mudar de ideia depois.



Malcolm está certo! Não vai ser um fantasma que vai acabar com a minha carreira!”.




[Continua...]
[Novo capítulo toda segunda-feira! :) ]


Hi, amigo Simmer! Obrigada por acompanhar essa história!
E quero deixar um agradecimento especial à amiga Patricia Roseane (acompanhem o blog dela: AQUI) por sua estima e por suas palavras sempre cheias de força e de encorajamento. Esse capítulo eu dedico a você, amiga! Beijocas! :) <3
 Tenham uma ótima semana! :)




Onde baixar os Sims e lotes usados nessa história:

SIMS:
Haesel e Nooa Windsor: Julia NoCC, by manonchat; como não consegui o link direto para você conseguir baixá-la – e nem consegui o do Nooa Windsor, que é o Tom Bliss, by Lordkiribati – upei os dois na minha conta isarpgista;
Babs L’Amour: by SimGuruZephyr;
Erick Bergan: Marc Promise Teen NOCC, by maimouth; nesta história, transformado em Jovem Adulto;
Malcolm Landgraab: esse Sim é o adolescente da família Quero-Tudo-que-é-Seu; nessa história, ele já é um Jovem Adulto. Ficou mais forte e mudou a cor dos cabelos. Você pode baixá-lo na minha conta isarpgista;
Titus Crowder: by altemural.


LOCAIS:
Pousada Granite: “The Quiet Kettle”, by thetideschanging (o original); o lote como utilizado nesse capítulo encontra-se para download em minha conta isarpgista (como lote de aluguel e com o nome de “Granite Inn”);


OUTROS:
Lágrimas 1, 2 e 3.


Obrigada a todos criadores!
Thank you to all creators!


8 comentários:

  1. Terceiro Império? KKKK Isso me lembra The sims 3!
    Mas gente! Coitado do Jordan! Alguém precisa salvar ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o Terceiro Império é exatamente o The Sims 3! Rs... xD
      E será que alguém vai salvar o J.? \o/ Aiiiin, não posso contar! Mas breve você descobrirá! Beijocas, Jéssica! :D

      Excluir
  2. A Elora é tão bonita :)

    Gente e tadinho do Rafael perto da Marcela e da Babs kkkkk
    Mas a Marcela é bem pavio curto hein


    Pior é o Malcon, não gosto nem da cara dele. aff a Haesel tem que lembrar logo! x.x

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Nihal! A Elora é linda! :) E a Marcella é ótima, né? Não come nada! Vai direto resolver as tretas dela! Rs... O Rafa que sobrou no meio! xD E o Malcolm, nem comento! Fico me perguntando como a Haesel conseguiu ver algo bom nele. O.o Rs... :D

      Excluir
  3. Eita, gente! Agora foi pesado esse capítulo. Vamos por parte com a minha review.

    Lindo foi ele se emocionar com a canção dela e lembrar de tudo; Ela pegar uma lona para os dois deitarem em cima e ficarem a ver as estrelas; E saber também que ela está curiosa com essa história!!!

    Não imaginei que ela estaria atenta na história mesmo que demonstrasse não acreditar em nada. E que surpresa saber que a luta era com sobrenaturais e que o diário estava incompleto. Que susto tomou ela ao saber que o ex foi quem roubou o livro.

    Marcella é braba, hein? Queria sujar as mão dando na cara da outra lá. Mas vê só... hahaha, não pode descer a esse nível, Marcella. Porém compreendo ela e dá vontade de fazer isso mesmo. E eu quero só ver a reação do Jordan ao saber dessa notícia. Por uma parte ele ficará contente, pois o bebê não vai mais o prender a Babs e a Haesel também irá ficar contente, pois percebemos que se não fosse o namoro do Jordan com a Babs e a própria grávida dele, Haesel daria uma chance pro Jordan. Enfim... Haesel sabendo também que o filho não é dele, vai pensar em dar uma chance pros dois ficarem juntos, já que ele com certeza não vai querer mais a Babs por ter o traído e engravidado de outro.

    Aaaah, não! Eles querem forjar o plano matando eles? Pôôôôô... e esse Malcom é terrível! Não vou com a cara dele.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, David! Pois é! Este capítulo foi beeem legal, né? :D E a Marcella precisa ter mais calma, né? Ela é meio nervosinha! xD Se o Rafa não estivesse ali, nem sei o que daria! :) Espero que vc curta os próximos capítulos! Beijocas! :)

      Excluir
  4. Finalmente essa megera foi desmarcada! Ótimo capítulo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma hora ela teria que ser! :D Ainda bem, né? :) Obrigada, Leo!!! :D

      Excluir